Inquérito Eurobarómetro

Desde 2007, a Comissão Europeia tem realizado frequentes inquéritos Eurobarómetro sobre os cidadãos da UE, a agricultura e a PAC. A Comissão utiliza estes inquéritos para avaliar o modo como o público perceciona a agricultura, a silvicultura e as zonas rurais da UE.

O inquérito mais recente foi realizado entre agosto e setembro de 2020, recolhendo mais de 27 200 respostas de cidadãos de todos os países da UE.

Eurobarómetro 2020: principais resultados

  • Importância da agricultura e das zonas rurais

Segundo o Eurobarómetro, 95 % dos inquiridos consideram que a agricultura e as zonas rurais são importantes para o futuro; mais de metade dos inquiridos (56 %) considera que são muito importantes.

  • Uma política em benefício de todos os cidadãos

Os cidadãos da UE têm vindo a ganhar cada vez mais consciência da existência a PAC: 73 % têm conhecimento da existência da política agrícola comum, em 2020, em comparação com 67 %, em 2017. Mais de três quartos dos europeus consideram que a PAC beneficia todos os cidadãos e não apenas os agricultores (76 % atualmente, em comparação com 61 % em 2017).

  • Desempenho, prioridades e realizações

O número de europeus que pensa que a UE está a desempenhar o seu papel no que se refere às principais prioridades da PAC aumentou. Em comparação com 2017, a perceção do desempenho da PAC em todos os domínios – incluindo a segurança do abastecimento alimentar, a segurança e a qualidade dos alimentos e a sustentabilidade – melhorou em, pelo menos, 5 pontos percentuais.

Segurança do abastecimento alimentar e segurança e qualidade dos alimentos

De acordo com o inquérito Eurobarómetro, 92 % dos cidadãos da UE consideram que garantir um abastecimento estável de alimentos à UE é uma prioridade importante; 62 % dos participantes no inquérito consideram que assegurar a produção de alimentos seguros e saudáveis de alta qualidade deve ser o principal objetivo da PAC.

No que se refere à compra de alimentos, o inquérito revelou que:

  • Os cidadãos da UE valorizam cadeias de abastecimento curtas – 87 % dos inquiridos consideram este fator importante quando compram alimentos. Consideram também importante que os alimentos sejam produzidos de uma forma que respeite as tradições e conhecimentos locais (87 %) e provenham de uma área geográfica que conhecem (81 %).
  • Embora 81 % considerem importante que os alimentos ostentem um rótulo que garanta a qualidade, o conhecimento dos rótulos de qualidade da UE permanece relativamente baixo, situando-se entre 14 e 20 %. A Comissão continua a promover os seus regimes de qualidade, por exemplo através da campanha de receitas inspiradas pelas indicações geográficas (IG).
  • O conhecimento atual do logótipo da agricultura biológica da UE por parte dos seus cidadãos aumentou: 56 % dos inquiridos reconhecem-no, o que representa um aumento de 29 % relativamente a 2017. Os cidadãos da UE consideram que os produtos biológicos são mais suscetíveis de cumprir regras específicas sobre pesticidas, fertilizantes e antibióticos (82 % dos inquiridos), mais respeitadores do ambiente (81 % do inquiridos) e produzidos com mais respeito pelo bem-estar dos animais (80 % dos inquiridos).

Apoio aos agricultores

De acordo com o Eurobarómetro, os cidadãos da UE reconhecem as múltiplas contribuições dos agricultores para a sociedade. As respostas mais frequentes dos participantes, quando questionados sobre as principais responsabilidades dos agricultores, incluem:

  • fornecer alimentos seguros e saudáveis de alta qualidade (54 %)
  • garantir o bem-estar dos animais de criação (30 %)
  • proteger o ambiente e combater as alterações climáticas (27 %)

90 % dos inquiridos consideram que o reforço da posição do agricultor na cadeia de abastecimento alimentar é uma prioridade importante e 70 % consideram que a PAC está a contribuir para este objetivo. Cerca de metade dos inquiridos (51 %) consideram que assegurar um nível de vida equitativo aos agricultores deve ser a principal prioridade da PAC. No que se refere ao apoio financeiro da PAC aos agricultores:

  • Cerca de metade dos cidadãos da UE (47 %) considera que o nível de apoio ao rendimento prestado aos agricultores é justo, ao passo que o número dos que consideram que o nível é demasiado baixo aumentou significativamente (39 % dos inquiridos em 2020, em comparação com 26 % em 2017).
  • São cada vez mais numerosos os que consideram que o apoio ao rendimento dos agricultores deve aumentar nos próximos dez anos – em 2020, 56 % são deste parecer, um aumento de 12 %, em comparação com 2017, e de 27 %, em comparação com 2007.

A agricultura da UE e o ambiente

O inquérito revela que as preocupações ambientais – como a luta contra as alterações climáticas, a proteção dos recursos naturais e o reforço da biodiversidade – são uma prioridade de importância crescente para os cidadãos da UE. Mais de metade dos inquiridos (52 %) considera que a principal prioridade da PAC deve ser a proteção do ambiente e a luta contra as alterações climáticas.

O Eurobarómetro revela uma sensibilização crescente dos cidadãos da UE para a interação entre a agricultura e o ambiente:

  • Embora 42 % considerem que a agricultura é uma das principais causas das alterações climáticas (um aumento de 29 %, em comparação com 2010), a maioria (55 %) considera que a agricultura já contribuiu de forma significativa para a luta contra o aquecimento global.
  • A maioria (69 %) concorda que os agricultores da UE têm de mudar a forma como trabalham a fim de combater as alterações climáticas – mesmo que isso torne a agricultura da UE menos competitiva. No entanto, 66 % estão preparados para pagar mais 10 % por produtos agrícolas produzidos de forma a limitar a sua pegada de carbono.
  • Cerca de sete em cada dez europeus consideram que a PAC está a contribuir para a gestão sustentável dos recursos naturais (70 %) e para a luta contra as alterações climáticas (69 %). Uma grande maioria dos inquiridos (92 %) manifestou-se a favor da continuação da concessão de subsídios aos agricultores cujas práticas agrícolas sejam benéficas para o clima e o ambiente.

Assegurar o futuro das zonas rurais

De acordo com o inquérito, oito em cada dez cidadãos da UE reconhecem a importância das prioridades de desenvolvimento rural da PAC:

  • 86 % consideram que incentivar os jovens a entrar no setor agrícola constitui um objetivo importante
  • 86 % reconhecem a importância de fomentar o investimento, o crescimento e as oportunidades de emprego na agricultura e no setor alimentar
  • 83 % consideram que alcançar um desenvolvimento territorial equilibrado em toda a UE é um objetivo importante
  • 80 % salientaram a importância do desenvolvimento da investigação e de soluções digitais para apoiar os setores agrícola e alimentar

Quando questionados sobre os aspetos positivos das zonas rurais atuais, os participantes mencionaram:

  • o ambiente e a paisagem (82 %)
  • o acesso a atividades culturais e de lazer (56 %)
  • os estabelecimentos de ensino (54 %)

Quanto ao modo como as zonas rurais evoluíram ao longo dos últimos dez anos, os participantes no inquérito salientaram:

  • como o aspeto que mais melhorou (55 % dos inquiridos), o «acesso à Internet de alta velocidade»
  • como o aspeto que mais se deteriorou (42 % dos inquiridos), as «oportunidades de emprego» (45 % dos inquiridos consideram que gerar crescimento e criar emprego nas zonas rurais deve ser a principal prioridade da PAC)

Atualidade