chevron-down chevron-left chevron-right chevron-up home circle comment double-caret-left double-caret-right like like2 twitter epale-arrow-up text-bubble cloud stop caret-down caret-up caret-left caret-right file-text

EPALE

Plataforma eletrónica para a educação de adultos na Europa

 
 

Recurso

Adultos pouco escolarizados: diversidade e interdependência de lógicas de formação.

Idioma: PT

Publicado por ANQEP EPALE

A presente investigação teve como principal objectivo a análise das lógicas de acção inerentes às ofertas de educação e formação, frequentadas por adultos pouco escolarizados. Neste trabalho, parte-se do princípio que a categoria social dos adultos pouco escolarizados engloba uma grande heterogeneidade, incluindo pessoas com idade, nível de escolaridade, situação face à actividade profissional e competências de literacia muito distintas. Na análise, tenta-se compreender de que modo as orientações políticas definidas a nível internacional (nível macro) e nacional (nível meso) influenciam as práticas de educação e formação de adultos, a nível local (nível micro). A análise da evolução da política de educação de adultos, a nível internacional e nacional, centrou-se em fontes documentais. A análise das lógicas de acção das ofertas de educação e formação frequentadas por adultos pouco escolarizados decorreu de um estudo de caso territorial, em cinco concelhos do Baixo Alentejo (Aljustrel, Castro Verde, Ourique, Almodôvar e Mértola). Na investigação analisa-se também a organização e funcionamento de três Centros de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, devido ao carácter recente e inovador desta oferta dirigida aos adultos pouco escolarizados. A análise da intervenção dos actores locais, responsáveis pela oferta de educação e formação de adultos, permitiu a elaboração de uma tipologia constituída por cinco tipos de lógicas: ortopedia social; qualificação individual; desenvolvimento organizacional; animação/ocupação de tempos livres e intervenção comunitária. Estas lógicas de acção influenciam a organização e funcionamento da formação, a mobilização dos adultos pouco escolarizados e os resultados. A análise do dispositivo dos Centros de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências permitiu-nos verificar a complexidade do reconhecimento, validação e certificação de competências e as tensões que lhe estão subjacentes, elementos que têm repercussões na organização e funcionamento do processo; nas metodologias, nos instrumentos, nas funções dos técnicos das equipas, nas representações e resultados do processo junto dos adultos.

Autor(es) do recurso: 
Cavaco, C.
Data de publicação:
Quinta-feira, 1 de janeiro de, 2009
Língua do documento
Tipo de recurso: 
Estudos e relatórios
País:
Share on Facebook Share on Twitter Epale SoundCloud Share on LinkedIn