Turismo

A Europa é o principal destino turístico a nível mundial. O turismo desempenha um importante papel no desenvolvimento de várias regiões europeias, particularmente nas regiões menos desenvolvidas, devido ao seu considerável efeito de contágio e potencial de criação de emprego, principalmente entre os jovens. O turismo tem, também, demonstrado significativa resiliência e persistente crescimento, mesmo durante a recente crise.

Outras ferramentas

  •  
  • Reduzir texto  
  • Ampliar texto  

O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) apoia a competitividade, a sustentabilidade e a qualidade do turismo a nível regional e local. O turismo está, como é óbvio, estreitamente relacionado com a utilização e o desenvolvimento do património natural, histórico e cultural e com a atratividade das cidades e das regiões enquanto locais para viver, trabalhar e visitar. Naturalmente, está também associado ao desenvolvimento, inovação e diversificação de produtos e serviços a serem adquiridos e usufruídos pelos visitantes.

Período de programação 2014-2020

O turismo não foi incluído nos objetivos temáticos dos Fundos Estruturais e de Investimento Europeus (ESIF) uma vez que constitui um meio ou um setor e não um objetivo. Todavia, os regulamentos preveem diversas possibilidades para investimentos inteligentes no turismo.

A Comissão publicou orientações temáticas para investimentos no turismo. As recomendações apontam para que estas:

  • estejam alinhadas com um ou vários objetivos temáticos e prioridades de investimento.
  • sejam coerentes com a análise SWOT (pontos positivos, pontos negativos, oportunidades e ameaças) dos PO nacionais/regionais/transnacionais relevantes
  • se concentrem numa melhor valorização do património cultural e turístico local,
  • impulsionem a inovação e a diversificação de produtos, processos e serviços, bem como a especialização em nichos de mercado, com vista a ultrapassar a dependência do baixo valor acrescentado e do trabalho temporário, assegurando atividade económica e emprego fora da época alta do turismo.
  • Deve ser dada particular atenção à tripla atualização da capacidade de excelência, inovação e internacionalização das PME e dos clusters e a atividades entre os vários clusters, incluindo através da melhoria de ligações internas e externas.
  • Uma vez que uma das vantagens particulares do setor do turismo é a de as barreiras à entrada no mercado ser particularmente baixa, deve dar-se atenção ao apoio ao empreendedorismo e à criação de novas empresas.

O turismo continuará a desempenhar um importante papel nos planos de investimento do FEDER, tal como todos os investimentos relacionados com a conservação, proteção, promoção e desenvolvimento do património natural e cultural (ver o gráfico) prevendo-se a atribuição de 8 mil milhões de euros de fundos do FEDER.

A base de dados eye@RIS3, que documenta a paisagem emergente de especialização inteligente regional na Europa (gerida pela Plataforma de especialização inteligente), mostra que várias regiões estão a dar prioridade à inovação dos serviços e do modelo empresarial no turismo no âmbito das respetivas estratégias de especialização inteligente e que irão atribuir um significativo financiamento para esse objetivo.

Estas irão, por exemplo, focar os seus esforços no desenvolvimento de competitivos nichos de mercado e desenvolvimento de marca, como o turismo para a terceira idade (a economia prateada) ou o turismo ecológico, atualizando as respetivas cadeias de valor do turismo destinado a segmentos de mercado mais elevados, e diversificando as atividades turísticas para se tornarem menos dependentes do turismo sazonal.

Estas razões implementaram estratégias abrangentes não só para alcançarem um maior valor acrescentado, através do investimento na inovação turística, mas também mobilizando um maior efeito de contágio para outros setores, como as indústrias criativas e culturais, agroalimentar, da construção, etc.