Advertência jurídica importante
   
Contacto   |   Pesquisa no EUROPA   
Nanotecnologia
Graphic element Home
Graphic element Contexto
Graphic element Novas técnicas
Graphic element Prioridades
Graphic element Áreas de aplicação
Graphic element Nano-revolução
Graphic element Para mais informação
   
image image
Graphic element Outros projectos temáticos

 

image

Novas técnicas

Uma ciência multidisciplinar

A nanotecnologia é verdadeiramente multidisciplinar. Os cientistas de materiais, os engenheiros mecânicos e electrónicos e os investigadores médicos estão a trabalhar em conjunto com biologistas, físicos e químicos. A união da investigação à nanoescala deve-se à necessidade de partilhar o conhecimento sobre ferramentas e técnicas, assim como sobre conhecimentos periciais em matéria de interacções atómicas e moleculares nesta nova fronteira científica. Estão a convergir rapidamente de diferentes áreas de investigação novos e potentes conceitos e capacidades, tais como a representação por imagens e a manipulação à escala atómica, a auto-montagem e as relações biológicas estrutura-função, a par de ferramentas informáticas cada vez mais potentes.

Nanomateriais

Concentração na produção
O projecto NANOFIB está a desenvolver uma técnica de feixes iónicos focalizados. O diâmetro do feixe é apenas da ordem de alguns nanómetros, equivalente a algumas dezenas de diâmetros atómicos. É uma das várias tecnologias recentes que visam a criação de padrões em materiais a escalas extremamente pequenas – a nanomanipulação. Estas tecnologias apoiam fortemente a investigação em nanotecnologia e serão a chave do futuro nanofabrico.

Enchimento dos furos
NANOPTT é um projecto solidamente multidisciplinar que desenvolve uma tecnologia destinada a criar furos cilíndricos perfeitos em folhas de polímero, cujo diâmetro é apenas de algumas dezenas de nanómetros. Estas folhas têm aplicações bem conhecidas em unidades de filtração. Subsequentemente, enchem-se os furos com metais ou outros polímeros para formar "nano-fios". As folhas cheias têm aplicações em muitos sectores industriais, incluindo as telecomunicações, e em memória magnética avançada, podendo contribuir para o desenvolvimento de um "laboratório em pastilhas electrónicas".

Nanobiotecnologia

Aparelhos médicos não aderentes ou super aderentes
O projecto NANOMED está a estudar como fazer nano-superfícies em biomateriais para utilizar na engenharia dos tecidos. Utilizando exactamente o mesmo material, pode-se obter uma diferença de espessura de 10 000 dobras, resultante das mudanças de topografia à nanoescala. A baixa adesão é crucial para os aparelhos médicos, como os catéteres, ao passo que a super adesão é necessária para reparar tecidos deteriorados, como ossos fracturados.

Detecção mais rápida de doenças
Embora a fibrose cística (FC), uma doença pulmonar debilitante, possa ser detectada por testes genéticos, os testes actuais são caros e morosos. Um projecto da Comissão Europeia está a desenvolver métodos de teste de alto gabarito que utilizam uma pastilha electrónica de ADN e que se tornarão sistemas de diagnóstico completamente automatizados capazes de detectar genes de FC defeituosos mais depressa e mais barato. Poderão também ser adaptados para diagnosticar qualquer doença genética.

Aprendizagem e partilha

Estes avanços tecnológicos estão a disponibilizar os meios de que necessita a nanotecnologia para progredir e os investigadores para expandirem os seus conhecimentos técnicos a novos domínios de aplicação. A educação e a formação em nanotecnologia são apoiadas pela Comissão através de um sistema de Redes de Formação para a Investigação. Nesta tarefa estão envolvidas novas tecnologias híbridas, que combinam nanotecnologias, ciências dos materiais, engenharia, tecnologias da informação, biotecnologia e ciência do ambiente. Esta evolução necessita destas redes multidisciplinares em muitos domínios de investigação, assim como uma franca colaboração através das fronteiras científicas tradicionais entre os investigadores de nanotecnologia da União Europeia e do resto do mundo.

Redes de Formação para a Investigação:

O projecto NANOCOMP, isto é, a "Síntese a grande escala de nanotubos de carbono e seus materiais compósitos", envolve uma parceria de peritos dos sectores da química, física e engenharia. Incide na síntese de nanotubos de carbono de paredes múltiplas e de paredes simples, na purificação, nos materiais compósitos para aplicações industriais e na caracterização.

A NANOPHASE, isto é, a "Absorção e espectroscopia do fotão de nanoescala com electrões", faz parte da rede que se concentra na teoria das estruturas à escala nanométrica – grupos atómicos, pontos e fios quânticos e moléculas absorvidas nas superfícies – e nos processos espectroscópicos disponíveis para caracterizar essas estruturas, as suas propriedades electrónicas e ópticas e o seu crescimento.

Top

 

  page 1 page 2 page 3 page 4 page 5 page 6
Novas técnicas