Notícias sobre o portal


A culpa é dos bagageiros!

Após concluir a sua licenciatura, Benoit Guillaume procurava inspiração quanto ao rumo a tomar. Uma conferência sobre oportunidades de emprego internacionais pareceu lhe um bom princípio. Num evento de recrutamento EURES, Benoit ouviu uma apresentação da conselheira EURES Elisabeth Cheneval: «Fiquei naturalmente entusiasmado com as oportunidades oferecidas pela EURES, uma vez que estava interessado em ir para o estrangeiro». Cativado pela sua descrição do trabalho dos Team Trackers, um centro de atendimento telefónico que se ocupa de «bagagens perdidas» sedeado em Praga, pensou que o seu momento tinha chegado.

Depois da apresentação, foi falar com Elisabeth e rapidamente se apercebeu de que tinha qualificações para a vaga no centro de atendimento telefónico e que estava praticamente pronto para partir. Pediu os contactos do centro e entrou em contacto com a empresa. Ficaram seguramente impressionados com a sua fluência em inglês e com a sua cortesia ao telefone, visto que lhe ofereceram o emprego. Pouco depois, estava a caminho de Praga – e a sua bagagem chegou intacta!

Benoit ficou de imediato satisfeito com a decisão tomada. «Tenho de admitir que fiquei fascinado com a cidade. As pontes e as torres e as ruas – é realmente magnífico, e a atmosfera é fantástica.» Felizmente para Benoit, a conselheira EURES Elisabeth tinha lhe dado algumas pistas sobre alojamento e ele conseguiu arranjar rapidamente um apartamento. «Fiquei numa pousada da juventude na primeira semana, mas, sabendo onde procurar, não foi muito difícil encontrar um apartamento.»

Benoit entrou rapidamente no mundo dos Team Trackers, com um curso de formação intensiva sobre o software «rastreio mundial» o sistema utilizado pelos localizadores de bagagem em todo o mundo. «O sistema era bastante complicado», mas, após a semana de formação, Benoit estava pronto para pegar no telefone.

O lugar de operador de telefone consistia, essencialmente, em responder a perguntas e receber reclamações de clientes da Air France que tinham perdido a bagagem. A missão da Team Trackers consistia em tentar localizar os seus pertences, contactando, para o efeito, os aeroportos pertinentes. Embora pareça simples, isto obriga a lidar com pessoas muito agitadas. Como, felizmente, é uma pessoa calma, Benoit não teve muitos problemas. «Às vezes recebíamos chamadas estranhas. Mas em geral seguíamos um procedimento que funcionava bem. Quando as pessoas estavam zangadas, procurávamos fazê las compreender que não éramos pessoalmente responsáveis pela sua perda e, a seguir, garantíamos lhes que íamos fazer tudo o que estivesse ao nosso alcance para recuperar a bagagem extraviada. Normalmente, esta atitude acalmava as.»

Segundo Benoit, o processo de localização da bagagem podia ser também bastante divertido. «Quando a bagagem é encontrada, os funcionários têm, naturalmente, de verificar o seu conteúdo. Em seguida, enviavam nos uma lista de artigos da bagagem para confirmarmos com os nossos clientes; deixe me dizer lhe que algumas pessoas levam coisas muito interessantes quando vão de férias! Deixo o resto à sua imaginação.»

Mas, aparentemente, a melhor parte desta experiência foi, para Benoit, a vida social e a magia de Praga. «Praga é uma cidade muito cosmopolita, mas tem também algo de verdadeiramente medieval», entusiasma se Benoit. «Viramos uma esquina e sentimo nos no século XI!»

A vida nocturna também não o desiludiu «As pessoas saem, literalmente, de segunda a domingo – o que não acontece em França». Talvez surpreendentemente, o nosso localizador de bagagens nem sequer ficou irritado com o volume significativo de excursões de finalistas que têm Praga como destino. «Realmente há muitas – parece que vêm todas para Praga. Mas também é divertido!»

Actualmente a fazer o mestrado, Benoit ainda não sabe para onde a vida o levará depois, mas tem a certeza de que irá de novo para o estrangeiro. «Penso que a minha experiência em Praga pode ser útil – ajudou me a arranjar um emprego temporário num centro de atendimento telefónico em França, no Verão passado, e penso que é um elemento importante do meu CV. Mas tenho a certeza de que vou voltar a Praga – aliás, vou lá passar o Ano Novo com um grupo de amigos, e mal posso esperar.» Naturalmente, com a variedade de opções que oferece em toda a Europa, a EURES é o sítio óbvio para Benoit começar a procurar a sua próxima aventura.

« Atrás