Índice
Procurar no guia

Ação-chave 1 : Mobilidade individual para fins de aprendizagem

Quais são as Ações apoiadas?

Esta Ação-chave apoia: 

  • Projetos de mobilidade nos domínios da educação, da formação e da juventude;
  • Mestrados Conjuntos Erasmus Mundus;
  • Empréstimos para Mestrado Erasmus+.

Prevê-se que as Ações apoiadas ao abrigo desta Ação-chave produzam efeitos positivos e duradouros para os participantes e organizações participantes envolvidas, bem como para os sistemas de políticas em que as atividades estão enquadradas.

Relativamente aos estudantes, estagiários, aprendizes/formandos e jovens, as atividades de mobilidade apoiadas ao abrigo desta Ação-chave visam produzir os seguintes resultados:

  • melhor desempenho da aprendizagem;
  • maior empregabilidade e melhores perspetivas de carreira;
  • maior espírito de iniciativa e empreendedorismo;
  • maior autocapacitação e autoestima;
  • melhores competências a nível de línguas estrangeiras;
  • maior sensibilização para a interculturalidade;
  • participação mais ativa na sociedade;
  • maior consciência do projeto europeu e dos valores da UE;
  • maior motivação para participar, no futuro, na educação ou formação (formal/não-formal) após o período de mobilidade no estrangeiro.

Relativamente ao pessoal, aos animadores de juventude e aos profissionais envolvidos nos domínios da educação, da formação e da juventude, as atividades de mobilidade deverão produzir os seguintes resultados:

  • melhores competências ligadas aos respetivos perfis profissionais (ensino, formação, animação de juventude, etc.);
  • compreensão mais ampla das práticas, das políticas e dos sistemas nos domínios da educação, da formação ou do trabalho da juventude em todos os países;
  • maior capacidade para desencadear mudanças em prol da modernização e da abertura internacional no âmbito das respetivas organizações educativas;
  • maior compreensão das interligações, respetivamente, entre a educação formal e não-formal, a formação profissional e o mercado de trabalho;
  • melhor qualidade do respetivo trabalho e das respetivas atividades em prol dos estudantes, estagiários, aprendizes/formandos, alunos, aprendentes adultos, jovens e voluntários;
  • maior compreensão e capacidade de resposta face à diversidade social, linguística e cultural;
  • maior capacidade para abordar as necessidades dos desfavorecidos;
  • maior apoio a e promoção de atividades de mobilidade para aprendentes;
  • maior número de oportunidades de desenvolvimento profissional e de evolução na carreira;
  • melhores competências a nível de línguas estrangeiras;
  • maior motivação e satisfação no respetivo trabalho quotidiano.

Prevê-se que as atividades apoiadas ao abrigo desta Ação produzam também os seguintes resultados a nível das organiza-ções participantes:

  • maior capacidade de atuação a nível da UE/internacional: melhores capacidades de gestão e estratégias de internacionalização; reforço da colaboração com parceiros de outros países; aumento dos recursos financeiros afetados (fundos que não os da UE) à organização de projetos da UE/internacionais; maior qualidade na preparação, execução, monitorização e acompanhamento de projetos da UE/internacionais;
  • método de atuação aperfeiçoado e inovador orientado para os grupos-alvo, proporcionando, por exemplo: programas mais aliciantes para os estudantes, estagiários, aprendizes/formandos, jovens e voluntários, em conformidade com as respetivas necessidades e expectativas; melhores qualificações do pessoal docente e dos formadores; processos aperfeiçoados de reconhecimento e validação das competências adquiridas durante os períodos de aprendizagem no estrangeiro; atividades mais eficazes em benefício das comunidades locais; práticas e métodos aperfeiçoados de animação de juventude de forma a envolver ativamente os jovens e/ou a abordar os grupos desfavorecidos, etc.;
  • um ambiente mais moderno, dinâmico, empenhado e profissional no seio da organização: preparado para integrar boas práticas e novos métodos nas atividades quotidianas; aberto a sinergias com organizações ativas em diversos domínios sociais, educativos e do emprego; com planeamento estratégico do desenvolvimento profissional do respetivo pessoal no que diz respeito às necessidades individuais e aos objetivos das organizações; se pertinente, capaz de atrair estudantes e pessoal académico de excelência oriundos de todas as partes do mundo.

Prevê-se que, a longo prazo, o efeito combinado dos milhares de projetos apoiados ao abrigo desta Ação-chave tenha impacto nos sistemas de educação, formação e juventude dos países participantes, estimulando assim reformas das políticas e atraindo novos recursos para oportunidades de mobilidade dentro e fora da Europa.