Vacinação

Gripe

A vacinação é fundamental para proteger as pessoas da gripe. Calcula-se que, na União Europeia, a vacinação contra a gripe sazonal evite até 37 000 mortes por ano.

A vacinação contra a gripe é altamente recomendada para os grupos de risco, nomeadamente idosos, mulheres grávidas e crianças e adultos com o sistema imunitário debilitado ou doenças crónicas, que são mais suscetíveis de desenvolver uma forma grave de doença.

Vacinas sazonais

Como o vírus da gripe sazonais muda todos os anos, as vacinas devem ser repetidas anualmente para assegurar a sua eficácia. Em 2014, a Comissão Europeia publicou um documento de trabalho com uma análise intercalar da situação da aplicação da Recomendação do Conselho sobre a vacinação contra a gripe sazonal, no qual convidava os países da UE a comprometer-se a vacinar anualmente contra a gripe sazonal 75% das pessoas pertencentes a grupos de risco.

Para garantir o acesso dos cidadãos a vacinas seguras e eficazes, a Comissão colabora com várias entidades:

Vacinas contra pandemias

Em caso de pandemia, a Comissão ajuda os países da UE a coordenar a sua resposta, nomeadamente mediante medidas relacionadas com a vacinação. Em 2009, por exemplo, participou na elaboração de estratégias nacionais de vacinação contra a pandemia de gripe H1N1 (ou gripe A).

Em 29 de março de 2019, 15 países da UE e a Comissão Europeia assinaram contratos-quadro com a empresa Seqirus para a produção e o fornecimento de vacinas contra a gripe pandémica no âmbito do acordo de contratação conjunta para a aquisição de contramedidas médicas. Estes contratos garantem, em primeiro lugar, o acesso dos cidadãos dos referidos países (que representam cerca de metade da população da UE) a vacinas contra a gripe pandémica, em caso de uma pandemia de gripe.

Informações adicionais:

Dado que uma vacina só pode ser desenvolvida depois de identificado o vírus (o que pode demorar vários meses), a Comissão, em conjunto com a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), tomou medidas para acelerar o processo de autorização de comercialização no caso de ser declarada uma pandemia.

A Comissão colabora também com a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) e outras partes interessadas, com vista a criar um sistema de monitorização eficaz dos efeitos indesejáveis logo que uma vacina começa a ser utilizada.