Percurso de navegação

Outras ferramentas

  • Visualização pré-impressão
  • Reduzir texto
  • Ampliar texto

Siga-nos

Facebook

Poluição atmosférica e qualidade do ar

A má qualidade do ar resultante da poluição e das emissões põe em risco a saúde das pessoas e está na origem de muitas mortes prematuras na Europa.

A poluição atmosférica, que é prejudicial para os pulmões e as vias respiratórias e pode provocar asma, bronquite e doenças cardiovasculares, é uma grande preocupação para muitos europeus.

Apesar de uma melhoria geral da qualidade do ar, a poluição atmosférica por partículas finas e pelo ozono troposférico continua a estar na origem de muitas mortes prematuras e reduz a esperança de vida na UE, custando milhares de milhões de euros por ano em cuidados de saúde.

Os danos infligidos pela poluição atmosférica ao ambiente são múltiplos.

Substâncias como o dióxido de enxofre, os óxidos de azoto e o amoníaco estão na origem das chuvas ácidas, que poluem florestas, rios, lagos e outras áreas naturais.

A eutrofização é causada pelo aumento da quantidade de nutrientes azotados presentes na natureza, sendo um dos principais fatores na origem da perda de biodiversidade. Esses nutrientes invadem lagos e cursos de água, provocando a multiplicação descontrolada das algas e levando à morte de peixes e outras espécies selvagens.

O ozono troposférico é prejudicial para as florestas e as plantas selvagens, danificando-as e atrasando o seu crescimento, e reduz o rendimento das culturas.

A poluição atmosférica é, em grande parte, causada pelo setor da energia, os sistemas de aquecimento doméstico, as indústrias pesadas como a siderurgia ou as refinarias de petróleo, os transportes, a agricultura e o tratamento de resíduos.

A legislação europeia estabelece normas estritas em matéria de:

  • partículas em suspensão, que são partículas minúsculas com menos de uma fração de milímetro de diâmetro, provenientes, nomeadamente, dos transportes, da maior parte das formas de combustão e de determinados processos industriais
  • ozono troposférico, que se forma quando os óxidos de azoto e os compostos orgânicos voláteis reagem na presença da luz solar, o que constitui um problema especialmente no verão
  • compostos orgânicos voláteis emitidos por solventes, tintas e vernizes, escapes dos automóveis e estações de serviço
  • óxidos de azoto, nomeadamente o dióxido de azoto, gerados durante a combustão, por exemplo, pelos motores dos veículos ou as centrais termoelétricas
  • dióxido de enxofre resultante da queima de combustíveis fósseis
  • amoníaco (NH3) libertado pelos resíduos animais e pelos adubos
  • metais pesados provenientes de processos industriais, como a depuração de metais e a galvanoplastia, a incineração de resíduos e a combustão do carvão em centrais elétricas (mercúrio)
  • benzeno, um solvente industrial muito frequente emitido por fontes variadas, incluindo a atividade industrial, escapes dos veículos, estações de serviço e fumos da combustão da madeira e do tabaco