Archive:Produtos agrícolas

Dados extraídos em dezembro de 2014 e janeiro de 2015. Dados mais recentes: Mais informações do Eurostat, Principais quadros e Base de dados. Atualização prevista do artigo: março de 2017.
Gráfico 1: Produção das principais culturas agrícolas, UE-28, 2012 e 2013 (1)
(milhares de toneladas) — Fonte: Eurostat (apro_cpp_crop)
Gráfico 2: Produção de cereais, UE-28, 2013 (1)
(%, baseada em toneladas) — Fonte: Eurostat (apro_cpp_crop)
Quadro 1: Produção agrícola de culturas, 2013
(milhares de toneladas) — Fonte: Eurostat (apro_cpp_crop)
Gráfico 3: Produção de tomates, 2013
(milhões de toneladas) — Fonte: Eurostat (apro_cpp_crop)
Gráfico 4: Produção de maçãs, 2013
(milhões de toneladas) — Fonte: Eurostat (apro_cpp_crop)
Gráfico 5: Utilização de leite inteiro, UE-28, 2013 (1)
(%) — Fonte: Eurostat (apro_mk_pobta)
Quadro 2: Produção agrícola relacionada com animais, 2013
(1 000 toneladas) - Fonte: Eurostat (apro_mk_pobta) and (apro_mt_pann)

A Europa caracteriza-se por uma grande variedade de ambientes naturais, climas, condições económicas e práticas agrícolas, patente no vasto conjunto de produtos alimentares e de bebidas disponíveis para consumo humano e animal e na vasta gama de inputs para os processos não alimentares. Com efeito, os produtos agrícolas contribuem para a identidade cultural dos povos e regiões da Europa. .

Principais resultados estatísticos

Culturas

Em 2013, a EU-28 produziu 306 milhões de toneladas de cereais (incluindo arroz). Este foi o nível de produção mais elevado desde o pico de produção registado em 2008. A produção de cereais da UE-28, em 2013, foi superior em 20,9 milhões de toneladas à de 2012 (+7,3 %).

Em 2013, a UE-28 produziu 109,1 milhões de toneladas de beterraba sacarina, ou seja, menos 5,7 milhões de toneladas do que em 2012. A produção do outro principal tubérculo na UE-28 — a batata — ascendeu a 53,9 milhões de toneladas.

A produção de sementes de oleaginosas registou uma tendência ascendente nos últimos anos, principalmente devido à crescente utilização de sementes de oleaginosas na produção de bioenergia. As sementes de colza e de nabo silvestre, bem como de girassol, são os principais tipos de sementes de oleaginosas produzidos na UE-28. Em 2013, foram produzidos 21 milhões de toneladas de colza e de nabo silvestre, um volume superior ao registado em 2012 (+9,2 %). Comparativamente, em 2013 foram produzidos cerca de 9,2 milhões de toneladas de sementes de girassol em toda a UE-28.

O Gráfico 2 apresenta uma análise da produção de cereais na UE-28, em 2013. Quase metade (46,9 %) da produção total de cereais foi composta por trigo, enquanto cerca de um quinto do total foi composto por milho em grão e carolo de milho (21,4 %) e outro quinto foi de cevada (20.0 %).

Em 2013, a França e a Alemanha foram, de longe, os maiores produtores de cereais e de beterraba sacarina, representando, em conjunto, mais de metade da produção de beterraba sacarina da UE-28 (51,9 %) e quase dois quintos da sua produção de cereais (37,6 %) (ver Quadro  1), enquanto a sua percentagem conjunta na produção de sementes oleaginosas na UE-28 — abrangendo colza, nabo silvestre e sementes de girassol — ficou também perto de dois quintos (39,1 %).

A produção de batata esteve mais repartida pelos EU Estados-Membros da UE, registando a Alemanha o nível mais elevado de produção (17,9 % do total da UE-28), enquanto a Polónia, a França, os Países Baixos e o Reino Unido representaram, cada um, entre 13,2 % e 10,6 % do total.

