Percurso de navegação

Menu de navegação da página

Regulamento e instruções

INTRODUÇÃO

A Direção-Geral de Tradução (DG Tradução) da Comissão Europeia está a organizar o concurso de tradução Juvenes Translatores 2016 destinado às escolas da União Europeia. As principais fases do concurso são as seguintes:

  • preparação
  • prova de tradução
  • cerimónia de entrega de prémios

O regulamento e as instruções relativas a cada fase do concurso são descritas em pormenor nos pontos 1 a 8.

PREPARAÇÃO

A fase de preparação é constituída pelo anúncio de concurso, a inscrição e seleção das escolas, a inscrição pelas escolas dos alunos participantes no concurso e os preparativos para a organização do evento a nível local (ver pontos 1 a 3).

A DG Tradução anunciará o concurso no sítio Web do Juvenes Translatores: ec.europa.eu/translatores

As escolas que desejem participar devem inscrever-se por via eletrónica no sítio Web entre 1 de setembro e 20 de outubro de 2016 (ver ponto 1). O período de inscrição tem início às 12h00 (meio-dia) (hora de Bruxelas) e termina à mesma hora nas datas indicadas.

Será realizado um sorteio (ver ponto 2) das escolas inscritas para selecionar as que participarão no concurso.

As escolas selecionadas devem escolher entre dois a cinco alunos para participar no concurso e inserir os respetivos nomes e combinações linguísticas na base de dados, o mais tardar, até 21 de novembro de 2016 (ver ponto 3).

As escolas serão responsáveis pela organização do evento a nível local, nomeadamente por todos os aspetos de ordem prática, como a disponibilização de instalações, de pessoal e das infraestruturas informáticas necessárias para o concurso (ver ponto 1.1) e por garantir que a prova de tradução decorre em condições equitativas e imparciais (ver pontos 1.3, 4 e 7).

PROVA DE TRADUÇÃO

A prova de tradução será realizada no dia 24 de novembro de 2016. Nesse dia, a DG Tradução enviará às escolas os textos a traduzir. A prova de tradução deve ser efetuada de acordo com as disposições tomadas pelas próprias escolas. As traduções devem ser carregadas no mesmo dia numa base de dados gerida pela DG Tradução (ver ponto 4).

A DG Tradução procederá à avaliação das traduções e selecionará uma tradução vencedora por cada país da UE (ver ponto 5).

CERIMÓNIA DE ENTREGA DE PRÉMIOS

Os vencedores serão convidados para uma cerimónia de entrega de prémios que decorrerá em Bruxelas na primavera de 2017. A DG Tradução suportará as despesas de viagem e de alojamento do aluno vencedor, de um adulto que o acompanhe e de um professor por país (ver ponto 6).

Os professores responsáveis devem consultar regularmente o sítio Web do Juvenes Translatores para estarem a par das últimas informações.

 

PREPARAÇÃO

1. ANÚNCIO E INSCRIÇÃO

O anúncio do concurso será publicado no sítio Web do Juvenes Translatores (ec.europa.eu/translatores) em

1 de setembro de 2016 às 12h00 (meio-dia) (hora de Bruxelas).

As escolas interessadas em participar devem preencher o formulário de inscrição em linha (ver ponto 1.2).

O envio do formulário de inscrição pressupõe que a escola assume determinados compromissos (ver ponto 1.3).

1.1. Que escolas podem participar?

As escolas devem:

  • estar localizadas num país da UE
  • ser reconhecidas pelas autoridades competentes de, pelo menos, um país da UE
  • selecionar entre dois a cinco alunos nascidos em 1999
  • ter acesso à Internet
  • dispor de um computador que lhes permita abrir e imprimir ficheiros PDF (os textos e as folhas de tradução serão enviados nesse formato)
  • ter acesso a um scanner para poder digitalizar as traduções em formato PDF para estas poderem ser carregadas na base de dados da DG Tradução. Estas operações devem ser feitas no dia do concurso.

A escola deve ser uma escola secundária. O concurso não está aberto a escolas que ministram cursos de línguas depois do horário escolar ou não obrigatórios.

