Ecoponto em Casa: Um serviço de recolha de resíduos inovador e personalizado

ortugal ainda não é muito reconhecido pelo seu processo de reciclagem de resíduos. O projeto Ecoponto em Casa visou alterar esta situação apresentando um sistema de eliminação de resíduos inovador e fácil de utilizar para os 135 000 residentes da cidade da Maia. Esta situação melhorou significativamente o sistema da recolha de resíduos no município e pode ser utilizada como um exemplo para o resto do país.

Outras ferramentas

 
O projeto Ecoponto em Casa restruturou o sistema de reciclagem e recolha de resíduos. O projeto Ecoponto em Casa restruturou o sistema de reciclagem e recolha de resíduos.

Através da utilização de uma tecnologia inovadora e de uma faturação com base em incentivos, o projeto tem tido um papel fulcral no aumento da quantidade de resíduos enviados para reciclagem na cidade. Como resultado, a indústria de reciclagem da Maia tem crescido, fortalecendo a sua bioeconomia. De igual modo, foram registados melhores padrões ao nível da segurança e da saúde urbana.

Contentores de lixo de alta tecnologia

O sistema, gerido pela empresa local de eliminação de resíduos Maiambiente, utiliza contentores com rodas para a eliminação de papéis, embalagens, vidros e outros tipos de lixo. Além do mais, cada contentor está equipado com a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) que apoia a identificação e a rastreabilidade dos resíduos.

As etiquetas anexadas aos contentores permitem que os operadores controlem o número de vezes que um contentor é enviado para a recolha de resíduos. Este facto simplifica a faturação e apoia a introdução do princípio de taxa variável («pay as you throw») ou PAYT; um processo que recompensa as famílias e as empresas que separam o lixo e penaliza as que não o fazem. 

Os resíduos reciclados estão a aumentar gradualmente

O projeto tem tido um êxito retumbante, conforme comprovado pelos seus resultados notáveis. Desde que o projeto começou em 2010, já foram adquiridos, aproximadamente, 77 000 contentores de resíduos para utilização privada. Além do mais, foram enviados 4 278 kg de resíduos para reciclagem no primeiro trimestre de 2013. Estes valores significam um aumento de 56 % na recolha de embalagens, ao passo que a eliminação de papéis e vidros aumentou 23 % e 29 %, respetivamente. Em termos gerais, estes valores representam um aumento de 33 % de resíduos reciclados, em comparação com o primeiro trimestre de 2012. 

or outro lado, tem-se registado uma redução de 10 % na quantidade de resíduos enviados para aterros ou para incineração. Todos estes resultados significam uma menor pressão sobre os recursos naturais, bem como reduções de custos.

Uma vez que o lixo é armazenado dentro dos contentores e é recolhido através de elevadores automáticos, é exigido um menor esforço físico por parte dos operadores. De igual modo, existe um menor risco de derrame de resíduos nas vias públicas, dado que os sacos de lixo são armazenados dentro dos contentores. Em termos gerais, a utilização de sacos de plástico tem diminuído no município, o que é uma boa notícia para o ambiente.

Fundamentalmente, reduziu-se a frequência da recolha de resíduos não recicláveis de três para duas vezes por semana, reduzindo os custos laborais e de combustíveis. Simultaneamente, estão a ser, de facto, criados empregos no setor da reciclagem, o que contrasta profundamente com o clima económico difícil que se vive atualmente, à medida que a reciclagem se torna mais importante e popular na região.

A sensibilização para a iniciativa Ecoponto em Casa foi feita através da combinação de publicidade, redes sociais, correio direto e eventos. Na verdade, um desses eventos de sensibilização incluiu a participação de centenas de estudantes numa «flash mob».

Além de ser o primeiro serviço de recolha de resíduos porta a porta em Portugal que abrange um município inteiro, também não tem precedentes no que toca à recolha de papéis, embalagens e vidros em separado. Outra inovação do projeto consiste na tecnologia utilizada; o RFID é um sistema pioneiro e é o primeiro serviço taxado segundo um princípio PAYT.

A iniciativa Ecoponto em Casa adotou excelentes medidas para reforçar a indústria de reciclagem na Maia, aumentando a quantidade de resíduos para reciclagem, diminuindo os resíduos para aterros e contribuindo para a limpeza das ruas. Para os residentes da cidade, também representa um sistema de eliminação de resíduos mais higiénico, eficaz e justo.

«A iniciativa Ecoponto em Casa constitui o projeto de maior dimensão, mais complexo, inovador e sustentável alguma vez desenvolvido em Portugal por parte de um município, no que diz respeito à gestão de resíduos urbanos, e é, provavelmente, um dos exemplos de êxito da Política de Coesão mais eficazes.»

  • Carlos Mendes, Presidente da aiambiente

Investimento total e financiamento da UE

O investimento total para o projeto «Ecoponto em Casa» é de 2 510 390 euros, contando com uma contribuição do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da UE de 1 537 121 euros através do Programa Operacional «Norte» para o período de programação 2007-2013.

Data do projecto

31/01/2014