Percurso de navegação

Itália assume a presidência da UE - 04/07/2014

Logótipo da presidência italiana da UE © UE

O crescimento e o emprego, o reforço dos direitos dos cidadãos e um papel mais importante da Europa no mundo serão as prioridades da Itália durante os seis meses em que assume a presidência da UE.

A presidência italiana coincide com os primeiros seis meses do novo Parlamento Europeu, eleito em maio, e o início de um novo trio de presidências (Itália, Letónia e Luxemburgo). Os três governos destes países elaboraram um programa de trabalho Englishfrançaisitaliano para os próximos dezoito meses de presidência do Conselho da UE.

Crescimento e emprego

A Itália tenciona incentivar as reformas estruturais e a inovação nos países da UE. O objetivo é incentivar uma «renovação industrial» para combater o desemprego e incentivar a competitividade. Será dada especial ênfase às PME e à política em matéria de clima e de energia na perspetiva de 2030.

A Itália tenciona ainda promover o investimento em setores essenciais para o futuro das crianças, como a proteção do ambiente, as infraestruturas e os serviços digitais.

Outro tema importante da presidência italiana será o desenvolvimento sustentável, que estará em destaque na Exposição Universal de Milão de 2015 Englishfrançaisitaliano, cujo lema será «Alimentar o planeta. Energia para a vida».

Por uma Europa próxima dos cidadãos

Em resposta ao crescente descontentamento com a integração europeia, a presidência pretende combater a burocracia e promover a transparência, a responsabilização e a digitalização tendo em vista assegurar uma cooperação eficaz entre as instituições da UE.

A Itália defende um papel mais ativo para a UE em setores em que possa trazer uma mais-valia, tais como a proteção dos direitos fundamentais e a política de migração e de asilo. Em contrapartida, visa uma menor atividade da UE em domínios que possam ser tratados mais eficazmente a nível nacional, regional ou local.

A Europa na cena internacional

A presidência considera que a política externa da UE necessita de uma abordagem mais abrangente para fazer face aos desafios regionais e mundiais. As regiões vizinhas da UE, nomeadamente a região mediterrânica, serão uma das grandes prioridades de intervenção para a UE.

O processo de transição no norte de África e o processo de paz no Médio Oriente necessitarão de apoio constante. A Itália dará também prioridade aos novos acordos de associação com a Geórgia, a Moldávia e a Ucrânia.

A nível das negociações comerciais, estarão em destaque os progressos das conversações sobre a Parceria Transatlântica em matéria de Comércio e Investimento (TTIP) com os Estados Unidos.

Presidência italiana Englishfrançaisitaliano

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis