Panorama 74: Financiamento das PME na transição ecológica e digital pós-COVID-19

Outras ferramentas

 
18/11/2020

Estamos a atravessar um período tormentoso em mar revolto e uma crise sanitária, social e económica sem precedentes. As pequenas e médias empresas foram fortemente afetadas. Juntamente com os Estados-Membros, a Comissão Europeia respondeu a estas necessidades emergentes de uma forma muito flexível, adaptando a legislação da UE e facilitando o financiamento das empresas europeias para as ajudar a sobreviver.  

Para alcançar a recuperação e uma economia forte e inclusiva, é evidente que temos de retomar rapidamente o crescimento económico. É igualmente óbvio que temos de nos tornar uma sociedade mais forte, mais resiliente e mais inclusiva. O desafio consiste em conceber um apoio financeiro e prático adaptado para o crescimento económico com base no duplo objetivo da transição ecológica e digital, para reconstruir a convergência entre todos os países da UE.

O objetivo consiste em investir nas empresas para as ajudar a crescer e criar valor comum. Os fundos da UE pretendem ajudar as empresas a encontrar soluções inovadoras para os desafios sociais, que coincidam com os objetivos de prosperidade e empresariais.

Algumas empresas exploraram a fronteira entre objetivos e lucro, procurando fazer o que está certo e, simultaneamente, desenvolver uma justificação económica e concretizá-la. Tanto as empresas públicas como privadas podem servir uma finalidade social e tirar o máximo partido dos lucros. As decisões empresariais têm impacto nos trabalhadores, nos clientes, nos fornecedores, na comunidade e no ambiente. As empresas têm de desempenhar um papel ativo na transição ecológica e digital.

Ambição e inovação

Na crise atual, os empresários precisam ainda mais de segurança e de apoio financeiro e prático. A situação atual também nos dá a oportunidade de repensar o modo de funcionamento das empresas. O financiamento da UE tem por objetivo motivar e apoiar os empresários a introduzir mudanças mais ambiciosas e modelos de negócio inovadores que maximizem os lucros e criem valor comum. Qual é, então, o melhor instrumento para este fim: empréstimos ou subvenções? 

Por um lado, instrumentos financeiros como os empréstimos, as garantias e o capital representam uma oportunidade de colaboração público-privada, abrindo caminho para catalisar o capital privado, transformando-o em investimento de grande impacto. As exigências financeiras são grandes e as dívidas dos governos alcançaram máximos históricos para fazer face à crise da COVID-19. As verbas públicas podem não ser suficientes. Os instrumentos financeiros dos fundos da UE podem desencadear investimento privado ao partilharem o risco com investidores, com o objetivo de reforçar o financiamento para os empresários. 

Por outro lado, as PME têm sido as mais afetadas. As subvenções da UE podem prestar o apoio necessário para reconstruir e implementar novos modelos de negócio neste período de incerteza. 

A junção destes trunfos pode criar uma nova oportunidade. Uma combinação de instrumentos financeiros e subvenções pode tirar partido das vantagens oferecidas por cada um dos instrumentos, proporcionando um mecanismo de financiamento muito eficaz para a transição ecológica e digital.

Alcançar o crescimento económico

Os empresários também poderão precisar deste apoio prático ao adaptar os modelos de negócio para «fazer bem, fazendo o bem». Os papéis de assessoria, assistência e reforço de capacidades são componentes cruciais dos instrumentos financeiros bem-sucedidos e aumentam ainda mais a eficiência e a eficácia do financiamento.    

Aliados às subvenções, estes instrumentos financeiros podem prestar apoio financeiro e prático personalizado para a recuperação e o crescimento com base do duplo objetivo da transição ecológica e digital. As empresas motivadas por objetivos farão um contributo determinante para uma economia ao serviço dos cidadãos e criadora de postos de trabalho, crescimento e investimento.

Ao repensar o modo de funcionamento das empresas, podemos ajudar a resolver os grandes problemas do nosso tempo. Dispomos da capacidade, da tecnologia e dos recursos para construir uma sociedade forte e resiliente — e, assim, criar crescimento económico.

Katerina Fortun, Analista de política, DG REGIO

Panorama 74: Latvia building bridges to strengthen regional growth

Notícias