Erasmus+

Sobre o Erasmus+

Oportunidades

O programa Erasmus+, que se prolonga até 2020, não oferece apenas oportunidades aos estudantes. Com efeito, resultante da fusão de sete programas anteriores, este programa alarga as oportunidades a uma grande variedade de pessoas e organizações.

Para informações pormenorizadas sobre estas oportunidades, nomeadamente sobre os critérios de elegibilidade, consultar o Guia do Programa Erasmus+. Está igualmente disponível um guia de financiamento indicativo para algumas oportunidades centralizadas.

Ficha de informações Erasmus+

Pessoas

O Erasmus+ oferece a pessoas de todas as idades a possibilidade de se desenvolverem e partilharem conhecimentos e experiências, no quadro de instituições e organizações de diferentes países.

Oportunidades para pessoas

Organizações

O Erasmus+ oferece oportunidades a um vasto leque de organizações, incluindo universidades, estabelecimentos de ensino e formação, grupos de reflexão, organismos de investigação e empresas privadas.

Oportunidades para organizações

 

Objetivos

O programa Erasmus+ tem como objetivo contribuir para a Estratégia Europa 2020 para o crescimento, o emprego e a equidade e a inclusão sociais, bem como para o quadro estratégico da UE em matéria de educação e formação EF2020.

Além disso, visa promover o desenvolvimento sustentável dos seus parceiros no domínio do ensino superior e contribuir para a realização dos objetivos da Estratégia da UE para a Juventude.

O programa aborda, nomeadamente, as seguintes questões:

Apoio à inovação, à cooperação e à realização de reformas

Resultados

Os resultados do programa Erasmus+ são publicados sob a forma de relatórios e de estatísticas, bem como na plataforma de projetos Erasmus+, que abrange a maioria das iniciativas financiadas pelo programa e apresenta uma seleção de boas práticas e de projetos bem sucedidos.

Estatísticas

Para estatísticas sobre o programa Erasmus+, consulte a página sobre estatísticas.

Para informações sobre os progressos realizados para atingir os níveis de referência EF2020, consulte o Monitor da Educação e da Formação.

Pode também visualizar estas informações graças a uma série de mapas interativos.

Para informações sobre a situação dos jovens na Europa, consulte o Youth Monitor.

Relatórios

O programa Erasmus+ será objeto de uma revisão intercalar, a realizar em 2017, e de um estudo de impacto, com publicação prevista após a conclusão do programa em 2020.

Em 2014, na sequência da conclusão do programa Erasmus, foi publicado um estudo de impacto que põe em destaque os resultados obtidos.

Quem pode participar

Podem participar no Erasmus+ muitas pessoas e organizações, embora os critérios de elegibilidade variem de ação para ação e de país para país.

Embora as pessoas possam beneficiar de muitas oportunidades financiadas pelo Erasmus+, na maioria dos casos, terão de o fazer através de uma organização que participe no programa. Os critérios de elegibilidade das pessoas e das organizações dependem do país onde estejam estabelecidas.

Os países que podem beneficiar do programa dividem-se em dois grupos: países do programa e países parceiros. Enquanto que as pessoas e as organizações dos países do programa podem participar em todas as ações do Erasmus+, as dos países parceiros só podem participar em algumas dessas ações, estando sujeitas a condições específicas.

Para mais informações sobre as condições de elegibilidade, consulte as páginas relativas às várias oportunidades (pessoas e organizações), bem como o Guia do Programa.

