Percurso de navegação

As novas caras da UE - 20/11/2009

Herman Van Rompuy, Primeiro-Ministro sueco Fredrik Reinfeldt, Presidente da Comissão Durão Barroso, Catherine Ashton

Os dirigentes europeus nomearam o primeiro-ministro belga para o cargo de primeiro presidente permanente da UE. A actual comissária europeia do comércio externo, Catherine Ashton, será responsável pela política externa.

Depois de intensas negociações numa reunião do Conselho que ficará nos anais da História, foi unânime a designação do primeiro-ministro belga Herman Van Rompuy e da Comissária Catherine Ashton.

O presidente da Comissão, Durão Barroso, felicitou-os, declarando que não seria possível fazer melhor escolha para liderar a União Europeia.

Economista de formação e político democrata-cristão, Herman Van Rompuy, de 62 anos de idade, foi primeiro-ministro da Bélgica durante quase um ano, sendo-lhe reconhecido o mérito de ter estabilizado o país na sequência das tensões surgidas entre as comunidades flamenga e francófona.

"Não solicitei este alto cargo. Não fiz nenhuma diligência para o ocupar. Mas, a partir de hoje, assumi-lo-ei com convicção", declarou Van Rompuy.

De acordo com a Comissão Europeia, o Conselho nomeou Catherine Ashton, de 53 anos, alta representante da União para os negócios estrangeiros e a política de segurança. Membro do partido trabalhista britânico, será igualmente vice-presidente da próxima Comissão.

Os dois cargos foram criados pelo Tratado Lisboa, recentemente aprovado, que procura reforçar o papel da UE no plano internacional e tornar mais eficaz o processo de decisão.

O novo presidente permanecerá dois anos e meio no cargo, que substitui a actual presidência semestral da UE, assumida rotativamente por cada Estado-Membro.

As principais responsabilidades de Van Rompuy incluem a presidência das reuniões do Conselho e a representação dos dirigentes da UE na cena mundial. Também representará o Conselho nas relações com as outras instituições europeias.

Catherine Ashton terá a responsabilidade de propor medidas de segurança e defesa, ficando igualmente encarregada de criar uma rede mundial de diplomatas, que a assistirá nas suas funções.

Declarou-se surpreendida com esta nomeação, que tem ainda de ser confirmada pelo Parlamento Europeu: "Sinto-me muito honrada e orgulhosa por me terem pedido para aceitar este cargo."

"Assegurarei a representação dos nossos valores em todo o mundo."

O cargo de alto representante reúne duas funções actuais: a de alto representante para a política externa e de segurança comum e a de comissário das relações externas.

As nomeações serão oficiais com a entrada em vigor do Tratado de Lisboa em 1 de Dezembro.

 

O Conselho anuncia nomeações para dois novos cargos europeus Englishfrançais

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis