Objetivos dos regimes de qualidade da UE

A política de qualidade da UE visa proteger os nomes de produtos específicos, de modo a promover as suas características únicas associadas à sua origem geográfica e a modos de produção tradicionais.

Os nomes dos produtos podem beneficiar de uma «indicação geográfica» (IG) se tiverem uma relação específica com o local de produção. Graças às IG, os consumidores podem ter confiança e escolher produtos de qualidade e os produtores podem comercializar mais facilmente os seus produtos.

Os produtos que estão a ser considerados ou que foram reconhecidos como IG constam dos registos de produtos de qualidade, os quais incluem igualmente informações sobre as características geográficas e de produção de cada produto.

Reconhecidas como propriedade intelectual, as indicações geográficas desempenham um papel cada vez mais importante nas negociações comerciais entre a UE e países terceiros.

Outros regimes de qualidade da UE colocam a tónica nos processos de produção tradicionais ou em produtos fabricados em regiões com condições naturais difíceis, como as montanhas ou ilhas.

Indicações geográficas

As indicações geográficas estabelecem direitos de propriedade intelectual para produtos específicos cujas qualidades estão relacionadas com a área de produção.

As indicações geográficas consistem em:

O sistema de indicações geográficas da UE protege os nomes dos produtos oriundos de regiões específicas com qualidades específicas ou com uma reputação relacionada com o território de produção. As diferenças entre DOP e IGP estão ligadas principalmente à quantidade de matérias-primas do produto que devem provir da região em causa e à parte do processo de produção que deve realizar-se na mesma. As IG dizem respeito especificamente às bebidas espirituosas e vinhos aromatizados.

Denominação de origem protegida (DOP)

Os produtos registados como DOP são os que têm ligações mais fortes com o local em que são fabricados.

Logótipo da Indicação Geográfica Protegida

Produtos

Produtos alimentares e agrícolas, vinhos

Especificações

Todas as fases de produção, transformação e preparação devem ter lugar na região delimitada.

No que respeita aos vinhos, tal significa que as uvas devem provir exclusivamente da área geográfica onde são produzidos.

Exemplo

O azeite DOP Kalamata é produzido integralmente na região de Kalamata (Grécia), utilizando-se várias variedades de azeitona dessa área.

Rotulagem

– Obrigatória para produtos alimentares e agrícolas
– Facultativa para os vinhos


Indicação geográfica protegida (IGP)

A IGP realça a relação entre a região geográfica delimitada e o nome do produto sempre que uma qualidade específica, a reputação ou outra característica se deve essencialmente à sua origem geográfica.

Logótipo da indicação geográfica protegida (IGP)

Produtos

Produtos alimentares e agrícolas, vinhos

Especificações

Para a maioria dos produtos, pelo menos uma das fases de produção, transformação ou preparação deve ocorrer na região.

No que respeita aos vinhos, tal significa que pelo menos 85 % das uvas utilizadas devem provir exclusivamente da área geográfica onde são efetivamente produzidos.

Exemplo

O presunto IGP Westfälischer Knochenschinken é produzido na Vestefália por meio de técnicas ancestrais, mas a carne utilizada não provém exclusivamente de animais nascidos e criados nessa região específica da Alemanha.

Rotulagem

– Obrigatória para produtos alimentares e agrícolas
– Facultativa para os vinhos


Indicação geográfica para bebidas espirituosas e vinhos aromatizados (IG)

A IG protege o nome de uma bebida espirituosa ou de um vinho aromatizado originário de um país, região ou localidade sempre que uma qualidade específica, a reputação ou outra característica se deve essencialmente à sua origem geográfica.

Logótipo da indicação geográfica protegida (IGP)

Produtos

Bebidas espirituosas e vinhos aromatizados

Especificações

Para a maioria dos produtos, pelo menos uma das fases de destilação ou preparação ocorre na região. No entanto, não é necessário que as matérias-primas provenham da região.

Exemplo

O Irish Whiskey IG é fabricado, destilado e amadurecido na Irlanda desde o séc. VI. Porém, as matérias-primas não provêm exclusivamente da Irlanda.

