• Eventos

Notícias


<< Voltar à lista de notícias

Jovem farmacêutica portuguesa abraça uma nova vida na Suécia

Picture

Uma licenciatura com uma boa média e anos de formação não bastaram para que a jovem licenciada portuguesa Cláudia Batalha arranjasse um emprego que lhe permitisse tornar-se independente dos pais. Tudo mudou quando o irmão foi visitar a família e falou das oportunidades que encontrou no Luxemburgo, país onde vive. A jovem decidiu seguir os passos do irmão e procurar trabalho noutro país da UE. «Compreendi que vou ser sempre portuguesa, mas que também sou europeia», diz Cláudia.

Cláudia, natural de uma pequena cidade perto de Lisboa, havia feito todos os possíveis para encontrar trabalho em Portugal. Terminou o Mestrado em Ciências Farmacêuticas na Universidade de Lisboa em 2011, frequentou um estágio não remunerado e foi entregar pessoalmente o seu CV em todas as farmácias das cidades e vilas das redondezas.

«Estava desesperada! Tinha 24 anos, tinha um Mestrado, mas não tinha emprego e continuava dependente dos meus pais», diz-nos. Quando finalmente conseguiu arranjar trabalho, o ordenado era tão baixo que, aos 28 anos, ainda vivia em casa dos pais.

Quando o irmão veio a casa de férias, compreendeu que ele tinha um futuro no Luxemburgo, país onde decidira viver, «Ele fez-me compreender que não tínhamos a culpa de não haver oportunidades para nós e que estava na altura de eu olhar mais além».

 

O teu primeiro emprego EURES - o passaporte de Cláudia para uma nova aventura

«Os farmacêuticos não trabalham com documentos, trabalham com pessoas», afirma Cláudia (em primeiro plano na fotografia). No início, a ideia de se mudar para um país novo, em que a cultura podia ser muito diferente e onde teria de aprender uma nova língua, deixou-a preocupada. Mas quando viu o anúncio no portal EURES a pedir farmacêuticos para a Suécia, soube que tinha de dar o seu melhor.

Duas conselheiras EURES portuguesas, Cármen Lopes, no Centro de Emprego de Braga, em Portugal, e Glória Byström, através do Arbetsförmedlingen, o Serviço de Emprego Público da Suécia, colocaram os candidatos em contacto com a farmácia sueca, explica Cláudia. «Convidaram-nos a participar numa reunião com o empregador e com um farmacêutico português que está agora a viver e a trabalhar na Suécia.»

Para candidatos como Cláudia, uma reunião inicial como esta constitui um verdadeiro incentivo à confiança. «Era evidente que o recrutamento era um processo muito bem estruturado e que teríamos toda a ajuda e apoio necessários em todas as etapas da mudança, como a certificação, os cursos de línguas, os preparativos de viagem e a acomodação.» E um aspeto ainda melhor era que o emprego se enquadrava no programa sueco do Teu Primeiro Emprego EURES (YfEJ) e Cláudia, tendo menos de 35 anos, era elegível.

O apoio do programa O Teu Primeiro Emprego EURES é muito prático. O programa ajudou-a a pagar as viagens que teve de realizar para ir às entrevistas no norte de Portugal. Foi bem‑sucedida e as Conselheiras EURES ajudaram-na a obter a certificação das suas qualificações para trabalhar na Suécia. «A parte mais complicada do processo, compreender as regras e as especificações que regulam a prática da profissão num país diferente, toda a parte legal, foi tratada por elas», afirma Cláudia, bastante aliviada.

O obstáculo a ultrapassar seguidamente foi a barreira da língua. Inicialmente, foi-lhe dado acesso a cursos em linha. Depois de receber uma oferta de trabalho concreta, iniciou um curso intensivo de sueco, de 3 meses, em Portugal. O formador, o local e os livros foram disponibilizados pela equipa da EURES ao abrigo do programa YfEJ, «Sinceramente, nunca tinha recebido tanto apoio em todos os meus anos de estudo ou de trabalho», afirma Cláudia.

