European Reference Networks

O trabalho das redes europeias de referência

Para reexaminar o diagnóstico e o tratamento de um doente, os membros de uma rede europeia de referência podem consultar, trocar informações e partilhar conhecimentos com outros membros da rede. Os coordenadores e outros responsáveis das redes europeias de referência convocam painéis consultivos «virtuais», compostos por médicos especialistas de diferentes áreas, utilizando uma plataforma informática específica e ferramentas de telemedicina.

Tratamento de doentes que sofrem de doenças raras ou complexas

As redes europeias de referência (RER) não estão diretamente acessíveis aos doentes. No entanto, com o consentimento do doente e em conformidade com as regras dos respetivos sistemas nacionais de saúde, as informações do doente podem ser encaminhadas pelo prestador de cuidados de saúde para o membro da rede europeia de referência adequada no seu país.

/health/file/26477_gascope.jpg

Colaboração para além do diagnóstico e do tratamento

  • Elaboração de orientações, formação, partilha de conhecimentos
  • Realização de estudos clínicos em grande escala para melhorar a compreensão das doenças
  • Desenvolvimento de novos medicamentos e dispositivos médicos, graças à recolha de dados médicos
  • Criação de novos modelos de cuidados de saúde, soluções e ferramentas de saúde em linha

Criar uma rede europeia de referência

A Comissão Europeia realizou um primeiro convite à apresentação de propostas para o desenvolvimento das redes europeias de referência em 2016. Seguir-se-á, nos próximos anos, o lançamento de concursos para a adesão de novos prestadores de cuidados de saúde às redes existentes, bem como para a constituição de novas redes.

Para ser reconhecida pela Comissão, uma rede europeia de referência deve preencher os seguintes requisitos:

  • contar com a participação de, pelo menos, dez prestadores de cuidados de saúde (membros da rede) estabelecidos em, pelo menos, oito países da UE
  • cada prestador de cuidados de saúde (membro da rede) deve ser aprovado pelo respetivo país
  • todos os membros devem ter conhecimentos especializados num determinado domínio ou sobre determinados tratamentos, doenças ou afeções
  • apresentar uma proposta de rede (logo que seja lançado o convite à apresentação de propostas de criação de redes europeias de referência)
  • satisfazer os critérios aplicáveis às redes e aos respetivos membros, estabelecidos na Decisão Delegada da Comissão sobre as redes europeias de referência
  • obter a aprovação dos membros, que é concedida pelo Conselho de Estados-Membros com base numa avaliação técnica independente da proposta

Informações úteis