1.2. Inscrição

Antes da inscrição, o professor responsável deve solicitar ao Presidente do Conselho Executivo ou ao Diretor da escola que autorize a participação da mesma no concurso.

Para se inscrever (apenas um formulário por escola), é necessário indicar:

  • o nome e o endereço da escola
  • o nome de uma pessoa de contacto
  • pelo menos, um endereço eletrónico válido

Dado que o correio eletrónico será o único meio de comunicação com a DG Tradução, o professor responsável deve:

  • verificar a caixa de correio eletrónico regularmente
  • assegurar-se de que a mesma não está cheia

O período de inscrição decorrerá das 12h00 (meio-dia) de 1 de setembro (hora de Bruxelas) às 12h00 (meio-dia) de 20 de Outubro de 2016 (hora de Bruxelas). Não serão aceites formulários incompletos ou enviados depois do prazo.

Será atribuído um número de inscrição a cada escola inscrita e, posteriormente, a cada aluno participante. Terá de indicar esses números no dia do concurso.

1.3. Quais os compromissos assumidos pela escola aquando da inscrição?

Ao enviar o formulário de inscrição, a escola compromete-se a cumprir o regulamento e as instruções do concurso e, caso seja selecionada, a realizar a prova de tradução nas suas instalações.

Isso implica:

  • selecionar e inscrever alunos nascidos em 1999
  • disponibilizar instalações adequadas e o pessoal necessário para a realização da prova
  • imprimir e distribuir os textos a traduzir, bem como as folhas de tradução
  • permitir que os alunos selecionados participem na prova
  • garantir que os alunos selecionados e os respetivos progenitores ou tutores têm conhecimento e aceitam as condições estabelecidas no regulamento e nas instruções do concurso
  • garantir que a prova decorre em condições equitativas e imparciais
  • se o vencedor for um aluno da escola, autorizá-lo a ausentar-se o tempo necessário para poder assistir à cerimónia de entrega dos prémios em Bruxelas

Caso seja selecionada para participar no concurso, a escola compromete-se igualmente a aceitar que o seu nome figure no sítio Web do Juvenes Translatores.

Se a escola não honrar estes compromissos, pode ser excluída do concurso.

 

2. SELEÇÃO DAS ESCOLAS

Será realizado um sorteio eletrónico para selecionar um certo número de escolas de entre as escolas devidamente inscritas no concurso.

O número de escolas selecionadas em cada país corresponde ao número de lugares que o mesmo tem no Parlamento Europeu, nomeadamente:

PaísEscolas
Áustria18
Bélgica21
Bulgária17
Croácia11
Chipre6
República Checa21
Dinamarca13
Estónia6
Finlândia13
França74
Alemanha96
Grécia21
Hungria21
Irlanda11
Itália73
Letónia8
Lituânia11
Luxemburgo6
Malta6
Países Baixos26
Polónia51
Portugal21
Roménia32
Eslovénia8
Eslováquia13
Espanha54
Suécia20
Reino Unido73
Total751

Essa seleção realizar-se-á com base na quota fixada para o país onde está localizada a escola. A título de exemplo, o Lycée français Charles Lepierre, situado em Lisboa, entra na quota atribuída a Portugal.

A lista das escolas selecionadas será publicada no sítio Web do concurso em finais de outubro de 2016.

 

3. SELEÇÃO DOS ALUNOS

No presente regulamento, os termos «aluno» e «aluno selecionado» referem-se a todos os alunos (entre 2 e 5) propostos pelas escolas selecionadas. Cada escola selecionada pode inscrever entre dois e cinco alunos:

  • nascidos em 1999
  • matriculados numa escola que preencha os critérios definidos no ponto 1.1.

O objetivo da regra relativa ao ano de nascimento destina-se a garantir que os alunos se encontram em igualdade de condições, independentemente do sistema de ensino que frequentam e do país onde vivem. Se se verificar que um aluno não nasceu em 1999, será excluído.
A escola deve indicar a combinação linguística escolhida por cada aluno selecionado, ou seja, as línguas a partir da qual e para a qual o aluno pretende efetuar a tradução (ver ponto 3.4).