 

Países


Países do programa



  • Áustria
  • Bélgica
  • Bulgária
  • Chipre
  • Croácia
  • República Checa
  • Dinamarca
  • Estónia
  • Finlândia
  • França
  • Alemanha
  • Grécia
  • Hungria
  • Irlanda
  • Itália
  • Letónia
  • Lituânia
  • Luxemburgo
  • Malta
  • Países Baixos
  • Polónia
  • Portugal
  • Roménia
  • Eslováquia
  • Eslovénia
  • Espanha
  • Suécia
  • Reino Unido
  • Antiga República Jugoslava da Macedónia
  • Islândia
  • Liechtenstein
  • Noruega
  • Turquia

Países parceiros

Países parceiros vizinhos da UE

  • Albânia
  • Bósnia-Herzegovina
  • Kosovo
  • Montenegro
  • Sérvia
  • Arménia
  • Azerbaijão
  • Bielorrússia
  • Geórgia
  • Moldávia
  • Território da Ucrânia, tal como reconhecido pelo direito internacional
  • Argélia
  • Egito
  • Israel
  • Jordânia
  • Líbano
  • Líbia
  • Marrocos
  • Palestina
  • Síria
  • Tunísia
  • Território da Rússia, tal como reconhecido pelo direito internacional

Outros países parceiros

  • Andorra
  • Mónaco
  • São Marino
  • Estado da Cidade do Vaticano
  • Suíça
  • Afeganistão
  • Bangladeche
  • Butão
  • Camboja
  • China
  • República Popular Democrática da Coreia
  • Índia
  • Indonésia
  • Laos
  • Malásia
  • Maldivas
  • Mongólia
  • Mianmar
  • Nepal
  • Paquistão
  • Filipinas
  • Sri Lanka
  • Tailândia e Vietname
  • Cazaquistão
  • Quirguistão
  • Tajiquistão
  • Turquemenistão
  • Usbequistão
  • Argentina
  • Bolívia
  • Brasil
  • Chile
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • Cuba
  • Equador
  • Salvador
  • Guatemala
  • Honduras
  • México
  • Nicarágua
  • Panamá
  • Paraguai
  • Peru
  • Uruguai
  • Venezuela
  • Irão
  • Iraque
  • Iémen
  • África do Sul
  • Angola
  • Antígua e Barbuda
  • Baamas
  • Barbados
  • Belize
  • Benim
  • Botsuana
  • Burquina Faso
  • Burundi
  • Camarões
  • Cabo Verde
  • República Centro-Africana
  • Chade
  • Comores
  • Congo
  • Congo, República Democrática do
  • Ilhas Cook
  • Djibouti
  • Domínica
  • República Dominicana
  • Guiné Equatorial
  • Eritreia
  • Etiópia
  • Fiji
  • Gabão
  • Gâmbia
  • Gana
  • Granada
  • Guiné
  • Guiné-Bissau
  • Guiana
  • Haiti
  • Costa do Marfim
  • Jamaica
  • Quénia
  • Kiribati
  • Lesoto
  • Libéria
  • Madagáscar
  • Maláui
  • Mali
  • Ilhas Marshall
  • Mauritânia
  • Maurícia
  • Micronésia- Estados Federados da
  • Moçambique
  • Namíbia
  • Nauru
  • Níger
  • Nigéria
  • Niuê
  • Palau
  • Papua-Nova Guiné
  • Ruanda
  • São Cristóvão e Neves
  • Santa Lúcia
  • São Vicente e Granadinas
  • Samoa
  • São Tomé e Príncipe
  • Senegal
  • Seicheles
  • Serra Leoa
  • Ilhas Salomão
  • Somália
  • Sudão do Sul
  • Sudão
  • Suriname
  • Suazilândia
  • República Democrática de Timor-Leste
  • Tanzânia
  • Togo
  • Tonga
  • Trindade e Tobago
  • Tuvalu
  • Uganda
  • Vanuatu
  • Zâmbia
  • Zimbabué
  • Barém
  • Koweit
  • Omã
  • Catar
  • Arábia Saudita
  • Emirados Árabes Unidos
  • Austrália
  • Brunei
  • Canadá
  • Hong Kong
  • Japão
  • República da Coreia
  • Macau
  • Nova Zelândia
  • Singapura
  • Taiwan
  • Estados Unidos da América

Gestão do programa

A gestão do Erasmus+ é assegurada pela Comissão Europeia (o órgão executivo da UE), pela Agência de Execução relativa à Educação, ao Audiovisual e à Cultura (EACEA), por uma série de agências nacionais dos países do programa e por uma série de gabinetes nacionais em alguns países parceiros.

