IMPORTANT LEGAL NOTICE - The information on this site is subject to adisclaimerand acopyright notice
  European Commission > Regional Policy


Newsroom Newsroom Commissioner Debate Issues Directorate General

Glossary | Search | Contact | Mailing lists
 
Inforegio/Panorama
Janeiro 2001

A publicação trimestral dos actores do desenvolvimento regional

Indice
4 / 10

A palavra aos actores no terreno

Portugal, Êxito da integração social


Eis uma luz no bairro degradado do Casal Ventoso, em Lisboa: no meio das barracas, foram construídas novas habitações que se destinam aos sem abrigo. A par destas habitações foi construído um dispensário que acolhe os toxicómanos decididos a dar início a uma cura de desintoxicação... Eis um exemplo entre muitos outros das realizações concretas de INTEGRAR, programa de integração das pessoas mais vulneráveis. INTEGRAR beneficia do apoio dos Fundos estruturais e actua nos domínios da saúde, da formação e da reinserção social.

Encontro com Cristina Louro, responsável pelo programa INTEGRAR

Como define os grupos de população que pretende ajudar?

INTEGRAR apoia os grupos mais desfavorecidos através de ajudas financeiras concedidas a organizações locais, regionais e nacionais que são, muito frequentemente, organizações não governamentais. Como são estas organizações as que melhor conhecem as situações no terreno são elas que escolhem os grupos de população a ajudar. Entre 1994 e 1999, os grupos que receberam o apoio de INTEGRAR são constituídos, essencialmente, por desempregados de longa duração,

 

Graças ao programa INTEGRAR, cerca de 20 000 pessoas oriundas de meios desfavorecidos beneficiaram de uma formação profissional nos seis últimos anos.
 
pessoas que não beneficiam de pensões de sobrevivência, deficientes e suas famílias, jovens em situação de risco, toxicómanos ou antigos toxicómanos, minorias étnicas, pessoas sem abrigo, mulheres com dificuldades de reinserção no mercado de trabalho e grupos sociais desfavorecidos.

O programa INTEGRAR apoia projectos multidimendionais. O que é que isto significa?

Aquando da concepção do programa INTEGRAR, estávamos conscientes do facto de que a formação profissional tradicional devia ser acompanhada por outro tipo de actividades. Isto é, em determinados grupos de população desfavorecidos é preciso trabalhar a montante da formação profissional, de modo a criar um terreno favorável à aprendizagem. É também necessário velar por que, após a formação profissional, estejam reunidas condições para que as pessoas apoiadas possam obter e conservar o seu trabalho. Para isto o programa INTEGRAR promove a revitalização do tecido social e da economia local, mobilizando todos os agentes abrangidos. Por exemplo, o projecto pode englobar a criação de novas empresas e de novos serviços, a instalação de novos equipamentos sociais, a promoção do bem-estar através de campanhas de sensibilização para as condições de vida, a higiene e a saúde, além de tentar incutir o aumento da auto-estima e da confiança das pessoas apoiadas.

Quais os principais resultados obtidos pelo projecto?

Nestes seis últimos anos levámos a efeito mais de 450 projectos, tendo sido 20 000 as pessoas que beneficiaram de uma formação profissional. Globalmente, o programa permitiu a criação de novos empregos, a qualificação dos recursos humanos, a diminuição da dependência relativamente à assistência pública, o aumento do poder de compra e a melhoria da qualidade de vida. Mas isso não é tudo: procedemos também ao reforço da identidade cultural e da solidariedade, bem como ao estabelecimento de novos modos de parceria.

Orçamento total 1994-1999: 468,067 M EUR
Participação do FSE: 299,969 M EUR
Participação do FEDER: 51,1 M EUR


 

Last modified on