Percurso de navegação

Banda larga móvel
Enviar esta página por correio electrónicoEnviar esta página por correio electrónicoImprimirImprimir

16/08/2013

Os europeus têm cada vez mais apetência pelas novas tecnologias, como demonstra o último inquérito realizado à escala da UE, mas continuam a pensar duas vezes antes de telefonar ou aceder à Internet por causa dos custos destes serviços.

    Banda larga móvel

    Os telemóveis são hoje omnipresentes, mas só metade são «inteligentes» (smart phones).

    As assinaturas de telemóveis que incluem acesso à Internet variam entre 55 % na Suécia, Dinamarca, Reino Unido, Finlândia, França e Países Baixos e menos de 35 % na Bélgica, Grécia, Hungria, Chipre, Roménia, Bulgária e Portugal. Esta menor penetração de telefones inteligentes é uma característica de muitos países onde os assinantes de acesso móvel à Internet limitam o tempo que navegam linha porque têm receio dos custos — Hungria (35 %), Portugal (58 %), Grécia (53 %), Chipre (52 %), Bélgica (47 %) e Roménia (45 %). As preocupações com os custos levam atualmente mais de metade dos cidadãos da UE a limitar as chamadas realizadas dos seus telemóveis para números nacionais (55 %) e internacionais (54 %). Mais de 70 % limitam as suas chamadas nacionais na Grécia (81 %), Portugal (79 %), Irlanda (72 %) e Roménia (71 %).

    O acesso à banda larga em casa é uma realidade para 3/4 dos agregados familiares: 72,5 % dos agregados familiares da UE dispõem agora de ligação em banda larga, contra 67,3 % em 2011 (fonte: Eurostat). Este número aumentou 20 pontos percentuais na Roménia e 16,7 pontos na Eslováquia, tendo atualmente mais de 50 % dos agregados familiares uma ligação em banda larga em todos os Estados-Membros. Por outro lado, a divisão entre telefone e Internet está a esbater-se rapidamente: 34 % utilizam a Internet para fazer chamadas vocais (VoIP ou «Voice over Internet Protocol»), um aumento de 7 pontos percentuais em 2012. 28 % utilizam a Internet para falarem gratuitamente com utilizadores das mesmas redes VoIP e 4 % usam chamadas VoIP para poupar nas chamadas internacionais.

    As chamadas pela Internet são extremamente populares na Bulgária (57 %), Chipre (55 %), Estónia (54 %), Lituânia e Letónia (51 %). O VoIP é menos utilizado em Portugal (18 %), Itália (26 %), Espanha (28 %) e Grécia (29 %), mas está a tornar-se mais popular, apresentando um crescimento médio de 7 pontos percentuais desde 2011. O aumento da utilização de VoIP parece acompanhar o crescimento da banda larga: por exemplo, em Chipre, as ligações cresceram 11 % em 2012 e a utilização do VoIP aumentou 16 pontos. 

    «Garantir que as expectativas dos consumidores podem ser satisfeitas a um preço acessível é um dos objetivos do pacote "continente conectado", que será apresentado pela Comissão em setembro», afirmou Neelie Kroes, Vice-Presidente da Comissão Europeia responsável pela Agenda Digital.

    Ligações úteis:
    Última atualização:04/09/2013  |Topo