 

Comissão Europeia

A Comissão Europeia assegura a gestão global do programa, o que implica:

  • a gestão do orçamento
  • a definição de prioridades
  • a definição dos critérios e das metas do programa
  • a monitorização e a orientação da execução
  • o acompanhamento e a avaliação do programa

A Agência de Execução relativa à Educação, ao Audiovisual e à Cultura (EACEA) da Comissão Europeia é responsável pela gestão dos elementos «centralizados» do programa, incluindo:

  • a promoção do programa e das oportunidades
  • o lançamento de convites à apresentação de propostas
  • a análise dos pedidos de subvenção
  • a contratação e a monitorização dos projetos
  • a comunicação relativa aos resultados

A EACEA e a Comissão levam igualmente a cabo estudos e investigação, para além de gerirem e financiarem os restantes organismos e redes apoiados pelo programa Erasmus+.

Os programas de trabalho anuais publicados pela Comissão Europeia dão informações pormenorizadas sobre a gestão do Erasmus+.

Agências nacionais

Nos países da UE, a Comissão confia uma parte importante da gestão do programa Erasmus+ às agências nacionais. Fora da UE, em particular no domínio do ensino superior, este papel é assumido pelos gabinetes nacionais Erasmus+.

A Comissão concede financiamento às agências nacionais, que utilizam estes fundos para gerir as atividades «descentralizadas» do programa. Deste modo, as agências podem adaptar o programa às estratégias nacionais em matéria de ensino, formação e juventude.

As agências nacionais são responsáveis por:

  • dar informações sobre o programa
  • analisar as candidaturas apresentadas no seu país
  • monitorizar e avaliar a execução do programa no seu país
  • apoiar as pessoas e as organizações que participam no programa Erasmus+
  • promover o programa e as suas atividades a nível local e nacional

Estas agências também apoiam os beneficiários do programa, desde a fase de candidatura até à conclusão do projeto. Além disso, colaboram com beneficiários e outras organizações para contribuir para as políticas europeias em domínios apoiados pelo programa.

Gabinetes nacionais Erasmus+

Fora da UE, nos países parceiros que participam no programa Erasmus+ no domínio do ensino superior, grande parte do trabalho das agências nacionais é efetuado por gabinetes nacionais Erasmus+. Estes gabinetes são o ponto de contacto para qualquer pessoa que pretenda participar no programa Erasmus+ e são responsáveis por:

  • facultar informações sobre o programa e sobre quem pode participar
  • aconselhar e apoiar potenciais candidatos
  • monitorizar os projetos Erasmus+
  • apoiar o diálogo político, estudos e eventos
  • manter o contacto com peritos e autoridades locais
  • acompanhar a evolução das políticas

Outros organismos

Várias outras organizações apoiam igualmente o programa, incluindo:

Principais números do Erasmus+ (2014–2020)

Orçamento global

14 700 milhões de euros

Mais 1 680 milhões de euros para o financiamento de ações que envolvam países que não pertencem à UE (países parceiros) disponibilizados através do orçamento de ação externa da UE

Total de oportunidades de mobilidade

Mais de 4 milhões de pessoas

Ensino superior

Cerca de 2 milhões de estudantes

Ensino e formação profissionais

Cerca de 650 000 estudantes

Mobilidade do pessoal

Cerca de 800 000 assistentes, professores, formadores, pessoal do setor da educação e animadores de juventude

Regimes de voluntariado e intercâmbio de jovens

Mais de 500 000 milhões de jovens

Sistema de garantia de empréstimos para mestrados

Cerca de 200 000 estudantes

Mestrados conjuntos

Mais de 25 000 estudantes

Parcerias estratégicas

Cerca de 25 000 parcerias que associam 125 000 escolas, estabelecimentos de ensino e formação profissionais, instituições de ensino superior e de educação de adultos, organizações de juventude e empresas

Alianças do Conhecimento

Mais de 150 estabelecidas por 1 500 instituições de ensino superior e empresas

Alianças de Competências Setorias

Mais de 150 estabelecidas por 2 000 prestadores de ensino e formação profissionais e empresas

Erasmus+ factsheet

An overview of the Erasmus+ programme at a glance.

