Percurso de navegação

Chipre ao leme da UE - 29/06/2012

Logótipo: navio estilizado com a expressão «CY 2012 EU» © Chipre

No segundo semestre de 2012, a ênfase será posta nos esforços para retomar o crescimento económico e fazer com que a economia europeia funcione melhor em benefício dos cidadãos.

O país assume a Presidência da UE a 1 de julho, num contexto de grande inquietude com a lentidão da recuperação económica e a crise das dívidas soberanas na zona euro.

Os esforços para conseguir que os orçamentos públicos respeitem os limites acordados na UE têm de ser acompanhados por medidas para incentivar o crescimento. Ao longo dos próximos 6 meses, Chipre concentrar-se-á em medidas para promover estes objetivos.

Uma das principais tarefas do país será chegar a acordo sobre as propostas de orçamento para 2014-2020 Deutsch (de) français (fr) da Comissão. O orçamento fixa as prioridades a médio prazo da UE: acelerar o crescimento económico, criar emprego e reforçar a competitividade.

Durante a sua presidência, Chipre dará seguimento aos trabalhos para melhorar a coordenação económica entre os países da UE e acompanhar os orçamentos nacionais de forma a que estes respeitem os limites acordados.

Outra prioridade é o investimento em programas que criem mais e melhor emprego e prestem formação às pessoas, em particular aos jovens desempregados, permitindo-lhes adquirir competências relevantes.

Chipre deverá igualmente avançar com programas que promovam estilos de vida mais ativos e saudáveis e que abordem questões relacionadas com o envelhecimento da população na Europa.

Interligar a Europa

Chipre espera obter progressos no que se refere às propostas da Comissão que têm como objetivo fazer com que a integração europeia (o «mercado único») traga mais benefícios para os cidadãos e as empresas, estimulando o crescimento.

A ênfase será colocada em medidas destinadas a ajudar as pequenas empresas a prosperar e na criação de um mercado único digital English .

Chipre presidirá às negociações em curso sobre as redes europeias de energia, de transportes e de telecomunicações. Ligar as infraestruturas da UE aumenta a concorrência e contribui para baixar os preços no consumidor.

Um dos principais objetivos do país é chegar a acordo sobre uma política marítima mais integrada. As propostas da Comissão que estão a ser estudadas pelos dirigentes europeus visam reforçar a coordenação a nível da UE, por forma a gerir os recursos marítimos de forma mais eficiente.

Gerir as fronteiras da Europa

Chegar a acordo sobre regras comuns para os requerentes de asilo é também importante na sequência dos acontecimentos do ano passado no Norte de África e da subsequente vaga de imigração para a Europa.

Os dirigentes europeus querem melhorar a gestão das fronteiras externas da UE, estando igualmente a estudar a possibilidade de novos acordos sobre o espaço interno sem fronteiras da UE.

Prioridades da Presidência cipriota da UE English

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis