Representação em Portugal

Ciclo de debates económicos Economia Viva 2019

/portugal/file/economiavivapng_pteconomiaviva.png

Economia Viva 2019
copyright economiaviva

A Representação da Comissão Europeia em Portugal apoia o ciclo de debates económicos Economia Viva 2019. No programa participam oradores da Comissão:
Dia 12/2: The Productivity Paradox in Europe - Mary Veronica Tovsak-Pleterski, Diretora da Direção-Geral Assuntos Económicos e Financeiros
Dia 15/2: Trade Wars - Lars Nilsson, Vice-Economista-Chefe, da Direção-Geral Comércio

Data: 
11/02/2019 - 18:00 - 15/02/2019 - 20:00

O Economia Viva é uma iniciativa conjunta dos estudantes do Nova Economics Club (NEC), da NovaSBE e da Nova Students Union, que já vai na 4ª. Edição.

Os cinco debates temáticos com vários peritos convidados versarão sobre domínios políticos que estão no topo da agenda económica e social da Comissão Juncker, designadamente: a produtividade na Europa; o comércio internacional, o euro e a União Económica e Monetária; a sustentabilidade do setor da saúde, e a inteligência artificial.

O Programa completo do ciclo de conferências pode ser consultado neste sítio Web, onde poderá também efetuar a sua inscrição.

Contexto:

O Semestre Europeu constitui um quadro para a coordenação das políticas económicas dos países da União Europeia, permitindo-lhes debater os seus planos orçamentais e económicos e acompanhar os progressos realizados em determinados momentos do ano. Neste contexto, serão publicados no final de fevereiro pela Comissão Europeia os Country Reports de 2019.

O Relatório relativo a Portugal incluirá a apreciação aprofundada da prevenção e correção dos desequilíbrios macroeconómicos, bem como uma avaliação dos progressos realizados em matéria de reformas estruturais, prevenção e correção dos desequilíbrios macroeconómicos, e execução das Recomendações Específicas por País. Em 2019, um dos vários temas em destaque será a produtividade na economia portuguesa.

O Conselho da União Europeia, em setembro de 2016, emitiu uma recomendação sobre a criação de conselhos nacionais de produtividade. A recomendação fazia parte do pacote de outubro de 2015 da Comissão Europeia de medidas que dão substância ao chamado relatório dos cinco presidentes sobre o desenvolvimento da União Económica e Monetária da UE. O referido pacote foi aprovado pelo Conselho Europeu em 28 de junho de 2016.

A recomendação do Conselho sobre a criação de conselhos nacionais de produtividade dirige-se aos Estados-Membros da área do euro. Também incentiva outros estados membros da UE a criar órgãos semelhantes.

Ligações úteis:

Referências:

Brynjolfsson et al. (2017) «Artificial Intelligence and the Modern Productivity Paradox: A Clash of Expectations and Statistics» 

Cette, G., Fernald, J., and B. Mojon (2016), «The pre-Great Recession slowdown in productivity», European Economic Review 88, pp. 3-20;

Gordon, R. J. (2015), «Secular Stagnation on the Supply Side: US Producivity Growth in the Long Run», Communications & Strategies, 1(100), 19-45

OECD (2016), «Technological slowdown, technological divergence and public policy: A firm level perspective»

Thum-Thysen & Raciborski (2017) «Determinants of trend TFP growth and key policies that influence it»