Percurso de navegação

Desafios mundiais no topo da agenda da Cimeira UE‑EUA - 11/06/2008

O Presidente da Comissão Durão Barroso, o Presidente americano George W. Bush e o Primeiro‑Ministro esloveno Janez Janša

Os dirigentes da UE reuniram‑se, em 10 de Junho, em Brdo (Eslovénia),  com o Presidente Bush para discutir questões ligadas ao comércio, ao clima, à energia e à política externa.

Os problemas que a UE e os Estados Unidos da América enfrentam actualmente, tais como as alterações climáticas e os preços do petróleo e dos alimentos, requerem uma acção urgente, que será bem mais eficaz se os dois continentes trabalharem em conjunto.

Foi também discutido o impacto das alterações climáticas, da subida dos preços do petróleo e da insegurança relativamente ao aprovisionamento das mais importantes potências económicas, tendo os dirigentes dado prioridade às fontes de energia e aos transportes com baixas emissões de CO2e às novas tecnologias «verdes».

A UE espera que os EUA colaborem de forma mais activa e empenhada na luta contra as alterações climáticas. Durão Barroso declarou que a UE aposta num acordo pós‑Quioto a concluir em 2009 em Copenhaga, o que permitiráque a UE e os EUA dêem o exemplo para todo o mundo. Todavia, o Presidente Bush aguarda que a China e a Índia colaborem na luta contra as alterações climáticas.

A cooperação entre a UE e os Estados Unidos English (en) español (es) français (fr) assenta em bases sólidas. Mesmo existindo divergências pontuais, nomeadamente a nível da pena de morte e de limites obrigatórios para as emissões de CO2, Durão Barroso e George W. Bush, que assistia à sua última Cimeira UE‑EUA, sublinharam a importância da existência de boas relações entre a UE e os Estados Unidos. Ambos concordaram em que, ao conjugarem esforços, a UE e os Estados Unidos estarão a reforçar a sua posição a nível mundial, o que lhes permitirá também ajudar de forma mais eficaz os outros países, nomeadamente os países em desenvolvimento

Um dos resultados da cimeira irá certamente satisfazer os milhares de europeus que visitam regularmente os Estados Unidos: de futuro, os viajantes europeus beneficiarão presumivelmente de isenção de visto para entrar nos Estados Unidos. De momento, a isenção de visto só se aplica a 15 Estados‑Membros (14 Estados‑Membros que aderiram à UE antes do alargamento de 2004 e a Eslovénia).  A UE aspira a que os 27 países membros beneficiem do mesmo tratamento, estando as conversações a este respeito a decorrer numa atmosfera muito positiva.

No ano passado, os dois continentes concluíram um acordo com o objectivo de reforçar as relações comerciais e os investimentos transatlânticos. Estima‑se que este acordo permitiu às empresas europeias e americanas poupar cerca de 6,5 mil milhões de euros.

Para mais informações, consultar a declaração conjunta da UE e dos Estados Unidos Englishfrançaisslovenščina publicada depois da cimeira.

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis