Potenciar a inexperiente indústria aeroespacial de Portugal

O conglomerado brasileiro da indústria aeroespacial, Embraer, abriu o seu primeiro centro de produção estrangeiro em Portugal reforçando a competitividade do país neste sector.

Outras ferramentas

 

A abertura da nova fábrica de materiais compósitos da Embraer na antiga cidade romana de Évora irá constituir um fator de mudança. A nova fábrica de estruturas compósitas irá, em conjunto com uma fábrica gémea de estruturas metálicas construída no mesmo local, construir inicialmente asas e estabilizadores horizontais para aviões de negócios, devendo seguir-se-lhe trabalhos num avião de transporte militar. Numa segunda fase de desenvolvimento, o novo centro de produção terá também capacidade para montar peças destinadas às empresas de transporte aéreo.

Criar empregos de elevada qualidade

Espera-se que a nova fábrica de materiais compósitos de 37 100 m2 resulte na criação direta de 125 novos postos de trabalho e na criação indireta de 375 postos de trabalho. Em conjunto com a nova fábrica de peças metálicas com 31 800 m2, contará com uma mão-de-obra combinada de cerca de 600 pessoas quando ambas as fábricas estiverem totalmente operacionais, próximo do final de 2013, e poderá vir a ter o potencial de criar 2 000 postos de trabalho na região como resultado do efeito multiplicador da economia.

Potencial para a criação de um polo aeroespacial

Em redor dos novos edifícios da fábrica em Évora existem hectares de terrenos não explorados, nos quais se espera que possam vir a ser persuadidos a estabelecerem-se pequenos fornecedores, criando o primeiro polo aeroespacial de Portugal num parque aeroespacial com 877 000 m2.

Impulsionar as exportações da região e diversificar a economia

Espera-se que as novas fábricas da Embraer em Évora gerem 171 milhões de euros em vendas entre 2012 e 2017. Para uma região extremamente dependente do turismo, da pesca e da agricultura, as novas fábricas são também uma oportunidade de dar um novo impulso às exportações de elevado valor, bem como de aumentar a competitividade e a convergência económica da região.


Investimento total e financiamento da UE

O investimento total para o projeto «Embraer Compósitos» é de 88 440 618 EUR, tendo o Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da UE contribuído com 25 489 752 EUR do Programa Operacional «Fatores de Competitividade» para o período de programação de 2007 a 2013, sob o eixo prioritário da «Inovação e renovação do modelo empresarial e do padrão de especialização».


Data do projecto

22/10/2013