Percurso de navegação

Lutar contra a cibercriminalidade - 28/03/2012

Ecrã de computador © UE

Novo centro europeu da cibercriminalidade emitirá alertas no caso de ameaças emergentes e ajudará os investigadores a identificar os cibercriminosos.

Todos os dias, cerca de um milhão de pessoas são vítimas da cibercriminalidade. Os cibercriminosos agem de forma velada e muitas vezes com total impunidade.

Para combater esta situação, a UE decidiu criar um novo centro europeu da cibercriminalidade English . O centro alertará os Estados-Membros para as principais ameaças e as principais carências das suas defesas em linha, identificará redes de cibercriminalidade organizada e os principais criminosos do ciberespaço e prestará apoio operacional à realização de investigações.

Este centro centralizará informações provenientes do domínio público, das empresas, das polícias e das universidades para apoiar os investigadores, os procuradores e os magistrados.

Todos podemos ser vítimas da cibercriminalidade, nomeadamente de delitos como:

  • usurpação de identidades em linha
  • fraude informática
  • uso indevido de cartões de crédito
  • exploração sexual de menores
  • acesso indevido a contas bancárias
  • ataques a sistemas informáticos públicos e privados

Este tipo de criminalidade não pára de aumentar. Cerca de 600 000 contas do Facebook são bloqueadas todos os dias na sequência de tentativas de acesso indevido. Só na Bélgica, a fraude informática aumentou de pouco mais de 4000 casos em 2008 para 7000 em 2010. No Reino Unido, entre 2008 e 2009, o acesso indevido às contas bancárias aumentou 207%.

O combate à cibercriminalidade ajudará a reforçar a confiança dos consumidores nas operações bancárias e nas compras em linha e a poupar milhões de euros. Segundo um estudo realizado em 2011, o custo total da cibercriminalidade representa 85 a 291 mil milhões de euros.

Infelizmente, só muito poucos destes criminosos são detidos.

O facto de se tratar de um centro à escala europeia permitirá transmitir rapidamente o alerta a outros países da UE. Se alguém na Lituânia comunicar que os seus dados bancários foram usados ilicitamente, este incidente poderá ser rapidamente associado a outros semelhantes que tenham ocorrido em qualquer parte da UE, desde a Grécia à Irlanda.

Este centro permitirá também responder a questões técnicas específicas apresentadas pelos investigadores, procuradores e magistrados.

O centro ficará instalado na Haia, nos Países Baixos, junto do Serviço Europeu de Polícia (Europol) English, que terá ainda de dar o seu aval à proposta.

Mais informações sobre a cibercriminalidade na UE English

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis