Percurso de navegação

Grupo de pessoas perto de um camião com ajuda humanitária da UE

A UE concedeu uma ajuda no valor de 6 milhões de euros às pessoas afectadas pelo conflito que envolve a  Ossétia do Sul e outras regiões da Geórgia. Mais ajuda vai a caminho.

A ajuda está a ser distribuída por organizações não governamentais, por agências especializadas das Nações Unidas e pela Cruz Vermelha /Crescente Vermelho. Os países membros da UE, separadamente, contribuíram ainda com mais 8,4 milhões de euros.

A situação na Geórgia foi debatida numa Cimeira extraordinária europeia DeutschEnglishespañolfrançaisitaliano em 1 de Setembro. Os dirigentes europeus decidiram adiar as conversações com a Rússia sobre um novo acordo de parceria até Moscovo retirar as suas tropas para posições anteriores ao conflito. Acordaram também em rever as relações com a Rússia, condenando o reconhecimento por Moscovo das regiões separatistas da Ossétia do Sul e da Abcásia como Estados independentes. O Presidente da Comissão, Durão Barroso, e o responsável pela política externa da UE, Javier Solana, acompanharão o Presidente francês, Nicolas Sarkozy, numa visita a Moscovo na próxima semana. A França detém actualmente a Presidência rotativa da UE.

Uma equipa de especialistas da UE foi já enviada para a região para avaliar as necessidades em termos humanitários. Serão também enviados observadores civis para fiscalizar a aplicação do acordo de cessar-fogo em seis pontos negociado pela UE. Além do cessar-fogo, o acordo prevê a realização de negociações internacionais e um regresso às posições detidas antes da guerra de cinco dias, durante a  qual as tropas russas ocuparam posições na Geórgia para além da Ossétia do Sul.

Os dirigentes europeus também decidiram disponibilizar ajuda de reconstrução à Geórgia e pressionar no sentido de um acordo de comércio livre, bem como de um regime de concessão de vistos simplificado para os seus cidadãos. Acordaram também em ajudar a organizar uma conferência internacional de doadores para a Geórgia. A Comissária responsável pelas relações externas, Benita Ferrero‑Waldner, declarou que seriam necessários 110 milhões de euros para ajudar entre 20 000 e 30 000 pessoas deslocadas.

A UE procurou reforçar os seus laços com a Geórgia nos últimos anos, especialmente desde o seu alargamento para leste em 2004. No âmbito da sua política europeia de vizinhança , a UE oferece à Geórgia apoio financeiro tendo em vista a realização de reformas económicas e políticas. Benita Ferrero-Waldner declarou ainda que a UE deveria reforçar essas medidas e aprofundar as relações com a Ucrânia e a Moldávia, também abrangidas por essa política.

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis