Percurso de navegação

Hungria toma as rédeas do Conselho da UE - 03/01/2011

Budapeste: sede do Parlamento húngaro na margem do Danúbio © UE

A 1 de Janeiro de 2011, a Hungria sucede à Bélgica na Presidência do Conselho da UE.

A Hungria, país membro da União Europeia desde 2004, assume pela primeira vez a Presidência do Conselho da UE. Entre as suas prioridades figuram a estabilização da economia europeia, o alargamento da União, a energia e a integração da população cigana.

A Presidência húngara tem início numa altura em que a recuperação económica é desigual no conjunto da UE e em que é necessário consolidar a saída da crise. Perante as dificuldades da zona euro, os Estados-Membros acordaram em rever o Tratado de Lisboa, a fim de estabelecer com carácter permanente o mecanismo de estabilização English criado para vir em ajuda da Grécia e depois da Irlanda. Um dos objectivos da nova Presidência será fazer avançar as negociações sobre este assunto.

Outro tema a tratar será a coordenação das políticas económicas entre os Estados-Membros. Para o efeito, será lançado o denominado «semestre europeu», período em que a UE passará em revista os projectos de orçamento de cada um dos seus membros a fim de detectar eventuais desequilíbrios.

No plano social, a Hungria pretende elaborar uma verdadeira estratégia europeia a favor da integração dos ciganos, cujas condições de vida poderiam melhorar se os fundos europeus fossem utilizados de forma mais eficaz.

Um dos momentos fortes desta Presidência será, sem dúvida, a organização de uma cimeira sobre a energia, que procurará garantir a interconexão das redes eléctricas e de gás dos países membros. O objectivo é reduzir a dependência energética da UE, em especial no que diz respeito ao aprovisionamento de gás.

A nova Presidência pretende também aprofundar as relações da UE com a Arménia, o Azerbaijão, a Geórgia, a Moldávia, a Ucrânia e a Bielorrússia. Para tal, reunir-se-á com representantes desses países em Maio, por ocasião da segunda cimeira da «Parceria Oriental».

Por último, a Hungria apoiará activamente o processo de alargamento da UE, em especial a adesão da Croácia, país candidato desde 2004 que entra agora na fase final das negociações de adesão.

Sítio Web da Presidência húngara do Conselho da UE Englishfrançaismagyar

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis