Domínios de intervenção

  • Criação de oportunidades de negócio e de emprego

    Criação de oportunidades de negócio e de emprego

    A UE visa reduzir ou eliminar os obstáculos ao comércio noutros países e regiões, o que se traduz por grandes poupanças para as empresas e os consumidores europeus. Em especial, os acordos comerciais ajudam as empresas mais pequenas, que enfrentam regras complicadas quando pretendem exportar. Um em cada sete postos de trabalho na Europa é assegurado pelas exportações para outros países em todo o mundo.

  • O comércio livre tem de ser equitativo

    O comércio livre tem de ser equitativo

    Visto que as empresas e os cidadãos europeus beneficiam da globalização, o comércio livre deve também ser equitativo. Postos de trabalho em setores como a siderurgia ou a construção naval foram vítimas da concorrência desleal criada pelas importações objeto de dumping, subvenções públicas e a sobrecapacidade em alguns países terceiros. A UE utiliza instrumentos para proteger as indústrias e o emprego europeus contra o comércio desleal. Além disso, a Comissão considera que a UE deve avaliar periodicamente se dispõe de todos os instrumentos para responder aos desafios da evolução da globalização. A Comissão continuará a trabalhar estreitamente com os Estados-Membros para aprofundar e fazer avançar o debate sobre as formas de reforçar a reciprocidade em matéria de contratos públicos e investimento.

  • Controlar a globalização de acordo com os nossos valores

    A UE continua a desenvolver uma agenda comercial e de investimento equilibrada, regulada e progressiva, que não só permite a abertura recíproca dos mercados com os nossos parceiros comerciais, como também reforça a influência global da UE em questões como os direitos humanos, as condições de trabalho e a proteção do ambiente.

Contexto

O título da presente Prioridade (Uma política comercial equilibrada e progressiva para controlar a globalização) foi atualizado e neutralizado do ponto de vista geográfico, tendo em conta o abrandamento das negociações comerciais com os EUA, o novo contexto político e o novo dinamismo nas conversações comerciais com outras regiões importantes do mundo. A Comissão repercutiu esta realidade na alteração do nome do seu Grupo de Comissários sobre a Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento com os Estados Unidos para Grupo de Comissários sobre Comércio e Controlo da Globalização.

 

A política comercial confere à UE a oportunidade de configurar a globalização de acordo com os valores e interesses europeus.

A Comissão está a fazê-lo através do apoio ao trabalho da Organização Mundial do Comércio e através de negociações com os parceiros globais. A UE chegou a um acordo político com o Japão, e o acordo UE-Canadá está prestes a entrar em vigor. A Comissão continua a negociar com muitos parceiros, designadamente o México e os países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai).

Uma política comercial correta também significa ser transparente e inclusivo. A estratégia «Comércio para Todos» significa que as negociações comerciais são agora mais abertas do que nunca.

O Parlamento Europeu e os governos da UE estão estreitamente envolvidos em todas as negociações. As empresas, os grupos de proteção do ambiente, os sindicatos e as organizações de consumidores são devidamente consultados e implicados.

A UE está também a manter a relação comercial positiva que existe com os Estados Unidos. Ambas as partes acordaram em trabalhar num plano de ação comum sobre o comércio, tendo em vista uma agenda comercial transatlântica positiva e ambiciosa .

Objectives
  • Reforçar a influência da UE no mundo — através da atração de mais investimento, do estabelecimento de normas elevadas no comércio mundial e a projeção dos nossos valores
  • Gerar empregos e crescimento sem recurso a fundos públicos
  • Ajudar as empresas da UE – especialmente as empresas mais pequenas – a concorrer no estrangeiro
  • Oferecer uma maior variedade de bens e serviços
  • Reformar a proteção do investimento, a fim de torná-lo mais equitativo, transparente e objetivo
  • Garantir que o comércio e o desenvolvimento sustentável são as duas faces da mesma moeda

Documentos