Utilizar as redes sociais para melhorar a participação dos cidadãos nas cidades europeias

Cidades de toda a Europa estão a utilizar as redes sociais para estabelecer contactos com os cidadãos e colaborar na melhoria dos espaços, recursos e serviços urbanos.

Outras ferramentas

 
Interactive Cities Transnational Meeting with all city partners in Tartu, Estonia. ©URBACT Secretariat/ URBACT (2017) Interactive Cities Transnational Meeting with all city partners in Tartu, Estonia. ©URBACT Secretariat/ URBACT (2017)

" Não recorremos ao URBACT pelo dinheiro, mas pelo método — o facto de o programa nos fazer trabalhar de forma integrada com todas as partes interessadas a nível local. "

Gianluca Saba, chefe da divisão de relações internacionais, Município de Génova

As redes sociais podem ser um meio poderoso de contacto, participação e colaboração das administrações públicas locais com os seus cidadãos. A chave é saber como utilizá-las corretamente. Para ajudar, o projeto Cidades Interativas, financiado pelo URBACT, trabalhou com 10 cidades na utilização de ferramentas digitais para melhorar a governação urbana.

O resultado é uma caixa de ferramentas de soluções e estratégias digitais que podem ser utilizadas por cidades de todas as dimensões para se conectarem com os cidadãos e facilitar a colaboração numa série de iniciativas.

Resultados notáveis

As cidades participantes foram Génova e Palermo (Itália), Varna (Bulgária), Alba Iulia (Roménia), Debrecen (Hungria), Tartu, (Estónia), Gante (Bélgica), Paris (França), Lisboa (Portugal) e Múrcia (Espanha). O projeto ajudou cada uma destas cidades a levar a cabo uma auditoria abrangente às redes sociais e ferramentas digitais atualmente utilizadas e a identificar outras.

Analisaram vários programas ou serviços da administração pública que carecem da participação dos cidadãos e exploraram o modo como as ferramentas das redes sociais podem ser utilizadas para ajudar a resolver este problema.

A iniciativa obteve alguns resultados notáveis. Por exemplo, Alba Iulia melhorou a utilização de plataformas e páginas em linha, incluindo Facebook e Twitter, para receber comentários e reclamações e encaminhá-los para os departamentos pertinentes. Na mesma linha, Tartu desenvolveu um sistema em linha que permitia aos cidadãos participar em reuniões virtuais, bem como debater e comentar aspetos como planos de desenvolvimento urbano.

Em Varna, foi desenvolvido um protótipo de uma aplicação que consiste num guia turístico interativo da cidade. A aplicação ajuda os turistas a obterem informações sobre, por exemplo, a história de um monumento e a cultura da cidade.

Por outro lado, Palermo está a desenvolver um novo plano de mobilidade para a sua área protegida pela UNESCO. Com o apoio do projeto, a cidade utilizou canais de comunicação digital e as redes sociais para uma melhor articulação com as partes interessadas. Como resultado, muitas iniciativas públicas contam com um forte apoio público.

Uma caixa de ferramentas de soluções digitais

O projeto Cidades Interativas criou uma série de ferramentas úteis para outras cidades, incluindo um conjunto de boas práticas e um roteiro sobre como implementar a governação urbana digital. Existe também uma caixa de ferramentas de serviços digitais para ajudar outras cidades a aumentar a sensibilização e a participação dos cidadãos em iniciativas urbanas.

O projeto foi implementado ao abrigo do URBACT, o programa de Cooperação Territorial Europeia que visa promover o desenvolvimento sustentável e integrado em cidades de toda a Europa, utilizando recursos e competências para fortalecer a capacidade dos municípios de fazer melhorias em quatro áreas: governação, ambiente, inclusão e economia.

Investimento total e financiamento da UE

O investimento total para o projeto «Cidades Interativas» é de 716 745 EUR, com uma contribuição de 549 820 EUR do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do Programa Operacional «URBACT III» para o período de programação 2014-2020.

Data do projecto

11/11/2020