A política de multilinguismo

A Comissão Europeia promove a aprendizagem de línguas e a diversidade linguística em toda a Europa.

Porque é importante o multilinguismo?

O lema da UE «Unida na diversidade» simboliza o contributo essencial da diversidade linguística e da aprendizagem de línguas para o projeto europeu. 

As línguas unem as pessoas, dão acesso a outros países e culturas e reforçam a compreensão intercultural. O conhecimento de línguas estrangeiras desempenha um papel fundamental no reforço da empregabilidade e da mobilidade. O multilinguismo também contribui para a competitividade da economia europeia

A falta de competências linguísticas pode fazer com que as empresas percam contratos internacionais e dificulta a mobilidade de competências e talentos. No entanto, muitos europeus ainda acabam os estudos sem conhecimentos práticos de uma segunda língua. Por este motivo, a UE estabeleceu como prioridade a melhoria do ensino e da aprendizagem das línguas.

O que faz a UE para promover o multilinguismo?

Nas conclusões do Conselho sobre o multilinguismo e o desenvolvimento das competências linguísticas, os países da UE comprometeram-se a reforçar a cooperação no domínio do multilinguismo e a melhorar o ensino das línguas nas escolas.

A Comissão Europeia colabora com os governos nacionais para alcançar o objetivo ambicioso de todos os cidadãos aprenderem, pelo menos, duas línguas estrangeiras e de começarem a aprender línguas estrangeiras cedo, na infância

Esta visão foi confirmada pelos Chefes de Estado e de Governo da UE no âmbito da proposta de criação de um Espaço Europeu da Educação e corroborada nas conclusões do Conselho Europeu de dezembro de 2017.

Em resposta ao apelo dos países da UE, a Comissão procura reforçar o papel central do multilinguismo no projeto europeu:

A ação da Comissão assume as seguintes formas:

  • colaboração com o Conselho da Europa e o seu Centro Europeu de Línguas Modernas, que promove a inovação no ensino de línguas (uma vez que muitos sistemas de ensino não utilizam métodos de avaliação comuns, em paralelo aos esforços para melhorar o ensino das línguas, é necessário desenvolver métodos de avaliação modernos)
  • a iniciativa RELANG, que ajuda as entidades competentes no setor da educação a estabelecer equivalências entre os exames de línguas e os níveis de proficiência definidos no Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (CECR) e inclui uma vertente de apoio a salas de aula multilingues para ajudar os jovens migrantes a integrarem-se e obterem bons resultados escolares
  • colaboração com os prestadores de serviços linguísticos das instituições europeias, designadamente as direções-gerais da tradução e interpretação, tendo em vista promover o ensino e formação de linguistas
  • atribuição do Selo Europeu das Línguas, que distingue pessoas e projetos que promovam o desenvolvimento de técnicas inovadoras de ensino de línguas

Por último, o programa Erasmus+ oferece aos jovens novas oportunidades de aperfeiçoamento das suas competências linguísticas ao permitir-lhes estudar ou fazer uma formação no estrangeiro e ao apoiar a mobilidade para fins de educação e formação profissional.