Apoio ao desenvolvimento económico

Cerca de 80 % das verbas da UE são canalizadas através dos cinco Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI), geridos em conjunto pela Comissão Europeia e pelos países da UE.

Até 2023, os FEEI criarão uma massa crítica de investimento nas principais áreas prioritárias da UE para dar resposta às necessidades da economia real, apoiando a criação de emprego e voltando a colocar a economia europeia no caminho do crescimento sustentável.

Os cinco fundos

Fundos Europeus Estruturais e de Investimento:

Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) – promove um desenvolvimento equilibrado entre as diferentes regiões da UE.
Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)

Fundo Social Europeu (FSE) – apoia projetos relacionados com o emprego em toda a Europa e investe no capital humano europeu (trabalhadores, jovens e pessoas que procuram emprego).
Fundo Social Europeu (FSE)

Fundo de Coesão (FC) – financia projetos no setor dos transportes e do ambiente nos países em que o rendimento nacional bruto (RNB) por habitante é inferior a 90 % da média da UE. No período de financiamento de 2014-2020, estes países são a Bulgária, a Croácia, Chipre, a Eslováquia, a Eslovénia, a Estónia, a Grécia, a Hungria, a Letónia, a Lituânia, Malta, a Polónia, Portugal, a República Checa e a Roménia.
Fundo de Coesão (FC)

Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER) – centra-se na resolução de problemas específicos com que se deparam as zonas rurais da UE.
Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER)

Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP) – ajuda os pescadores a adotar práticas de pesca sustentável e as comunidades costeiras a diversificar as suas economias, melhorando a qualidade de vida das populações costeiras.
Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP)

Gestão dos fundos

Todos estes fundos são geridos pelos países da UE através de acordos de parceria.

Cada país prepara um acordo, em colaboração com a Comissão Europeia, que define a forma como os fundos serão utilizados durante o período de financiamento em curso (2014-2020).

Os acordos de parceria conduzem a uma série de programas de investimento que canalizam o financiamento para as diferentes regiões e projetos nos domínios em causa.