Libertar o potencial comercial dos recursos renováveis da Madeira

Ao centrar-se nas algas e plantas nativas da ilha da Madeira, a investigação do projeto AlgaeRef no âmbito da biorrefinaria desenvolveu tecnologias inovadoras e ecológicas reconhecidas internacionalmente, revitalizando em simultâneo a economia local.

Outras ferramentas

 
MadeBiotech’s research centre in Madeira   ©MadeBiotech MadeBiotech’s research centre in Madeira ©MadeBiotech

" O AlgaeRef provou que é possível ultrapassar os limites da insularidade através da utilização de produtos de tecnologia intensiva. "

Miguel Cardoso, CEO e Fundador da MadeBiotech

O projeto de investigação AlgaeRef da MadeBiotech S.A., financiado pelo FEDER, identificou substâncias valiosas que podem ser extraídas das algas e de outras plantas. Além de identificar e valorizar estas substâncias existentes na natureza, o projeto também explorou os processos de extração através da tecnologia de ponta denominada "Tecnologia de fluidos supercríticos" (SCF) – um processo sustentável em termos ambientais que permite a extração de componentes biológicos sem contaminação ou degradação térmica.

Este trabalho inovador aumentou a visibilidade do projeto, envolvendo mais investigadores no período pós-projeto e atraindo clientes internacionais. Como resultado deste sucesso, a MadeBiotech tornou-se internacionalmente reconhecida pela sua especialização na tecnologia SCF, tendo desde então trabalhado com empresas da Europa, Médio Oriente, Austrália e Estados Unidos.

Retoma económica

O projeto AlgaeRef teve um efeito em cadeia na economia da Madeira. O interesse económico nos componentes extraídos de plantas endémicas levou a um aumento da procura das matérias-primas, tendo muitos agricultores locais – frequentemente envolvidos em atividades agrícolas de trabalho mais intenso e menos lucrativas – cultivado terrenos abandonados e subutilizados com plantas endémicas para abastecer as fábricas que necessitavam dos extratos. Esta opção aumentou o rendimento e a estabilidade destes agricultores.

Além disso, o sucesso do projeto funcionou como catalisador para várias empresas locais começarem a trabalhar com a MadeBiotech com o objetivo de investigarem e inovarem nos seus campos em particular, por exemplo, nas indústrias alimentar e cosmética. Numa região em que o custo dos transportes dificulta a exportação, o desenvolvimento de produtos de elevado valor acrescentado e de aptidões de conhecimento intensivo criou alternativas económicas que poderão atenuar as taxas de desemprego e emigração.

Colaboração na investigação

Na sequência da publicação das conclusões do projeto, a MadeBiotech foi convidada a participar em consórcios de colaboração para várias propostas no âmbito do programa «Horizonte 2020» e desenvolveu parcerias com algumas das principais empresas e universidades europeias, incluindo o Imperial College London (Reino Unido), a DTU (Dinamarca), a Delft University of Technology (Países Baixos), a Unilever (Reino Unido) e a Croda (Reino Unido). Existem também planos para que a MadeBiotech comece a receber mestrandos de algumas das principais universidades europeias, o que reforça o reconhecimento internacional pelas tecnologias desenvolvidas por este projeto.

Investimento total e fundos da UE

O investimento total no projeto AlgaeRef é de EUR 1 863 109, para os quais o Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da UE contribuiu com EUR 1 217 700 do Programa Operacional «Madeira» para o período de programação de 2007-2013.