3.1. Nomes dos alunos e combinações linguísticas

Se a sua escola for selecionada, deve inscrever no concurso os alunos escolhidos para a representar, o mais tardar, até 21 de novembro de 2016. Cada escola pode inscrever entre dois a cinco alunos. Para inserir os respetivos nomes e combinações linguísticas, basta clicar na ligação enviada por correio eletrónico pela equipa JT (as escolas podem inscrever um sexto aluno como suplente para o caso de um dos alunos inicialmente inscrito não poder participar no concurso, por exemplo, por motivo de doença).

Depois de 21 de novembro de 2016, não é possível alterar os alunos inscritos nem a combinação linguística escolhida.

A escola deve informar o(s) progenitor(es) ou tutor(es) dos alunos da sua participação no concurso.

3.2. Como são selecionados os alunos?

As escolas podem definir os seus próprios critérios de seleção dos alunos participantes, desde que esses sejam claros, equitativos e não discriminatórios. Caso a DG Tradução considere que uma escola aplicou critérios injustos ou discriminatórios, pode decidir excluí-la do concurso.

3.3. Como será assegurada a proteção dos dados pessoais?

A DG Tradução assegurará a proteção, em conformidade com a legislação aplicável, de todos os dados pessoais recebidos.
Serão publicados os nomes das escolas e dos vencedores nacionais, bem como as respetivas traduções (ver ponto 5), e a visita dos alunos vencedores de cada país a Bruxelas para a cerimónia de entrega dos prémios poderá ser coberta pela comunicação social.
O formulário de autorização para participar no concurso Juvenes Translatores e a declaração de confidencialidade que o acompanha contêm informações pormenorizadas sobre a forma como a DG Tradução tenciona cumprir as suas obrigações em matéria de proteção de dados pessoais. Esses documentos serão enviados por correio eletrónico aos 28 vencedores exclusivamente através dos seus professores.

3.4. Combinações linguísticas

Cada aluno pode traduzir a partir de qualquer língua oficial da UE para qualquer outra língua oficial da UE. As línguas oficiais da UE são:
alemão (DE), búlgaro (BG), checo (CS), croata (HR), dinamarquês (DA), eslovaco (SK), esloveno (SL), espanhol (ES), estónio (ET), finlandês (FI), francês (FR), irlandês (GA), grego (EL), húngaro (HU), inglês (EN), italiano (IT), letão (LV), lituano (LT), maltês (MT), neerlandês (NL), polaco (PL), português (PT), romeno (RO) e sueco (SV)
A escolha de cada aluno deve ser comunicada juntamente com o respetivo nome aquando da inscrição pela escola (ver ponto 3.1), não podendo nenhum desses elementos ser alterado depois de 21 de novembro de 2016.
Recomendamos vivamente que os alunos traduzam para a sua língua materna ou para a sua língua mais forte. No entanto, esta deve ser uma das línguas oficiais da UE acima referidas.

 

PROVA DE TRADUÇÃO

4. REALIZAÇÃO DA PROVA DE TRADUÇÃO

No dia 24 de novembro de 2016 (dia da prova de tradução), a DG Tradução enviará às escolas os textos a traduzir em formato eletrónico (serão enviados por correio eletrónico, mas podem também ser descarregados do sítio do concurso). No cabeçalho da página estará indicado o ano de 2016 e o código da língua do original.

A prova de tradução deve ser realizada simultaneamente em todas as escolas participantes entre as 10h00 e as 12h00 (hora de Bruxelas). A prova deve decorrer nas instalações das escolas participantes.

As escolas devem tomar as devidas medidas para garantir que a prova decorre em condições equitativas e imparciais. Os alunos devem fazer a prova individualmente (não em grupo). Os professores não estão autorizados a ajudá-los.

As escolas podem permitir que outros alunos participem na prova a título oficioso (podendo, por exemplo, organizar um concurso interno paralelo ou utilizar a prova de tradução para fins de avaliação dos alunos), mas não devem enviar as provas de tradução destes alunos para a DG Tradução.

É proibida a utilização de computadores ou de outros dispositivos eletrónicos durante a prova.

As traduções devem ser feitas à mão com caneta preta nas folhas fornecidas pela DG Tradução e serem legíveis. Os textos ilegíveis e os textos que não forem escritos nas folhas de tradução fornecidas serão eliminados. Os alunos NÃO devem escrever apenas em MAIÚSCULAS, dado que os corretores devem poder avaliar se as maiúsculas foram corretamente utilizadas ou não.

Depois da prova, ainda no mesmo dia, as traduções devem ser:

  • digitalizadas e salvaguardadas em formato PDF com uma qualidade que as torne legíveis (um único ficheiro por tradução com, no máximo, 500 KB; se a dimensão do ficheiro for maior, tente digitalizá-lo a preto e branco e não a cores)
  • carregadas na base de dados do concurso, utilizando para o efeito a ligação enviada à pessoa de contacto da escola no dia das provas de tradução.

No caso de problemas técnicos persistentes, as traduções podem ser enviadas por correio registado para a DG Tradução em Bruxelas:

Juvenes Translatores
Comissão Europeia
Direção-Geral de Tradução
à atenção de Anna Holmén
G-6 - 06/16
1049 Bruxelas
Bélgica

Se se virem impossibilitadas de enviar as traduções por motivos alheios à sua vontade, as escolas devem contactar a equipa JT a fim de receberem instruções.

Na medida do possível, a DG Tradução procurará também responder a perguntas e prestar aconselhamento por correio eletrónico.

4.1. Alunos com deficiência

As escolas não podem discriminar alunos com deficiência. A equipa JT está ciente de que poderão ter de ser tomadas medidas especiais para que os alunos com deficiência possam participar na prova de forma justa e equitativa. Se as escolas considerarem que as medidas especiais consideradas necessárias são contrárias ao regulamento do concurso (por exemplo, se, devido à sua deficiência, um aluno levar muito tempo a escrever e necessitar de tempo suplementar para acabar a tradução ou se a utilização de um computador for indispensável para que um aluno possa participar na prova), devem contactar a equipa JT, descrevendo a deficiência e as medidas propostas, a fim de obterem uma aprovação prévia.

4.2. Quem assegura os aspetos práticos da realização da prova de tradução?

As escolas são responsáveis pela organização das provas nas suas instalações, nomeadamente pelos aspetos práticos relacionados com a sua realização, tais como:

  • assegurar que os textos enviados pela DG Tradução são distribuídos corretamente aos alunos, ou seja, sem atrasos e sem comprometer a confidencialidade
  • reunir os alunos no local onde será realizada a prova de tradução
  • fornecer aos alunos os textos originais corretos e as folhas de tradução
  • certificar-se de que os alunos indicam as informações pedidas nas folhas de tradução o número de inscrição da escola, o país, o número do aluno na base de dados, a combinação linguística, as iniciais do aluno (uma medida de precaução para o caso de ocorrer uma confusão entre as traduções aquando do respetivo envio) e o ano de nascimento
  • vigiar os alunos durante a prova
  • digitalizar e carregar as traduções na base de dados do concurso através da ligação enviada por correio eletrónico (um ficheiro PDF por tradução)

As escolas devem conservar as traduções originais durante seis meses.

4.3. Os alunos podem utilizar dicionários ou outras ferramentas durante a prova de tradução?

Durante a prova de tradução, os alunos estão autorizados a usar dicionários, que são instrumentos de trabalho correntes na profissão de tradutor, mas apenas dicionários em papel. Podem ser utilizados dicionários unilingues e bilingues.

Não podem ser usadas quaisquer ferramentas eletrónicas, tais como computadores, telemóveis, versões eletrónicas de dicionários ou glossários ou programas de tradução.

 

5. AVALIAÇÃO DAS PROVAS E PUBLICAÇÃO DOS RESULTADOS

5.1. Avaliação

Cada tradução será avaliada por um painel de tradutores e revisores profissionais da DG Tradução.

No final dessa avaliação, o júri, presidido pelo Diretor-Geral da DG Tradução, selecionará a melhor tradução de cada Estado-Membro.

