Introdução

O termo «lúpulo» abrange os três grupos de produtos seguintes:

  • cones de lúpulo, frescos ou secos
  • lúpulo em pó ou em péletes
  • extratos de lúpulo

Na União Europeia, o lúpulo é cultivado em cerca de 2600 explorações agrícolas, que ocupam uma superfície de 26 500 ha, que corresponde a 60 % da superfície utilizada para a cultura do lúpulo a nível mundial.

O lúpulo é cultivado em 14 países da UE. Cerca de 17 000 hectares são utilizados para a cultura do lúpulo na Alemanha, o que representa 60 % da superfície da UE utilizada para esta cultura e cerca de um terço da superfície a nível mundial. Os outros principais produtores da UE são a Chéquia, a Polónia e a Eslovénia.

Em todo o mundo, mas sobretudo na Europa, a superfície afetada ao lúpulo tem vindo a diminuir. Uma das razões é o rendimento cada vez mais elevado do ácido alfa e a sua menor utilização na cerveja. O ácido alfa é o componente do lúpulo que confere vários sabores à cerveja, como o seu sabor amargo.

Produção

A UE produz anualmente cerca de 50 000 toneladas de lúpulo. A sua produção de ácido alfa é regularmente superior a 5000 toneladas.

A produção anual de lúpulo a nível mundial varia entre 80 000 e 100 000 toneladas, o que corresponde a entre 8000 e 10 000 toneladas de ácido alfa. A procura de ácido alfa é estimada em cerca de 8000 toneladas, com base no facto de ser necessário uma média de 4,1 g por hectolitro de cerveja. O teor de lúpulo varia em função do tipo de cerveja, nomeadamente do seu amargor, bem como da variedade de lúpulo utilizada. Devido aos avanços tecnológicos e à preferência crescente dos consumidores por cervejas menos amargas, o teor de lúpulo diminui de ano para ano (em 1995, era ainda de 6,3 g de ácido alfa por hectolitro). 

Embora a produção mundial de cerveja esteja a aumentar, a procura de ácido alfa não regista um aumento significativo. Dado que a oferta excede atualmente a procura, os preços médios no mercado de contratos do lúpulo e no mercado livre têm sido bastante baixos desde 2009.

Informações úteis

Relatórios sobre a colheita de lúpulo

DescarregarPDF - 98 KB
DescarregarPDF - 100.7 KB
DescarregarPDF - 99.3 KB

Comércio externo

A UE, sobretudo a Alemanha, é um dos centros do mercado mundial do lúpulo. No que respeita ao comércio externo, a UE tem sido tradicionalmente um exportador líquido. Nos últimos anos, o excedente ascendeu a cerca de 20 000 toneladas de equivalentes de cone. O principal comprador é a Rússia, seguida dos Estados Unidos e do Japão.

Todos os países da UE produtores de lúpulo, com uma exceção, fazem parte da Convenção internacional de produtores de lúpulo, que visa promover a partilha de informações, tanto entre produtores como entre os produtores e as outras partes interessadas do setor (comerciantes e fabricantes de cerveja).

Bases jurídicas

O Regulamento ( UE) n.º 1308/2013 relativo à organização comum de mercado estabelece as principais disposições jurídicas para o setor do lúpulo, atinentes à certificação, aos agrupamentos de produtores e às importações.

Informações úteis

Legislação da UE aplicável ao setor do lúpulo

Comités

Vários comités, compostos por representantes dos governos e presididos por um representante da Comissão Europeia, reúnem-se regularmente para assegurar que a responsabilidade da Comissão pela adoção de atos de execução é exercida sob o controlo dos países da UE.

O Comité para a organização comum dos mercados agrícolas debate assuntos como a evolução dos preços de mercado, a produção e o comércio na UE e nos países terceiros.