Utilizar as artes para envolver as pessoas no combate às alterações climáticas

Sete cidades europeias estão a aproveitar o poder das artes e da cultura para informar as pessoas sobre as alterações climáticas e sobre o que podem fazer para ajudar.

Outras ferramentas

 
URBACT Secretariat/ Manchester (2019) ©The Roadmap to zero carbon 2038. URBACT Secretariat/ Manchester (2019) ©The Roadmap to zero carbon 2038.

" A cultura está no ADN de Manchester. Compreendemos o valor que a cultura acrescenta ao nosso bem-estar, prosperidade e vitalidade enquanto cidade. O setor das artes e da cultura tem um papel amplamente reconhecido a desempenhar na contribuição para todas as prioridades da cidade. "

Dave Moutrey, Diretor da divisão de cultura de Manchester, Conselho Municipal

Responsáveis por produzir mais de 70 % das emissões mundiais de gases com efeito de estufa, as cidades são um fator importante no aumento das temperaturas. Para que a Europa possa concretizar o seu objetivo climático de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em 40 % até 2030 em relação aos níveis de 1990, deverá tornar suas cidades mais sustentáveis.

Enquanto projeto da Rede de Transferência URBACT, o C-Change está a ajudar seis cidades com elevada produção de carbono a mobilizar os setores das artes e da cultura como outra frente na luta contra as alterações climáticas. O resultado é uma redução média anual de CO2 de 7 %.

Evoluir a partir do MAST

O C-Change inspira-se na Equipa das Artes para a Sustentabilidade de (Manchester Arts Sustainability Team MAST) — uma rede de quase 30 organizações artísticas e culturais que contribuem ativamente para a estratégia e os objetivos de combate às alterações climáticas da cidade. A rede concentra-se na forma como as cidades podem utilizar as artes para envolver mais os cidadãos no combate às alterações climáticas.

A MAST tornou-se um dos exemplos mais bem-sucedidos de Manchester — se não mesmo do Reino Unido — em termos de colaboração ambiental. Manchester pretende tornar-se uma cidade livre de emissões de carbono até 2038, 12 anos antes do objetivo nacional de 2050.

Agora, o projeto C-Change pretende replicar este sucesso em Wrocław (Polónia), Mântua (Itália), Gelsenkirchen (Alemanha), Šibenik (Croácia) e Águeda (Portugal). Estas cidades não só estão a sofrer o impacto das alterações climáticas — em conjunto, produzem cerca de 9 milhões de toneladas de CO2 — como também partilham um compromisso com a arte, a cultura e a criatividade.

Partilhar boas práticas

As seis cidades participantes estão a retirar ensinamentos e a inspirar-se no sucesso de Manchester com a colaboração cultural em matéria de clima. Partilham boas práticas sobre a forma de aproveitar o poder das artes e da cultura para informar as pessoas sobre as alterações climáticas e sobre o que podem fazer para ajudar.

O projeto está a promover ações de formação sobre o tema do carbono. Esta medida tem por base o princípio de que os habitantes que conhecem o impacto que o carbono tem nas suas ações quotidianas conseguem tomar decisões informadas sobre as opções mais eficientes em termos de energia e recursos à sua disposição, sublinhando a necessidade de uma mudança substancial de mentalidade e de comportamento.

Além deste trabalho com os cidadãos, o projeto envolve as autoridades locais no desenvolvimento de estratégias climáticas. Por exemplo, em Mântua, cinco trabalhadores da cidade concluíram recentemente a sua primeira formação em literacia carbónica. Os participantes incluíram cinco funcionários públicos de vários departamentos e 25 pessoas de outros setores da sociedade.

Uma abordagem única

A abordagem única do projeto C-Change para atenuar as alterações climáticas tem-se mostrado eficaz. Em menos de dois anos, Manchester registou uma redução de 7 % das emissões de CO2. Como resultado, os organizadores do projeto estão a expandir a estratégia para outras cidades.

O projeto foi implementado ao abrigo do URBACT, o programa de Cooperação Territorial Europeia que visa promover o desenvolvimento urbano sustentável e integrado em cidades de toda a Europa, utilizando recursos e competências para fortalecer a capacidade dos municípios de fazer melhorias em quatro áreas: governação, ambiente, inclusão e economia.

Investimento totale e finanziamento dell’UE

L’investimento totale per il progetto «C-Change Network» è di 600 000 EUR, con un contributo del Fondo europeo di sviluppo regionale dell’UE di 449 234 EUR attraverso il programma operativo «URBACT III» per il periodo di programmazione 2014-2020. L’investimento rientra nelle priorità «Cambiamento democratico» e «Unione in materia di energia e clima».

Data do projecto

11/08/2020