• Eventos

Notícias


<< Voltar à lista de notícias

O futuro do trabalho: profissões jurídicas, sociais e culturais

A Previsão de Competências do Cedefop permite-nos imaginar como será o mundo laboral dentro de 10 anos através da previsão das tendências futuras em matéria de emprego. Na nossa nova série de artigos, debruçamo-nos sobre os possíveis desafios e alterações que enfrentarão determinadas profissões entre o momento presente e 2030.
Picture

O primeiro grupo de profissões objeto de investigação são os profissionais jurídicos, sociais e culturais e profissionais associados. Este grupo abrange profissionais das áreas do direito, das ciências sociais, da religião, das artes e do entretenimento. As profissões específicas incluem advogados, bibliotecários, curadores, economistas, jornalistas, padres, trabalhadores comunitários, fotógrafos e treinadores desportivos.

 

Factos essenciais

  • Estima-se que o crescimento do emprego no âmbito das profissões jurídicas, sociais e culturais seja de aproximadamente 29 % entre 2018 e 2030.

  • Prevê-se que 6,4 milhões de pessoas deixem os seus trabalhos no setor entre 2018 e 2030, resultando em 9,7 milhões de ofertas de trabalho que necessitarão de ser preenchidas a fim de fazer face à crescente procura.

  • Nesta área, as tarefas e competências mais importantes são a criatividade e resolução, a autonomia e a capacidade de reunir e avaliar informações.

  • Por norma, os trabalhadores são altamente qualificados e não se esperam alterações nesse sentido até 2030.

  • Muitas das profissões jurídicas, sociais e culturais dependem de financiamento público.

 

Tarefas e competências

As tarefas e competências fundamentais encontram-se enumeradas a seguir segundo uma ordem básica de importância geral:

 

  • Criatividade e resolução
  • Autonomia
  • Reunir e avaliar informações
  • Trabalho de equipa
  • Servir e assistir
  • Literacia
  • Vender e influenciar
  • Utilização das TIC
  • Ensinar, formar e treinar
  • Rotina
  • Gerir e coordenar
  • Numeracia
  • Destreza
  • Força
  • Utilização de máquinas

 

Quais são as tendências para o futuro?

  • Estima-se que sejam criados 3,3 milhões de postos de trabalho adicionais nestes setores entre 2018 e 2030.

  • O crescimento será mais baixo para os profissionais jurídicos, sociais e culturais (17 %) do que para os profissionais associados (42 %). (Contudo, é importante salientar que a dimensão reduzida da amostra em muitos países significa que estas percentagens devem ser encaradas com prudência).

  • É provável que os profissionais jurídicos, sociais e culturais e os profissionais associados venham a tornar-se altamente qualificados.

  • Entre 2018 e 2030, espera-se que a percentagem de profissionais e profissionais associados do setor com qualificações elevadas aumente de 65 % para 69 %.

 

Que fatores de mudança irão afetar as suas competências?

São várias as profissões que se inserem na designação de «profissionais jurídicos, sociais e culturais e profissionais associados» e, por isso, a forma como estas profissões são afetadas por fatores de mudança irá variar. No entanto, existem alguns padrões globais previstos para o período entre 2018 e 2030:

 

  • Avanços tecnológicos: O aumento da digitalização, da automatização e da utilização das TIC significa que os trabalhadores necessitarão de desenvolver competências diferentes e adaptar-se a diferentes tarefas laborais.

  • Financiamento público limitado: Muitas profissões, particularmente nas áreas dos serviços públicos, da arte e do entretenimento, dependem de financiamento público. As perspetivas de emprego relativamente a estas profissões serão afetadas na medida em que continuarão a verificar-se limitações ao nível dos orçamentos públicos.

  • Alteração demográfica: O envelhecimento da população na UE irá provavelmente criar uma maior procura de profissionais de apoio social; no entanto, é também provável que estas profissões sofram alterações como resultado das limitações orçamentais e das novas tecnologias.

  • Globalização: A crescente globalização irá aumentar a procura de trabalhadores que falem mais do que uma língua. Muitas das funções passarão por lidar com uma grande carga de trabalho a nível transfronteiriço.

  • Regulamentação ambiental: A crescente sensibilização para as questões ambientais e a necessidade de proteção ambiental irão criar novas áreas de regulamentação e uma procura de competências que permitam a redução da pegada carbónica.

  • Crescente automatização: Espera-se que a automatização tenha um impacto significativo nas profissões devido à possibilidade de automatização de tarefas, o que inclui comunicação, colaboração e pensamento crítico limitados. Os profissionais jurídicos, sociais e culturais e profissionais associados pertencem a um grupo profissional com um risco de automatização bastante baixo.

 

Como se podem satisfazer estas necessidades de competências?

Muitas das profissões deste grupo estão regulamentadas e os principais organismos profissionais desempenham o papel de garantir que os indivíduos são adequadamente qualificados para desempenhar as suas funções (por exemplo, através da especificação das competências específicas exigidas pelos trabalhadores em determinadas profissões). Existem várias redes que permitem a partilha de boas práticas entre os profissionais e profissionais associados (por exemplo, a Rede Social Europeia).

Garantir o desenvolvimento profissional contínuo dos trabalhadores existentes é um desafio comum. Dependendo da subprofissão específica, o desafio é maior para os profissionais que são em grande medida independentes (por exemplo, advogados) ou freelancers (por exemplo, jornalistas).

 

Informações adicionais:

Jornadas Europeias do Emprego

Drop’pin@EURES

Procurar Conselheiros EURES

Condições de vida e de trabalho nos países EURES

Base de ofertas de emprego EURES

Serviços da EURES para empregadores

Calendário de Eventos EURES

Próximos Eventos em linha

A EURES no Facebook

A EURES no Twitter

A EURES no LinkedIn

 

Declaração de exoneração de responsabilidade: Nem a EURES nem a Comissão Europeia assumem qualquer tipo de responsabilidade relativamente aos sítios Web de terceiros acima mencionados

05/03/2020

<< Voltar à lista de notícias
 
declaração de exoneração de responsabilidade

Os artigos de "Em foco..." destinam-se a fornecer aos utilizadores do portal EURES informações sobre tópicos e tendências actuais e a promover a discussão e o debate. Não reflectem necessariamente a posição da Comissão Europeia.