Erasmus+ factsheet

Download the factsheet

Erasmus+ country factsheets 2014

These factsheets give an overview of 2014, the first year of the Erasmus+ programme, in all 33 Programme countries.

 

Estatísticas

Principais análises e relatórios estatísticos sobre o programa Erasmus+ e os programas que o precederam

 2015

 

Mais recentes (janeiro de 2017)

O relatório anual descreve o segundo ano de aplicação do Erasmus+, o programa europeu para o ensino, a formação, a juventude e o desporto, dando uma panorâmica de todas as atividades realizadas até à data na sequência dos convites à apresentação de propostas Erasmus+ de 2015, planeadas de acordo com o programa de trabalho anual do Erasmus+ de 2015 .

Relatório anual do Programa Erasmus+ de 2015

Anexo I - Estatísticas

Anexo II - Projetos

Anos mais recentes

Este relatório anual descreve o primeiro ano de implementação do Erasmus+, o programa da UE para o ensino, a formação, a juventude e o desporto.

Relatório anual do Programa Erasmus+ de 2014 pdf (2,41 Mb)

Anexo I - Estatísticas pdf (1,42 Mb)

Anexo II - Projetos pdf (594 kB)

Em janeiro de 2016, a Comissão Europeia publicou uma série de números sobre o programa Erasmus relativos ao ano letivo de 2013/2014, que abrangeu projetos de mobilidade e cooperação no ensino superior ao abrigo do antigo programa de aprendizagem ao longo da vida (2007-2013), entretanto integrado no Erasmus+.

Erasmus: factos, números e tendências pdf (8,21 Mb)

Erasmus: factos, números e tendências (livro eletrónico)

As 500 instituições de ensino superior que recebem mais estudantes Erasmus pdf (449 kB)

As 500 instituições de ensino superior que enviam mais estudantes Erasmus pdf (416 kB)

O estudo do impacto regional do programa Erasmus, que se baseia no estudo de impacto publicado em 2014, analisa a influência da mobilidade proporcionada pelo programa nas competências e perspetivas de emprego dos estudantes.

Estudo de impacto do programa Erasmus: análise regional pdf (5,29 Mb)

Resumo pdf (1,42 Mb)

Principais conclusões pdf (5,38 Mb)

Estatísticas anteriores

2011-2012 zip(7,74 Mb)

2010-2011 zip(6,07 Mb)

2009-2010 pdf (11,69 Mb) zip (10,14 Mb)

2008-2009 pdf (2,03 Mb) zip (2,67 Mb)

2007-2008 pdf (2,55 Mb) zip (1,14 Mb)

2006-2007 pdf (1,9 Mb) zip (510 kB)

2005-2006 pdf (1,66 Mb) zip (267 kB)

2004-2005 pdf (1,63 Mb) zip (257 kB)

Estatísticas por país 2000-2012 pdf (2,7 Mb) zip (1,16 Mb)

Dados agregados, séries cronológicas e cooperação universitária ligação para a biblioteca zip (10,49 Mb)

Informações sobre o orçamentopdf (1,67 Mb) zip (265 kB)

Cursos Intensivos de Línguas no âmbito do Erasmus pdf (1,65 Mb) zip (278 kB)

Website feedback

Please note that we can only respond to issues concerning the Erasmus+ website. 

For general questions about Erasmus+, please contact your National AgencyNational Erasmus+ Office, or our helpdesk, EuropeDirect.