Percurso de navegação

Aumentar a afluência às urnas nas próximas eleições europeias - 10/01/2014

Hemiciclo do Parlamento Europeu

No mês de maio, os eleitores dos 28 países da UE terão a oportunidade de escolher os políticos que os representarão durante os próximos cinco anos num Parlamento Europeu com poderes reforçados.

Na sequência da atribuição de novos poderes substanciais ao Parlamento em 2009, espera-se que as eleições desta primavera sejam as que despertarão mais interesse desde as primeiras eleições diretas para esta instituição em 1979.

De acordo com o novo equilíbrio de poderes da UE, uma das primeiras tarefas dos novos deputados europeus será votar no próximo Presidente da Comissão Europeia.

O novo sistema, previsto no Tratado de Lisboa , exige que os chefes de Estado e de Governo da UE nomeiem um candidato com base nos resultados das eleições. Isto significa que o Parlamento terá também uma maior influência na seleção dos Comissários.

Incentivar a participação

Após as eleições europeias que se realizarão em maio, os grupos políticos terão, pela primeira vez, a ocasião de propor candidatos para o cargo de Presidente da Comissão.

O Partido dos Socialistas Europeus, de centro-esquerda, já escolheu o seu candidato oficial para o cargo: trata-se do deputado europeu alemão Martin Schulz, atual Presidente do Parlamento.

A Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa, centrista, escolherá no próximo mês entre o atual membro da Comissão Europeia finlandês, Olli Rehn, e o antigo Primeiro-Ministro belga Guy Verhofstadt.

O decisão do Partido Popular Europeu (PPE), de centro-direita, deverá ser tomada no mês de março, existindo cerca de meia dúzia de candidatos, entre os quais figuram quatro atuais e antigos primeiros-ministros.

Por sua vez, os Verdes optaram por selecionar o seu candidato a partir de uma lista de quatro nomes, organizando umas eleições primárias em linha.

Combater a apatia

Espera-se que as alterações introduzidas contribuam para gerar um maior interesse nas eleições e inverter a tendência para uma reduzida taxa de afluência às urnas, que, em 2009, ficou em 43 % do eleitorado.

No ano passado, uma sondagem de opinião revelou que 62 % dos inquiridos consideram que tanto o facto de os candidatos ao lugar de presidente da Comissão estarem afiliados em partidos como de as eleições decorrerem no mesmo dia em toda a Europa irá certamente aumentar a taxa de participação nas eleições.

Com o novo sistema, os eleitores europeus terão, pela primeira vez, uma palavra a dizer na nomeação do líder da próxima Comissão, o que reforçará a legitimidade democrática da UE.

Eleições de 2014

Como funciona o Parlamento Europeu

Parlamento Europeu

Eleições para o Parlamento Europeu: aumentar a taxa de participação

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis