Saúde em linha

Síntese

A saúde e os cuidados digitais dizem respeito às ferramentas e aos serviços que utilizam as tecnologias da informação e da comunicação (TIC) para melhorar a prevenção, o diagnóstico, o tratamento, a monitorização e a gestão de questões relativas à saúde, bem como para monitorizar e gerir os hábitos de vida com impacto na saúde. A saúde e os cuidados digitais são inovadores e podem melhorar o acesso aos cuidados e a qualidade desses cuidados, bem como aumentar a eficiência global do setor da saúde.

Construir o futuro digital da Europa

«Uma Europa Preparada para a Era Digital» é uma das seis prioridades políticas da Comissão para 2019-2024. Com base em iniciativas anteriores que reforçam a criação de um Mercado Único Digital, a transição digital deve beneficiar todos, colocando os cidadãos em primeiro lugar e criando novas oportunidades para as empresas. A saúde é um dos setores incluídos na agenda, tendo em conta os potenciais benefícios que os serviços digitais têm para oferecer aos cidadãos e às empresas neste domínio.

Comunicação de 2018 relativa à saúde e aos cuidados digitais

A Comunicação da Comissão sobre a transformação digital da saúde e dos cuidados, de abril de 2018, visa melhorar a digitalização dos setores da saúde e da prestação de cuidados.

A comunicação identifica três pilares em torno dos quais as atividades se basearão:

1.º pilar: Acesso seguro aos dados e partilha dos mesmos

Para facilitar o acesso aos cuidados de saúde transfronteiriços, a Comissão está a criar uma infraestrutura de serviços digitais de saúde em linha que permitirá o intercâmbio de receitas eletrónicas e de dados dos pacientes entre prestadores de cuidados de saúde. Os primeiros intercâmbios transfronteiriços começaram em 2019. O objetivo é a participação de todos os outros países da UE até 2025. A mais longo prazo, a Comissão está a trabalhar no sentido de criar um formato europeu de intercâmbio de registos de saúde eletrónicos que esteja acessível a todos os cidadãos da UE.

2.º pilar: Ligação e partilha de dados relativos à saúde para promover a investigação, o diagnóstico mais rápido e a melhoria da saúde

O segundo pilar da comunicação de 2018 pretende explorar o enorme potencial dos dados relativos à saúde para apoiar a investigação médica, com o objetivo de melhorar a prevenção, o diagnóstico, os tratamentos, os medicamentos e os dispositivos médicos.

3.º pilar: Reforço da capacitação dos cidadãos e dos cuidados individuais através de serviços digitais

Os serviços digitais podem dotar os cidadãos dos meios de que precisam para assumir um papel mais importante na gestão da sua própria saúde, proporcionando-lhes orientações de prevenção, incentivando-os a ter um estilo de vida mais saudável e permitindo-lhes gerir as doenças crónicas e enviar um feedback aos prestadores de cuidados de saúde. Os sistemas de saúde também beneficiarão de modelos inovadores de prestação de cuidados que utilizam a telessaúde e a saúde móvel para dar resposta à crescente procura de cuidados de saúde, ajudando na transição progressiva para sistemas de prestação de cuidados integrados e personalizados.