Na UE-28, os produtos hortícolas mais importantes em termos de produção foram o tomate, a cebola e a cenoura. Em 2013, a produção total de tomate dos Estados-Membros da UE foi de 14,9 milhões de toneladas. A Itália e a Espanha foram os maiores produtores entre os Estados-Membros, com uma percentagem conjunta de 60,3 % da produção da UE-28.

Os frutos mais importantes em termos de produção na UE-28 foram as maçãs e as laranjas. A produção de maçãs foi comum na maior parte da UE, embora se tenha verificado um nível particularmente elevado de produção em vários Estados-Membros do Leste da UE, nomeadamente na Polónia. Com efeito, em 2013, a Polónia foi o principal produtor de maçãs na UE-28 e representou pouco mais de um quarto (25,6 %) a produção da UE-28. A Itália e a França foram o segundo e o terceiro maiores produtores de maçãs com 18,5 % e 17,4 % respetivamente.

Carne e leite

A produção de leite e produtos lácteos tem uma estrutura diversificada nos Estados-Membros da UE, quer em termos de dimensão das explorações e de efetivos leiteiros como de produção de leite propriamente dita. O Gráfico 5 mostra que, em 2013, 36,2 % do leite inteiro que foi utilizado na UE-28 foi transformado em queijo, seguindo-se a manteiga, em termos de percentagem (28,1 %); Quase um quarto do leite inteiro utilizado na UE-28 destinou-se a leite de consumo (12,1  %) ou a natas (12,0 %).

O Quadro apresenta resumidamente um conjunto de produtos agrícolas de origem animal. Em 2013, o total da recolha de leite de vaca na UE-28 elevou-se a cerca de 141 milhões de toneladas. A Alemanha e a França registaram as quantidades mais elevadas de recolha de leite de vaca em 2013, tendo também registado os níveis mais elevados de produção de manteiga e de queijo; juntos, os dois países contribuíram para 38 % a 46 % do total da produção destes três produtos lácteos na UE-28.

Na UE-28, a principal produção de carne foi a carne de suíno (21,9 milhões de toneladas em 2013), com um peso na produção quase três vezes superior à produção de carne de bovino (7,3 milhões de toneladas), a produção decarne de ovino na UE-28 foi relativamente modesta (0,7 milhões de toneladas).

Em 2013, um quarto (24,9 % ou quase 5,5 milhões de toneladas) da produção de carne de suíno da UE-28 proveio da Alemanha, sendo que os contributos mais elevados registados a seguir foram os da Espanha (15,6 %) e da França ( 8,8 %), embora os 7,7 % da Polónia e os 7,2 % da Dinamarca também mereçam destaque. Em 2013, pouco menos de um quinto (19,4  % ou 1,4 milhões de toneladas) da carne de bovino produzida na UE-28 teve origem em França, com a Alemanha (15,2 %), a Itália (11,8  %) e o Reino Unido (11,7 %) a serem os maiores exportadores que se lhe seguiram. A Irlanda registou uma percentagem relativamente elevada (7,1 %) da produção de carne de bovino na UE-28. Em 2013, o Reino Unido liderou a produção de carne de ovino (quase 0,3 milhões de toneladas), com 40,7  % da produção total da UE-28, seguido da Espanha (16,6 %), da França (11,2 %), da Grécia (8,5 %) e da Irlanda (8,1 %).

Fontes e disponibilidade de dados

As estatísticas anuais da produção de um conjunto de culturas específicas são abrangidas por Regulamentos do Conselho, embora os dados relativos aos frutos e produtos hortícolas sejam recolhidos no âmbito de diversos acordos informais com os Estados-Membros da UE.

