Uma solução inovadora ao serviço dos centros históricos

O SHCity permite a evolução do conceito de cidade inteligente (Smart City) para o conceito de cidade histórica inteligente (Smart Heritage City). Para o efeito, o projeto criou uma ferramenta de fonte aberta única destinada a recolher dados nos centros históricos urbanos e a facilitar o trabalho das administrações encarregadas da sua gestão. A solução foi testada e validada na cidade de Ávila, em Espanha.

Outras ferramentas

 
SHCity has developed a solution seeking to improve the management of historic centres ©Daniel Basulto Garcia-Risco SHCity has developed a solution seeking to improve the management of historic centres ©Daniel Basulto Garcia-Risco

" O projeto Smart Heritage City dá resposta à necessidade de gerir de forma global os centros urbanos históricos, a fim de evitar a sua degradação devido a fatores naturais e humanos. Mais concretamente, procura encontrar soluções para os problemas resultantes do turismo de massas nas cidades históricas. Tal pressupõe transitar de uma gestão reativa para uma gestão proativa. O projeto desenvolveu tecnologias de vigilância, uma inteligência artificial e ferramentas de apoio à decisão, que permitem aos administradores municipais dispor de dados e informações úteis para a gestão da cidade. "

Gumersindo Bueno Benito, responsável pelo projeto

O projeto SHCity desenvolveu uma solução destinada a melhorar a gestão dos centros históricos, facilitando a sua manutenção e conservação, a realização de poupanças energéticas, a gestão turística e a tomada de decisões.

A tecnologia foi testada em Ávila, cidade classificada como património mundial da Unesco. Uma rede de sensores colocados em diferentes locais do centro histórico permite medir, em tempo real, os parâmetros ambientais e estruturais, bem como os relacionados com a segurança, o consumo de energia e o fluxo de visitantes.

Promover um turismo sustentável

O projeto dá resposta ao novo desafio de desenvolver uma ferramenta de fonte aberta única para gerir os centros históricos das cidades. O seu objetivo consiste em fornecer às autoridades competentes uma ferramenta que facilite a tomada de decisões em matéria de preservação e manutenção de locais históricos e de desenvolvimento do turismo sustentável, otimizando simultaneamente o trabalho das organizações responsáveis pela sua gestão.

A solução Smart Heritage City (SHCity) permite tratar os diferentes dados recolhidos no centro histórico a fim de controlar e reagir aos riscos que afetam os edifícios e o respetivo ambiente, bem como gerir o consumo de energia e os fluxos de visitantes. Esta solução assenta num conjunto de ferramentas desenvolvidas graças às novas tecnologias e a um conhecimento aprofundado da gestão do património à escala urbana.

Para uma gestão inteligente dos locais

O projeto, baseado numa rede de sensores colocados em diferentes pontos estratégicos da cidade, permite a medição, em tempo real, de parâmetros ambientais e estruturais, bem como de outros relacionados com a segurança, o consumo de energia ou o fluxo de visitantes. As informações recolhidas são tratadas e convertidas em indicadores que alimentam dois programas informáticos.

O primeiro é uma ferramenta de autodiagnóstico capaz de gerar avisos e fornecer respostas automáticas e recomendações para a tomada de decisões dos gestores. Esta ferramenta permite intervir em situações suscetíveis de comprometer a integridade do centro histórico. A segunda ferramenta é uma aplicação móvel que possibilita uma gestão inteligente do turismo. Esta propõe itinerários dinâmicos em função de diversos indicadores: ocupação dos locais, fluxo de pessoas, horários de funcionamento dos monumentos e avaliação de locais e de eventos.

O SHCity transmitiu os resultados do projeto às administrações públicas, com um plano de informação e de formação. Além disso, foi lançada uma página na Internet: www.shcity.eu. Essa página permite às administrações públicas e ao público debater esta iniciativa. Um guia público e gratuito explica como reproduzir o sistema de gestão e como o implantar em cada zona em função das respetivas características.

O projeto resultou na criação de cerca de 30 postos de trabalho.

Investimento total e financiamento da UE

O projeto «Smart Heritage City» foi objeto de um investimento total de 1 194 333 EUR; a contribuição do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional ascende a 895 750 EUR, a título do programa Interreg V-B Sudoeste (SUDOE V-B) para o período de programação 2014-2020. O investimento enquadra-se na prioridade «Empregos, crescimento e investimento».