Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão

Competências e qualificações

A forma como trabalhamos, aprendemos, participamos na sociedade e conduzimos o quotidiano muda constantemente em consonância com os desenvolvimentos tecnológicos e os desafios mundiais e demográficos. As competências certas ajudam as pessoas a adaptarem-se a estas alterações e a assegurar o seu bem-estar ao mesmo tempo que contribuem para a sociedade, a produtividade e crescimento económico.

Atualmente, as pessoas precisam de dispor de uma série de competências que vão das competências de base, tais como literacia, numeracia e digitais, a competências profissionais ou técnicas assim como empresariais e transversais, tais como línguas estrangeiras ou a capacidade de aprender e tomar iniciativas.

A Europa enfrenta hoje em dia uma série de desafios:

  • Uma percentagem inadmissivelmente elevada de europeus - um em cada cinco - continua a mostrar dificuldades de leitura e escrita, e um número ainda maior tem fracas competências digitais e de numeracia. Uma parte significativa de migrantes e requerentes de asilo demonstra falta de competências básicas e um fraco conhecimento da língua do país de acolhimento, estando assim em risco elevado de desemprego, pobreza e exclusão social.
  • Muitas pessoas na Europa não conseguem encontrar trabalho porque não possuem as competências certas ou estão a trabalhar em trabalhos que não se coadunam com os seus talentos. Na verdade, 30 % de detentores de um grau de ensino superior estão a trabalhar em funções para as quais não precisavam de uma qualificação universitária.
  • Enquanto isso, 40 % dos empregadores não conseguem encontrar pessoas com as competências certas para preencher as suas vagas de posto de trabalho, e muito poucas pessoas têm a preparação, mentalidade e competências para estabelecerem o seu próprio negócio ou procurar novas oportunidades.

A educação e a formação na Europa são da competência dos Estados-Membros. Os mercados laborais nacionais e regionais e os sistemas educacionais deparam-se com os seus próprios desafios específicos, mas os Estados-Membros enfrentam problemas e oportunidades similares.

É por essa razão que as iniciativas europeias direcionadas para as competências visam mobilizar todas as partes interessadas europeias entre as seguintes linhas de ação:

Todos os anos, são dirigidas a um elevado número de Estados-Membros recomendações específicas por país relacionadas com o desenvolvimento de competências, para orientar a respetiva formulação de políticas nacionais.

Encontra-se disponível apoio para o desenvolvimento de estratégias de competências nacionais em coordenação com a OCDE para auxiliar os Estados-Membros a conceber respostas políticas concretas, ao mesmo tempo que o financiamento da UE ajuda a implementar conceção de políticas:

A Comissão propôs uma série de ações políticas no passado para solucionar os principais desafios e problemas relacionados com competências incluindo as iniciativas Novas Competências para Novos Empregos e Repensar a Educação.

Em 10 de junho de 2016, adotou uma nova e abrangente Agenda para Novas Competências na Europa, propondo dez ações para ajudar a dotar de melhores competências as pessoas na Europa.

Partilhar esta página