Rotulagem

Facultativa para todos os produtos

Regulamentos relativos aos produtos alimentares e agrícolas

Regulamentos relativos aos produtos vitivinícolas

Regulamentos relativos às bebidas espirituosas

Regulamentos relativos aos vinhos aromatizados

Especialidade tradicional garantida

A especialidade tradicional garantida (ETG) salienta aspetos ligados às tradições tais como a forma como o produto é fabricado ou a sua composição, sem estar associada a uma área geográfica delimitada. Um produto registado como ETG fica protegido contra a falsificação e uma utilização indevida.

Logótipo da especialidade tradicional garantida (ETG)

Produtos

Produtos alimentares e agrícolas

Exemplo

A Gueuze ETG é uma cerveja tradicional obtida por fermentação espontânea. É geralmente produzida em Bruxelas (Bélgica) e arredores. Porém, tratando-se de uma ETG, o seu método de produção está protegido, mas a produção pode ocorrer noutra área.

Rotulagem

Obrigatória para todos os produtos

Regulamentos relativos aos produtos alimentares e agrícolas

Como se protegem os produtos

No âmbito do sistema de direitos de propriedade intelectual da UE, os nomes dos produtos registados como IG estão legalmente protegidos contra a imitação e a utilização abusiva na UE e em países terceiros com os quais tenha sido assinado um acordo de proteção específico.

As autoridades nacionais competentes de cada país da UE tomam as medidas necessárias para proteger os nomes registados no seu território ao abrigo de todos os regimes de qualidade. Devem igualmente prevenir e impedir a produção ou comercialização ilegais de produtos que utilizem um nome protegido.

Os nomes de produtos não europeus podem igualmente ser registados como IG se o país de onde provêm tiver um acordo bilateral ou regional com a UE que inclua a proteção mútua desses nomes.

Foram protegidos nomes de vários produtos (vinhos, produtos alimentares, vinhos aromatizados e bebidas espirituosas) produzidos em vários países fora da UE, como a Colômbia ou a África do Sul.

DescarregarPDF - 1.1 MB

Outros regimes

Produto de montanha

A menção de qualidade «produto de montanha» realça as especificidades de um produto fabricado em áreas de montanha com condições naturais difíceis.

Ao permitir uma melhor comercialização do produto, este reconhecimento constitui uma vantagem para os agricultores, mas garante também determinadas características ao consumidor.

Produtos

Produtos alimentares e agrícolas

Especificações

As matérias-primas e os alimentos para animais provêm de zonas de montanha. No que respeita aos produtos transformados, a produção deve igualmente ocorrer nessas zonas.

Regulamentos relativos aos produtos de montanha

Relatório: Rotulagem de produtos agrícolas e alimentares de agricultura de montanha


Produtos das regiões ultraperiféricas da UE

Nas regiões ultraperiféricas da UE, as atividades agrícolas enfrentam dificuldades específicas relacionadas com a distância e a insularidade, às quais acrescem condições geográficas e meteorológicas difíceis. Foi criado um logótipo específico para sensibilizar os consumidores para os produtos agrícolas provenientes das regiões ultraperiféricas da UE, i.e. Açores, Madeira, departamentos ultramarinos franceses (Guadalupe, Guiana Francesa, Reunião e Martinica) e ilhas Canárias.

Exemplo de logótipo para as regiões ultraperiféricas da UE

Produtos

Produtos alimentares e agrícolas

Especificações

Produção em regiões ultraperiféricas

Rotulagem

Exemplo de logótipo para produtos alimentares e agrícolas das regiões ultraperiféricas da UE

Regulamentos relativos aos produtos das regiões ultraperiféricas


Regimes de certificação voluntária

Os regimes de certificação voluntária a nível nacional ou geridos por operadores privados podem igualmente ajudar os consumidores a confiar na qualidade dos produtos que selecionam.

Para além dos regimes da UE, existe um grande número de regimes ou logótipos nacionais e privados relativos à qualidade alimentar que abrangem um vasto leque de iniciativas e funcionam entre empresas ou entre empresas e consumidores.

Em consulta com as partes interessadas, a Comissão Europeia elaborou orientações que ilustram melhores práticas para o funcionamento desses regimes.

Descarregar logótipos

DescarregarZIP - 3.7 MB
DescarregarZIP - 3.7 MB
DescarregarZIP - 3.7 MB

Atualidade