PEFMED: criação de um setor agroalimentar sustentável no Mediterrâneo

Se devidamente usado, o método europeu da pegada ambiental dos produtos (PEF, Product Environmental Footprint) pode ajudar o setor agroalimentar mediterrânico a tornar-se mais sustentável. O projeto PEFMED, financiado pela UE, foi criado para ajudar as empresas agroalimentares mediterrânicas a navegar, implementar e beneficiar do complexo enquadramento da PEF.

Outras ferramentas

 
Picture taken during a PEFMED pilot action in a vineyard in Apulia, Italy. ©Michele Vitiello, 2019 Picture taken during a PEFMED pilot action in a vineyard in Apulia, Italy. ©Michele Vitiello, 2019

" O queijo Feta é um produto tradicional de denominação de origem protegida com uma longa história, produzido com leite de ovelha e de cabra. Ao longo da fase-piloto do projeto PEFMED, testámos a metodologia PEF para laticínios na produção do queijo Feta. A partir destes testes, desenvolvemos recomendações e propostas significativas para o tornar num produto fiável e representativo desta categoria específica de produtos. "

Ioannis Vastardis, diretor de operações da área dos laticínios, Delta Foods S.A.

O setor agroalimentar desempenha um papel essencial no bem-estar económico e social dos países mediterrânicos. Infelizmente, este setor tem uma pegada ambiental significativa. Com a sustentabilidade a tornar-se cada vez mais importante, tanto para os governos como para os consumidores, o setor tem de se adaptar. 

Desenvolvida pela Comissão Europeia em 2013, a PEF consiste num método harmonizado para quantificar o impacto ambiental de um produto ao longo do seu ciclo de vida — do cultivo ao processamento, transporte, consumo e eliminação.

Uma ferramenta por medida para melhorar o setor agroalimentar

O método PEFMED combina a PEF da UE com uma ferramenta exclusiva de indicador de desempenho socioeconómico (SE-KPI). Desenvolvida pela parceira de projeto DNV GL, esta ferramenta é usada para identificar os pontos em que uma empresa pode melhorar em questões socioeconómicas, tais como direitos humanos, condições laborais, saúde e segurança, herança cultural e administração. Para além disso, a ferramenta pode ser personalizada para ir de encontro às necessidades específicas dos trabalhadores, das comunidades locais, dos consumidores e de outras partes interessadas.

O método PEFMED foi testado em nove cadeias e grupos de produtos agroalimentares mediterrânicos: 

  • Queijo: Lombardia, Itália; Tessália, Grécia; e Eslovénia Ocidental, Eslovénia
  • Carne curada: Catalunha, Espanha
  • Azeite: Andaluzia, Espanha; e Provença-Alpes-Côte d'Azur, França
  • Vinho: Apúlia, Itália
  • Forragem: Alentejo, Portugal
  • Água engarrafada: Auvérnia-Ródano-Alpes, França 

Com base nos resultados destes testes, os investigadores do projeto desenvolveram um plano empresarial sustentável que cada empresa participante pode usar para implementar melhorias ambientais e socioeconómicas. Os planos pormenorizam o modo como as soluções podem ser integradas na estratégia da empresa e incluem informações sobre tempos, custos e vantagens.

Impacto abrangente

Para além da ferramenta SE-KPI, a parceira de projeto CRITT desenvolveu uma ferramenta exclusiva para calcular a PEF do azeite e da água embalada. Depois de uma breve explicação sobre a respetiva utilização, as empresas podem incorporar as ferramentas na sua estratégia de gestão. Ambas as ferramentas estão disponíveis, a título gratuito, na plataforma wiki PEFMED. 

No total, 56 empresas (nove fabricantes de produtos finais e fornecedores) estiveram envolvidas na fase-piloto do PEFMED. Com o apoio de federações agroalimentares regionais, tais como Federalimentare, FIAB, FIPA, GZS, ANIA e SEVT, o método PEFMED e os respetivos benefícios serão alargados a mais de 100 empresas na região mediterrânica através de eventos de divulgação, sessões de formação e workshops transnacionais. 

Ligações

Investimento total e financiamento da UE

O investimento total para o projeto «PEFMED – Uptake of the Product Environmental Footprint across the MED agri-food regional productive systems to enhance innovation and market value» é de 2 438 360 EUR, com uma contribuição de 2 072 606 EUR do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do Programa de Cooperação Transnacional «Mediterrâneo» para o período de programação 2014-2020.