Inovação portuguesa levanta voo

O sector aeronáutico português está empenhado em tornar-se um dos principais actores do sector, com a construção de uma nova fábrica, instalações de produção e equipamento para a produção e montagem de peças para o sector aeronáutico.

Outras ferramentas

 

Projectos como este estão a contribuir para que a UE se torne uma economia eficaz, sustentável e inclusiva até 2020, tal como definido na estratégia de crescimento UE 2020. A UE encontra-se perante desafios de peso, como o envelhecimento da população, insuficiente qualificação dos recursos humanos, a necessidade de mais inovação, conseguir equilibrar o crescimento económico e a degradação ambiental, bem como garantir fontes de energia limpas e seguras. Os projectos de política regional em toda a UE estão a desempenhar um papel activo na gestão destes e de muitos outros desafios, através da implementação de projectos concebidos para gerar emprego, elevar os níveis de educação, desenvolver fontes de energia renovável, promover a produtividade e dar a todos os cidadãos o acesso a oportunidades. Os projectos e as regiões desempenham um papel crucial em tudo isto, dado que produzem resultados reais que contribuem para a concretização dos principais objectivos desta estratégia.

Prevê-se que o projecto venha a atrair perto de 69 milhões de euros em investimento e a criar postos de trabalho altamente qualificados, impulsionando, simultaneamente, a economia regional e a inovação a nível local.

Bases sólidas para o lançamento do projecto

A empresa que lidera o projecto integra o grupo Embraer, que emprega cerca de 17 000 funcionários e é uma das maiores empresas do sector aeronáutico a nível mundial, tendo produzido já aproximadamente 5 000  aviões. Essa experiência e perícia constituem a rampa de lançamento ideal para a ala portuguesa das suas actividades.

Instalações de ponta impulsionam potencial local

O novo complexo industrial propõe-se produzir componentes aeronáuticos de grande porte e montá-los em estruturas complexas de elevado nível de automatização. Os aspectos principais abrangem instalações de produção, processos de tratamento superficial, equipamento para inspecção por líquidos penetrantes, controlo de pintura e um hangar para a montagem de estruturas metálicas. Serão igualmente adquiridos diversos equipamentos mecânicos, equipamento de controlo numérico, maquinaria e sistemas de inspecção, robots de perfuração e rebitagem e máquinas de perfuração manual.

O projecto contribui para promover a inovação por meio da intensificação da produção de bens e serviços transaccionáveis, reforçando a posição das empresas portuguesas em mercados internacionais e oferecendo incentivos ao investimento estrutural de larga escala em áreas novas com potencial de crescimento.

Papel fundamental da formação

Não obstante todo este equipamento de ponta, o factor humano não pode ser subestimado. Para formar aquela que virá a ser a futura mão-de-obra, proceder-se-á à selecção e recrutamento de quadros qualificados. Alguns dos futuros operadores serão formados «on-the-job», nas instalações do empregador. Prevê-se, por exemplo, a criação de 230 postos de trabalho directos e de 690 postos de trabalho indirectos, todos eles contribuindo para gerar o volume de vendas previsto de 171 milhões de euros para o período de 2012 a 2017. Estes números reflectem a relevância deste projecto para o sector aeronáutico local, para o crescimento económico e para o emprego.

Data do projecto

02/09/2011