Percurso de navegação

Bolsas internacionais de entrada (IIF) - Marie Curie Actions

Os investigadores de alto nível de países terceiros que queiram trabalhar em projectos de investigação na UE são bem-vindos, pois contribuem para o desenvolvimento da cooperação em matéria de investigação entre a Europa e as outras partes do mundo, em benefício de todos.

As bolsas internacionais de entrada foram especialmente concebidas para incentivar esta cooperação.

Quem se pode candidatar?

Os investigadores que se transferem de países terceiros para países da UE ou Estados Associados são elegíveis para a obtenção de uma bolsa internacional de entrada. Os candidatos devem ter o grau de doutor ou experiência de investigação de, pelo menos, quatro anos de trabalho a tempo inteiro adquirida após a obtenção de um grau que dê acesso a estudos de doutoramento. Estas são as condições mínimas: na realidade, quanto mais experiência tiverem, mais hipóteses têm de ser seleccionados.

As candidaturas às bolsas internacionais de entrada devem ser feitas em ligação com a organização ou instituição de acolhimento na Europa, que pode ser uma universidade, um centro de investigação ou uma empresa.

Que temas podem ser financiados?

São bem-vindos projectos em todos os domínios da investigação científica e tecnológica de interesse para a UE. Há uma única excepção: não podem ser financiados projectos em domínios de investigação cobertos pelo Tratado EURATOM.

O que é coberto pelo financiamento?

As bolsas internacionais de entrada são concedidas a projectos de investigação que criem transferências de conhecimento para a organização de acolhimento ou estabeleçam ou desenvolvam colaborações entre a Europa e o resto do mundo. Os projectos de investigação também deverão permitir que os investigadores evoluam nas suas carreiras. O apoio financeiro é fornecido por um período equivalente a 12 a 24 meses de trabalho a tempo inteiro.

O financiamento permite aos investigadores:

  • integrar uma equipa de investigação europeia com uma experiência diferente da sua;
  • estabelecer uma colaboração através de um projecto de investigação com o respectivo laboratório ou país;
  • adquirir novos conhecimentos num laboratório europeu.

As bolsas internacionais de entrada também podem cobrir um período de regresso de 1 ano, que será passado no país de origem dos investigadores para aplicar a experiência adquirida durante a estada no estrangeiro. Para se poderem candidatar a uma bolsa para a fase de regresso, os investigadores têm de ser oriundos de um dos países parceiros da cooperação internacional. Quando da sua candidatura a uma bolsa para a fase de regresso, os investigadores devem incluir os dados relativos ao pedido inicial e indicar a organização que desejam integrar no seu país de origem.

Quem decide?

A selecção das propostas é feita por concurso público. As propostas são objecto de uma análise independente pelos pares que as avaliam com base numa série de critérios pré-definidos.

Como candidatar-se?

As propostas são submetidas em resposta a um convite à apresentação de propostas. Informe-se dos convites em aberto e submeta propostas através do portal do Participante. Poderá encontrar uma lista de concursos abertos para Ações Marie Curie e conselhos práticos na secção "Candidatar-se agora" deste Web site.

Xu Dong

Meet our fellows

Xu Dong

"I believe my research experience through this MCA grant will build up a solid foundation for my life-long research career."Read full storyEnglish (en)

Choose high-contrast version Set page to normal font size Increase font size by 200 percent Send this page to a friend print this page

How to apply
Participant Portal – check Marie Curie Actions calls & submit your proposal (electronic submission service).
FAQ

Concursos abertos