Mobilidade e transportes

Intercâmbio para a segurança rodoviária: Doze Estados-Membros da UE unem esforços para melhorar a segurança rodoviária

/transport/road_safety/file/eursexchangepng_pteursexchange.png

Intercâmbio para a segurança rodoviária: Doze Estados-Membros da UE unem esforços para fazer face aos desafios, incluindo o excesso de velocidade, a segurança das infraestruturas e a melhoria da segurança dos peões e ciclistas.

Doze Estados-Membros da UE estão a unir forças para partilhar ideias inteligentes capazes de melhorar a segurança rodoviária, no âmbito de um novo projeto financiado pela UE e lançado hoje em Bruxelas. Embora as estradas europeias sejam as mais seguras do mundo e apesar de a segurança rodoviária ter melhorado consideravelmente nas últimas décadas, o número de mortos e feridos graves nas nossas estradas é ainda demasiado elevado. Em 2018, registaram-se mais de 25.000 vítimas mortais em acidentes de viação. Se bem que estes números configurem uma diminuição de 21 % em relação a 2010, representam apenas uma redução de 1 % em relação a 2017.

Existem diferenças importantes no desempenho dos diferentes Estados-Membros da UE em matéria de segurança rodoviária. O projeto de intercâmbio para a segurança rodoviária da UE, com uma duração de três anos, visa combater estas disparidades e irá ligar entre si peritos da Áustria, da Bulgária, de França, da Grécia, da Irlanda, da Lituânia, dos Países Baixos, da Polónia, de Portugal, da Roménia, de Espanha e da Suécia. 

Os peritos em transportes dos doze países participantes irão trabalhar em conjunto para partilhar as melhores práticas em matéria de redução da velocidade, construção de infraestruturas seguras, melhoria da aplicação da legislação e recolha de dados, bem como no que toca à segurança de peões e ciclistas nas zonas urbanas.

A Comissária Europeia dos Transportes, Violeta Bulc, comentou: «Temos de trabalhar em conjunto para chegar à ‘Visão Zero’ – zero mortos e feridos nas nossas estradas até 2050 – e isto significa a geminação e o intercâmbio das melhores práticas. O projeto «Intercâmbio para a Segurança Rodoviária» da UE irá inicialmente ajudar seis Estados-Membros muito empenhados em melhorar o seu desempenho em matéria de segurança rodoviária ao longo de um período de três anos. Ao combinar um elevado nível de participação política com intercâmbios duradouros entre peritos nacionais, este projeto constitui uma oportunidade única para superar os desafios, incluindo o excesso de velocidade, a segurança das infraestruturas e a melhoria da segurança dos utentes vulneráveis da estrada, como os peões e os ciclistas».

O projeto está a ser gerido pelo Conselho Europeu de Segurança dos Transportes (CTCE), uma ONG líder em matéria de segurança dos transportes que trabalha com peritos em segurança rodoviária de toda a UE. 

Antonio Avenoso, Diretor Executivo do CTCE, declarou: «Este projeto destina-se a mostrar até que ponto as políticas de segurança rodoviária são eficazes no mundo real. Vamos reunir peritos para que estes possam ajudar-se mutuamente a descobrir a forma de obter resultados semelhantes nos seus próprios países. Estamos muito satisfeitos com o facto de tantos Estados-Membros estarem dispostos a participar neste projeto e esperamos ansiosamente pelos resultados».

Contexto

A Comissão Europeia e os Estados-Membros da UE comprometeram-se a reduzir em 50 % o número de vítimas mortais e de feridos graves nas estradas entre 2020 e 2030. Neste contexto, a Comissão lançou o projeto «Intercâmbio para a segurança rodoviária» (EU Road Safety Exchange), financiado pelo Parlamento Europeu, que visa contribuir para colmatar o fosso em matéria de segurança rodoviária entre os Estados-Membros, apoiando vários países com elevado potencial para melhorar a segurança rodoviária e contribuindo assim para a redução do número total de mortos e feridos graves nas estradas europeias.