Os trabalhos e as deliberações do painel e do júri são confidenciais. Não serão divulgadas quaisquer classificações individuais.

Poderão ser atribuídas menções especiais a cerca de 10% dos alunos, se as suas traduções forem de excelente qualidade. Todos os alunos receberão um certificado de participação.

As decisões do painel e do júri são definitivas. As traduções e as respetivas avaliações podem ser reproduzidas e utilizadas internamente pelas instituições europeias para futuras ações de formação sobre a avaliação das traduções.

5.2. Quais serão os critérios de avaliação?

O painel aplicará critérios semelhantes aos utilizados na DG Tradução para avaliar as traduções, ou seja:

  • precisão
  • capacidade para escrever corretamente (estilo e gramática)
  • capacidade para escrever fluentemente
  • originalidade das soluções encontradas

O painel pode eliminar qualquer tradução que considere não ter sido realizada em condições equitativas e imparciais.

5.3. Anúncio dos vencedores e formulário de autorização

A lista dos 28 alunos vencedores será anunciada no início de fevereiro de 2017.

A DG Tradução enviará por correio eletrónico às escolas dos alunos vencedores um formulário de autorização que deve ser imprimido, assinado e devolvido à DG Tradução em Bruxelas, juntamente com uma cópia de um documento de identificação válido do aluno, dentro do prazo estabelecido.

O formulário de autorização deve ser assinado pelas seguintes pessoas:

  • o aluno
  • o(s) progenitor(es)/pessoa(s) a quem está confiada a guarda legal do aluno (se, no momento da viagem para assistir à cerimónia de entrega dos prémios, este ainda não tiver 18 anos)

No formulário, o aluno e respetivo(s) progenitor(es) ou pessoa(s) a quem está confiada a sua guarda legal declararão que:

  • o aluno será autorizado a assistir à cerimónia de entrega de prémios em Bruxelas
  • concordam com a eventual publicação no sítio Web do concurso e na página do concurso no Facebook de fotografias ou vídeos da cerimónia de entrega de prémios e da visita a Bruxelas
  • um dos progenitores/pessoa a quem está confiada a guarda legal do aluno ou uma pessoa por estes designada acompanhará o aluno à cerimónia de entrega dos prémios em Bruxelas (não é obrigatório se o aluno já tiver 18 anos nessa altura)

A declaração de confidencialidadepdf(58 kB) Traduções da ligação anterior  anexa ao formulário de autorização especifica o modo como os dados pessoais serão coligidos, tratados e utilizados, em estrita conformidade com a legislação aplicável.

 

CERIMÓNIA DE ENTREGA DE PRÉMIOS

6. CERIMÓNIA DE ENTREGA DE PRÉMIOS

Os vencedores, acompanhados de um adulto e um professor, serão convidados para participar numa cerimónia de entrega de prémios em Bruxelas.

Os vencedores que tenham menos de 18 anos na altura da cerimónia devem ser acompanhados por um dos progenitores ou tutores ou outro adulto aprovado pelos progenitores ou tutores, que assumirá plena responsabilidade por si próprio e pelo aluno durante a viagem e a estadia em Bruxelas.

O aluno, a pessoa que o acompanha e o professor devem dispor dos documentos de viagem necessários.

 

7. CUSTOS

As escolas suportarão as despesas da organização das provas nas suas instalações, por exemplo, a impressão dos textos a traduzir e a disponibilização de instalações para a realização da prova.

As despesas incorridas com a cerimónia de entrega de prémios e com a disponibilização dos textos a traduzir e respetiva avaliação ficarão a cargo da Comissão.

A Comissão suportará as despesas de viagem do país de origem até ao hotel em Bruxelas (exceto trajetos curtos, como a ida e volta de táxi para o aeroporto ou para estação de comboios no país de origem) e de alojamento do aluno vencedor, do adulto que o acompanhar e de um professor por país.

 

8. INTERPRETAÇÃO DO REGULAMENTO E DAS INSTRUÇÕES DO CONCURSO

Cabe à DG Tradução interpretar em última instância o regulamento e as instruções do concurso.

Mais informações?