• Eventos

Notícias


<< Voltar à lista de notícias

Profissionais de saúde portugueses levam as suas competências para o norte da Noruega

Picture

Para um jovem casal de Lisboa, a vida nova na Noruega começou por uma formação nessa língua. Atualmente, estão a trabalhar, ela como analista de laboratório e ele como farmacêutico, numa cidade perto do Círculo Polar Ártico e têm uma filha com quase 2 anos que está a tornar-se rapidamente bilingue

A mudança da família de um extremo para outro da Europa teve início em abril de 2014. Bruno Rosa estava a visitar o sítio Web do IEFP, o serviço público de emprego português, quando viu um anúncio para o Dia da mobilidade dos profissionais de saúde - Lisboa. No evento, organizado pela EURES Portugal, descobriu a Vitusapotek, uma cadeia norueguesa de farmácias.

A sua mulher, Susana Góis, continua a história: «O Bruno enviou o CV para essa empresa. Estava à procura de uma nova oportunidade no estrangeiro, e a Noruega correspondia exatamente ao que pretendíamos como projeto familiar.»

 

Curso intensivo da língua

A Vitusapotek recrutou Bruno, um farmacêutico com experiência, mas insistiu que aprendesse primeiro norueguês. A empresa forneceu um curso em linha de norueguês de 9 meses, no qual Bruno tinha de completar três níveis. Contudo, Bruno considerou este processo de aprendizagem bastante duro e «solitário».

Susana começou então também a aprender norueguês ao lado do seu marido para apoio moral. «Pensamos que o mais importante quando se muda para um país diferente é aprender a língua, sobretudo quando se trabalha na área da saúde», observa Susana.

Passado pouco tempo, e com a ajuda da Conselheira EURES em Lisboa, Vera Marques, Susana juntou-se a um grupo de farmacêuticos recentemente recrutados para fazer o seu próprio curso, organizado pelo IEFP. «Deixei o meu emprego para seguir o curso presencialmente, num horário de seis horas por dia durante quatro meses, com um professor norueguês, nas instalações de Xabregas do IEFP em Lisboa. Era muito intensivo, com muitos trabalhos de casa, mas era mais fácil fazer progressos». Também aprendeu história e cultura da Noruega.

A mudança da família para Sandnessjøen foi feita em várias fases. Bruno ocupou o seu lugar de farmacêutico em maio de 2015, tendo ultrapassado as formalidades administrativas locais, e depois arranjou um apartamento com a ajuda do empregador. Susana seguiu-o pouco depois. Com alguma ajuda da nova empresa do seu marido, arranjou um emprego como analista biomédica no hospital local.

 

A instalação

«O Bruno e eu adoramos os nossos novos empregos aqui», afirma Susana, reconhecendo que têm de enfrentar alguns desafios e de continuar a estudar norueguês. Por exemplo, Bruno tem de receber algumas receitas pelo telefone, o que nem sempre é fácil quando o interlocutor fala depressa. Susana está ocupada a aprender todos os novos procedimentos laboratoriais.

«O que é positivo é que passamos mais tempo juntos como família do que em Lisboa: saio às 15h00 e o Bruno às 16h30», conta Susana. «Os noruegueses estão muito focados na família, e nós identificamo-nos com isso».

Susana e Bruno frequentam juntos algumas atividades locais, como o bowling e o montanhismo. A filha começou já também a perceber norueguês e a fazer novos amigos na creche.

 

Ligações úteis:

Serviço Público de Emprego português

Sítio Web da EURES Portugal

Página Facebook da EURES Portugal

Vitusapotek

Viver e trabalhar na Noruega

 

Informações adicionais:

Pesquisar Conselheiros EURES

Condições de vida e de trabalho nos países EURES

Base de ofertas de emprego EURES

Serviços da EURES para empregadores

Calendário de Eventos da EURES

Próximos Eventos em linha

A EURES no Facebook

A EURES no Twitter

A EURES no LinkedIn

A EURES no Google+

 

Declaração de exoneração de responsabilidade: Nem a EURES nem a Comissão Europeia assumem qualquer tipo de responsabilidade relativamente aos sítios Web de terceiros acima mencionados.

17/11/2015

<< Voltar à lista de notícias
 
declaração de exoneração de responsabilidade

Os artigos de "Em foco..." destinam-se a fornecer aos utilizadores do portal EURES informações sobre tópicos e tendências actuais e a promover a discussão e o debate. Não reflectem necessariamente a posição da Comissão Europeia.