Ir para o caminho de navegação, saltando as ferramentas do sítio e o selector de línguas

Perguntas frequentes

Porque, com demasiada frequência, tanto as pessoas como as sociedades encaram o envelhecimento como uma ameaça e não como algo positivo.

O aumento do número de pessoas idosas é visto como uma carga para a população mais jovem, no activo. Contudo, hoje em dia, vamos envelhecendo com melhor saúde do que as gerações anteriores. Além disso, os idosos têm experiência e conhecimentos preciosos que os mais jovens podem aproveitar.

Manter-se activo à medida que se avança na idade é fundamental para enfrentar o desafio do envelhecimento.

O envelhecimento activo significa:

  • dar às pessoas idosas a possibilidade de participarem plenamente na sociedade,
  • fomentar as oportunidades de trabalho para os idosos,
  • permitir que os adultos mais velhos contribuam activamente através do voluntariado (por exemplo, como prestadores de cuidados a familiares),
  • permitir que as pessoas idosas vivam autonomamente graças à adaptação das habitações, das infra-estruturas, das tecnologias da informação e dos transportes.

Sensibilizar, difundir as boas práticas e incentivar os responsáveis políticos e as partes interessadas a todos os níveis a facilitar o envelhecimento activo.

A UE pode oferecer apoio em domínios como o emprego, a saúde, a sociedade da informação, os transportes e a protecção social.

A Comissão Europeia convidará em 2011 as autoridades nacionais, regionais e locais, os representantes da sociedade civil, as organizações patronais e os sindicatos a comprometerem-se com medidas e objectivos específicos, para que durante o próprio Ano Europeu 2012 se possam apresentar resultados concretos.

Os compromissos podem:

  • relacionar-se com o emprego, a participação em actividades sociais, a formação de adultos, o voluntariado, a vida autónoma, o envelhecimento com saúde, etc.,
  • proceder de qualquer entidade pública ou privada,
  • eliminar os obstáculos que impeçam as pessoas idosas de continuar a trabalhar,
  • incluir debates públicos de sensibilização,
  • definir prioridades de actuação.
  • As cidades podem aderir à Rede Global de Cidades Amigas do Idoso da OMS. As empresas podem melhorar as condições de trabalho para os trabalhadores mais velhos. As organizações da sociedade civil podem impulsionar o voluntariado das pessoas idosas.

A UE adoptou já iniciativas para fomentar o envelhecimento activo no domínio do emprego, educação de adultos, saúde e sociedade da informação. O Ano Europeu dará maior visibilidade a estes esforços.

Sim, dos instrumentos existentes da UE, como o Fundo Social Europeu, o programa de aprendizagem ao longo da vida e o programa-quadro de investigação. Até Setembro, serão publicadas nestas páginas mais informações sobre oportunidades de financiamento.

Cada país da UE nomeará um coordenador nacional, que será responsável por organizar actividades relacionadas com o Ano Europeu. A Comissão coordenará a nível da UE e incentivará cada participante a partilhar as informações.

    Partilhar

  • Partilhar no Twitter Partilhar no Facebook Partilhar no Google+