O termo «poeiras» não possui qualquer significado científico exato, mas é normalmente definido como um sólido que foi reduzido a pó ou partículas finas. A dimensão das partículas é tão importante como a natureza do pó para estabelecer se a substância é considerada perigosa. Em geral, os mais perigosos tipos de poeiras são aqueles com partículas muito pequenas, invisíveis para o olho humano, como é o caso dos pós finos. Estes tipos de partículas são suficientemente pequenos para serem inalados, mas ao mesmo tempo suficientemente grandes para permanecerem presos no tecido pulmonar e não serem exalados. No entanto, algumas substâncias (por exemplo, o amianto) produzem poeiras muito grosseiras com partículas grandes, que também podem ser perigosas.

Lembre-se: as substâncias podem produzir poeiras com partículas de dimensões distintas — só porque apenas pode ver grandes partículas de pó ou grânulos de grandes dimensões não significa que não possam estar igualmente presentes outros de pequenas dimensões.



1. Que tipos de poeiras existem?

Nanomateriais: Muitos processos modernos utilizam nanomateriais. Estes são particularmente perigosos, pois podem ser absorvidos diretamente na corrente sanguínea através da pele e através das membranas pulmonares por inspiração. Devem ser considerados perigosos para a saúde independentemente da matéria de que forem feitos. O equipamento de proteção normal não proporciona uma proteção adequada e deve contactar-se o laboratório antes da abertura destes produtos, ou da colheita de amostras.

Poeiras tóxicas: Estas são geralmente produzidas quando se trabalha com substâncias que sejam, elas próprias, substâncias tóxicas (por exemplo, chumbo, mercúrio, crómio, etc.). Se inaladas, podem danificar os pulmões ou entrar na corrente sanguínea e distribuir-se por todo o corpo.

Poeiras incomodativas: Estas podem ser geradas pelo manuseamento de materiais, tais como:
Estes tipos de poeiras são, de uma forma geral, apenas irritantes, mas em forma concentrada podem ser perigosos para a saúde. O pó de madeira de folhosas é cancerígeno (ver secção 7).

Em algumas áreas poderá deparar-se com poeiras de cannabis durante o seu trabalho (por exemplo, num entreposto oficial). Este tipo de poeiras não é considerado particularmente perigoso, pois não é facilmente absorvido pelo organismo e encontra-se, de um modo geral, numa concentração baixa.

Poeiras inflamáveis: As poeiras inflamáveis deslocam-se pelo ar em nuvens e podem ser facilmente inflamadas, desencadeando uma chama súbita ou uma explosão. Podem ser incendiadas por uma faísca ou chama viva, ou ainda por terem pousado sobre uma superfície quente. Quando as poeiras inflamáveis se pousam e inflamam, podem apresentar chamas ou simplesmente arder em combustão lenta — muito depois de a fonte de ignição ter sido suprimida; na sequência de uma explosão, as poeiras inflamáveis podem dispersar-se por uma área importante, agravando o risco de incêndios graves.

É altamente improvável que, no decurso do seu trabalho, se venha a deparar com poeiras inflamáveis.



2. Onde podem encontrar-se?

Podem encontrar-se poeiras incomodativas praticamente em qualquer sítio. Algumas das mais comuns são:
Poderá igualmente encontrar poeiras tóxicas ou inflamáveis em concentrações perigosas em locais de carga, descarga ou movimentação de carga a granel, (por exemplo, cereais, minérios metálicos, carvão, etc.).



3. Que danos podem causar as poeiras?

As poeiras podem geralmente causar danos nos pulmões e nas vias respiratórias, mas alguns tipos específicos podem causar cancro. As doenças mais importantes associadas à inalação de poeiras perigosas são as seguintes:

Pneumoconiose benigna. Doença provocada quando poeiras aparentemente inofensivas são inaladas e depositadas nos pulmões de tal forma que passam a ser visíveis através de raios X. Não causam danos no tecido pulmonar e, por conseguinte, a doença não é incapacitante. Trata-se de uma perturbação mais frequentemente associada a poeiras de metais como o ferro e o estanho.

Pneumoconiose. Denominação coletiva para um grupo de doenças pulmonares crónicas provocadas pela inalação de poeiras que contêm minerais específicos. O termo inclui uma série de doenças cujo nome advém das poeiras que as causaram. As mais conhecidas são as seguintes:
Pneumonite. Inflamação dos tecidos pulmonares ou dos bronquíolos essencialmente provocada pela inalação de poeiras contendo metais. Os sintomas são semelhantes à pneumonia, mas o nível de gravidade varia, dependendo do metal inalado. As causas mais comuns são as poeiras de cádmio e de berílio.

Mesotelioma da pleura. Tumor dos pulmões, causado principalmente pela exposição ao amianto (cf. amianto).

Cancro do pulmão. Também este pode seguir-se a qualquer exposição ao amianto (cf. amianto).



4. O que pode ser feito para reduzir o risco?

Para a maioria dos tipos de poeiras, incluindo as poeiras incomodativas, foram fixados limites de exposição em normas de saúde e de segurança. Devem consultar-se as fontes nacionais e a legislação da UE.

No entanto, como é provável que tenha pouco controlo em relação à fonte das poeiras, na maioria dos casos, deve tomar todas as precauções necessárias para reduzir os riscos. Faça o seguinte:
Lembre-se: Só se deve permanecer numa atmosfera com poeiras durante um mínimo absoluto do tempo necessário para efetuar o trabalho – mesmo que estejamos a usar proteção respiratória.



As orientações constantes da presente secção destinam-se a servir de aviso geral relativamente aos riscos que se colocam aos procedimentos de inspeção e amostragem, pretendendo igualmente chamar a atenção para o equipamento de segurança a utilizar e para as precauções que se devem tomar.
Para mais informações, deve consultar-se a legislação e a orientação facultada neste contexto pela administração nacional.


Revisões
Versão Data Alterações
1.0 12.10.2012 Primeira versão