 

Fazer a mudança para uma nova casa

Os 3 meses pareceram passar rapidamente e chegou o dia de partir para o novo país. Os novos funcionários encontraram-se todos em Estocolmo para a parte final do processo, a obtenção do número de identificação pessoal sueco, o «personnummer». «Sem ele não é possível ter acesso aos cuidados de saúde, nem sequer abrir uma conta bancária», explica Cláudia. Os pedidos e a tramitação dos documentos foram organizados por Glória Byström e pelo departamento de RH do novo empregador.

Tal como diz Cláudia, «Podem imaginar a importância de ter um rosto amigo à nossa espera quando chegamos a uma cidade completamente nova. Nunca me senti sozinha nem perdida ao longo de todo o processo.»

Estão todos nos seus novos empregos desde o início de maio. «Continuamos a ter uma rede de apoio. Tenho uma reunião marcada com a Conselheira EURES de Falun, Lara Feller, e sempre que tenho uma dúvida envio um email à Glória ou à Cármen. Recebo sempre uma resposta cuidada e calorosa nos minutos seguintes.»

 

Como está a ser a sua adaptação?

A sua nova equipa de colegas é uma enorme vantagem para Cláudia, «Ajudam-me, ensinam-me e motivam-me a continuar a progredir.» E depois há a natureza, «É tão mais fácil viver em harmonia com a natureza aqui, e o ambiente é espetacular.

Estou a pensar fazer parte de um grupo que pratique uma atividade de lazer na zona onde resido. Gosto de correr e de andar de bicicleta, por isso, acho que me vou juntar a um grupo desportivo, o que é muito fácil de fazer aqui! Como preciso realmente de aperfeiçoar o meu sueco, estou sempre à procura de cafés Språk - cafés que disponibilizam um espaço a pessoas que querem encontrar-se com outras para praticarem a língua sueca.»

Embora sinta saudades de algumas coisas de Portugal (na maior parte dos dias, janta com a mãe via Skype), Cláudia não tem dúvidas de ter feito a escolha certa. «A altura certa chegou e surgiu uma ótima oportunidade! Tens de decidir não olhar para trás, mas sim para a frente, aceitar o desafio de construíres o teu próprio futuro e de controlares a forma como a tua vida se desenrola!»

Teria ela conseguido fazer tudo isto sem o apoio que recebeu do programa YfEJ? «Posso dizer com toda a certeza que saber, desde o início, que esta oportunidade de emprego fazia parte do YfEJ me deu a confiança necessária para deixar tudo o que tinha em Portugal e começar esta nova aventura. Sinto que finalmente tenho uma vida!»

 

Links relacionados

O teu primeiro emprego EURES, Suécia:

Serviços de Emprego da Suécia, Arbetsförmedlingen: O teu primeiro emprego EURES

Sítio Web da Comissão Europeia: O teu primeiro emprego EURES

O teu primeiro emprego EURES YouTube

Viver e trabalhar na Suécia

 

Informações adicionais

Encontrar um Conselheiro EURES

Condições de vida e de trabalho nos países EURES

Base de ofertas de emprego EURES

Serviços EURES para empregadores

Calendário de eventos EURES

Próximos Eventos em linha

A EURES no Facebook

A EURES no Twitter

A EURES no LinkedIn

A EURES no Google+

 

Declaração de exoneração de responsabilidade: Nem a EURES nem a Comissão Europeia assumem qualquer tipo de responsabilidade relativamente aos sítios Web de terceiros acima mencionados.

22/07/2016

<< Voltar à lista de notícias
 
declaração de exoneração de responsabilidade

Os artigos destinam-se a fornecer aos utilizadores do portal EURES informações sobre tópicos e tendências atuais e a promover a discussão e o debate. O seu conteúdo reflete necessariamente a posição da Autoridade Europeia Do Trabalho (ELA) a da Comissão Europeia. Além disso, nem a EURES nem a ELA assumem qualquer tipo de responsabilidade relativamente aos sítios Web de terceiros acima mencionados