As estatísticas sobre a produção vegetal dizem respeito à produção colhida. A produção agrícola de culturas corresponde à produção colhida e inclui as quantidades comercializadas, bem como as quantidades consumidas diretamente na exploração, as perdas e os resíduos da exploração agrícola, bem como perdas durante o transporte, a armazenagem e o acondicionamento. As estatísticas sobre produtos lácteos e cárneos são compiladas de acordo com a legislação europeia. A produção de leite abrange a produção na exploração de leite de vaca, ovelha, cabra e búfala. É feita uma distinção entre o leite recolhido pelas centrais leiteiras e a produção de leite na exploração agrícola. A recolha de leite constitui apenas uma parte da utilização total da produção de leite na exploração agrícola; o restante inclui, em geral, o consumo próprio, a venda direta, a transformação na exploração e alimentos para animais.

A produção de carne baseia-se na atividade dos matadouros no que se refere a carne própria para consumo humano. O peso da carcaça corresponde ao peso, a frio, do corpo do animal abatido, embora a definição exata varie consoante o animal em causa.

Contexto

Podem ser utilizadas informações sobre os produtos agrícolas para analisar a evolução nos mercados agrícolas, a fim de ajudar a fazer a distinção entre ciclos e padrões de produção em mudança. Estas estatísticas podem também ser utilizadas para estudar a forma como os mercados reagem às medidas políticas. Os dados sobre os produtos agrícolas fornecem igualmente informações do lado da oferta, que ajudam a compreender a evolução dos preços, a qual tem especial interesse para os comerciantes de produtos agrícolas e para os analistas políticos.

Em outubro de 2007, o Conselho adotou legislação que estabelece uma organização comum dos mercados agrícolas (Regulamento 1234/2007). O objetivo foi reduzir a quantidade de legislação no setor agrícola, melhorar a transparência legislativa e tornar a política agrícola mais facilmente acessível. Entre o início de 2008 e o início de 2009, a organização comum dos mercados agrícolas substituiu 21 mercados individuais relativos a vários produtos, tais como frutos e produtos hortícolas, cereais, carne, ovos, produtos lácteos, açúcar e vinho. Em 2003, 2008 e 2013 ocorreram amplas reformas da política agrícola comum (PAC). As reformas de dezembro de 2013 incluem quatro Regulamentos, incluindo o Regulamento 1308/2013 relativo a medidas associadas aos produtos agrícolas.

Ver também

Mais informações do Eurostat

Publicações

Principais quadros

Agricultural production (t_apro)
Crops products (t_apro_cp)
Milk and milk products (t_apro_mk)
Livestock and meat (t_apro_mt)
Regional Agriculture Statistics (t_agr_r)

Base de dados

Agricultural production (apro)
Crops products (apro_cp)
Poultry farming (apro_ec)
Milk and milk products (apro_mk)
Livestock and meat (apro_mt)

Secção especial

Metodologia / Metainformação

Fonte dos dados para os quadros e os gráficos (MS Excel)

Outras informações

  • As estatísticas da produção vegetal são regidas pelos seguintes atos normativos:
  • Regulamento 837/90 relativo às informações estatísticas a fornecer pelos Estados-Membros sobre a produção de cereais;
  • Regulamento 959/93 relativo à informação estatística a fornecer pelos Estados-Membros sobre produtos vegetais, exceto cereais.
  • Regulamento 543/2009 relativo às estatísticas da produção vegetal;
  • As estatísticas da produção de leite são regidas pelos seguintes atos normativos:
  • Diretiva 96/16/EC de 19 de março de 1996, relativa aos inquéritos estatísticos a efetuar no setor do leite e dos produtos lácteos.
  • Diretiva 2003/107/EC de 5 de dezembro de 2003, que altera a Diretiva 96/16/CE do Conselho;
  • As estatísticas dos efetivos pecuários e da carne são regidas pelos seguintes atos normativos:
  • Regulamento 1165/2008 de 19 de novembro de 2008, relativo às estatísticas sobre o efetivo pecuário e a carne e que revoga as Diretivas 93/23/CEE, 93/24/CEE e 93/25/CEE do Conselho.

Ligações externas