Domínios de intervenção

  • Política externa

    Política externa

    A UE tem relações diplomáticas com quase todos os países do mundo. Não só tem parcerias estratégicas com os principais intervenientes na cena internacional, como está plenamente empenhada na cooperação com potências emergentes de todo o mundo e concluiu acordos de associação bilaterais com uma série de países vizinhos.

  • Política europeia de vizinhança

    Política europeia de vizinhança

    Esta política concentra-se na estabilização da região, nos planos político, económico e da segurança. A estabilidade da própria UE assenta na democracia, nos direitos humanos e no Estado de direito e a política de vizinhança continuará a defender estes valores universais.

  • Cooperação internacional e desenvolvimento

    Cooperação internacional e desenvolvimento

    Através da sua política de cooperação para o desenvolvimento, a UE contribui para reduzir a pobreza no mundo, a fim de garantir um desenvolvimento económico, social e ambiental sustentável, e promove a democracia, o Estado de direito, a boa governação e o respeito pelos direitos humanos.

  • Ajuda Humanitária, Proteção Civil

    Ajuda Humanitária, Proteção Civil

    A UE presta ajuda humanitária em função das necessidades, concedendo uma atenção especial às vítimas mais vulneráveis, e coordena a assistência europeia em matéria de proteção civil durante as catástrofes que ocorrem no mundo.

  • Política comercial

    Política comercial

    A política comercial da UE define as orientações para o comércio e o investimento dentro e fora da UE. Esta política tem repercussões para os cidadãos europeus e, como tal, conta com os seus contributos, de modo a refletir os valores e os interesses da sociedade europeia no seu conjunto. A UE ajuda as empresas a aproveitarem ao máximo as oportunidades do mercado mundial e visa estimular o crescimento, o emprego, a competitividade e o investimento na UE.

  • Segurança e Defesa

    Segurança e Defesa

    A política europeia comum de segurança e defesa destina-se a reforçar a capacidade da UE em matéria de prevenção e gestão de crises, através do desenvolvimento de capacidades civis e militares.

  • Alargamento da UE

    Alargamento da UE

    Um investimento na paz, na segurança e na estabilidade na Europa: a perspetiva de adesão à UE exerce um poderoso efeito de transformação nos países candidatos, trazendo consigo mudanças positivas nos planos democrático, político, económico e social.

Contexto

A crise política na Ucrânia, a situação na Síria e a instabilidade no Médio Oriente vieram demonstrar de forma clara que a UE necessita de uma política externa comum mais forte. A UE dispõe de um amplo leque de instrumentos de soft power, incluindo a política comercial e a ajuda ao desenvolvimento, coordenados por Federica Mogherini, a Alta Representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança.

Os governos nacionais que o desejem devem também ter a possibilidade de agrupar as suas capacidades de defesa para participar em missões conjuntas da UE, evitando assim duplicar os programas e desperdiçar recursos.

Para além dos instrumentos de política externa, a Comissão Europeia está empenhada em prestar ajuda humanitária de emergência às populações mais vulneráveis afetadas por catástrofes naturais ou de origem humana. A assistência é prestada através dos seus instrumentos de ajuda humanitária e proteção civil.

Documentos