Notícias sobre o portal

Ao compasso da carreira de sonho

O trabalho independente é uma via aliciante e popular a seguir. Permite a liberdade de seguir a ambição de uma vida, com poucas restrições. O trabalho independente não é, obviamente, um “mar de rosas” e os que tentam criar um negócio ou trabalhar em regime freelance necessitam, frequentemente, de aconselhamento durante o seu percurso.

A EURES pode fornecer aconselhamento específico a cada país e prestar apoio aos trabalhadores independentes, ao passo que os Conselheiros EURES podem colocar as pessoas em contacto com outros trabalhadores independentes bem posicionados para dar conselhos sobre os desafios e os aspectos administrativos deste modo de vida. Este tipo de apoio foi particularmente útil para Nykkö, um músico de 31 anos, agora estabelecido no norte da Inglaterra e a trabalhar como acompanhante freelance em dois coros diferentes e vários teatros.

Nykkö vivia e trabalhava em Bordéus como professor de órgão e teclado, mas estava em busca de mudança. Desejava mais independência para tentar coisas diferentes com a sua música, experimentar novas actividades e alargar a sua experiência. Decidiu que um período de trabalho no estrangeiro seria, de facto, a melhor maneira de o fazer e começou a procurar oportunidades.

Após informar-se sobre a EURES através do Serviço Público de Emprego local de Bordéus, contactou a Conselheira EURES Catherine Galharret para discutir as suas opções e informar-se melhor sobre as oportunidades no estrangeiro. Explorando os diferentes mercados na Europa, Nykkö foi informado por Catherine de que o Reino Unido oferecia boas oportunidades aos músicos. Com base na sua experiência, os empregadores no Reino Unido estão mais abertos a aceitar candidatos com base nas suas capacidades ou experiência passada, ao contrário do que sucede em França, onde as habilitações literárias são muito importantes na candidatura a emprego.

O que Nykkö precisava naquele momento era de uma forma de conhecer potenciais empregadores, pelo que decidiu “dar o salto” e mudar-se imediatamente para o Reino Unido. Catherine ajudou-o com os documentos administrativos necessários, nomeadamente para a segurança social. “Era óbvio que a Catherine sabia do que estava a falar; ela própria tinha trabalhado em diversos países diferentes, por isso sabia quais eram as questões mais importantes a resolver”, afirma Nykkö.

Nykkö estabeleceu-se no norte da Inglaterra e começou a procurar oportunidades. Hoje considera que tem trabalho suficiente para se manter, embora admita que as coisas começaram de forma lenta.

Os cortes económicos, bem como o desafio adicional de vir do estrangeiro, tornaram difícil a integração no mercado de música local. Inicialmente, instalou-se em Wellington, uma cidade dos Midlands, onde contactou a igreja local para perguntar se necessitavam de um organista. Embora a resposta tenha sido negativa, a igreja informou-o de uma oportunidade de ensino privado que acabou por aceitar. Enviou o CV para várias salas de concertos e criou um sítio web (www.musicalnykko.co.uk), conseguindo ainda participar em vários recitais em Sheffield e Manchester. Por fim, começou a receber um volume regular de trabalho.

“Foram meses difíceis, mas ao mesmo tempo pude gozar de liberdade total para analisar todas as opções. Também fiz questão de permanecer em contacto com a Catherine”. Nykkö estabeleceu ainda contacto com um Conselheiro EURES baseado em Birmingham, recomendado por Catherine.

Nykkö encara o seu futuro com optimismo. A sua experiência realça as dificuldades, mas também alguns dos benefícios de ser trabalhador independente. A EURES visa facilitar a vida destas pessoas, ajudando-as com os fardos administrativos e as incertezas, de forma a que tenham liberdade para utilizar os seus talentos ou ideias. Contudo, a determinação é também um factor muito importante, como claramente mostra a história deste jovem músico.

« Atrás