Percurso de navegação

A tecnologia ao serviço da saúde - 11/05/2011

Mão de um médico a segurar um estetoscópio © istock/Brian Jackson

As tecnologias da informação e da comunicação ajudam os prestadores de cuidados de saúde europeus a oferecer aos doentes serviços de maior qualidade e mais eficientes, reduzindo simultaneamente os custos.

Uma população em envelhecimento, cortes orçamentais, aumento dos custos e falta de pessoal são alguns dos desafios enfrentados pelos serviços de saúde na UE.

Para ajudar a corrigir esta situação, a Comissão incentiva os governos dos países da UE a investir mais nas tecnologias da informação e da comunicação (TIC).

A Internet, redes de dados seguras, dispositivos sem fios e serviços de informação em linha já ajudam hoje os médicos, o pessoal de enfermagem e os hospitais a oferecer aos doentes serviços de maior qualidade e mais eficientes, reduzindo simultaneamente os custos.

Enormes benefícios

Algumas das aplicações ICT de maior sucesso estarão em exibição esta semana em Budapeste (Hungria), no quadro da Semana europeia da saúde em linha 2011 English .

A rede de dados sobre a saúde utilizada na Dinamarca permite, por exemplo, uma comunicação rápida e eficiente entre doentes, médicos e assistentes sociais. A racionalização dos serviços já permitiu uma poupança acumulada de 1 400 milhões de euros.

Em 2008, no Reino Unido, um serviço de ajuda (em linha e por telefone) ajudou a reduzir o número de consultas desnecessárias (menos 2 400 000), bem como o recurso a ambulâncias e as idas às urgências (menos 1 200 000).

Em Itália, na região da Lombardia, a telecardiologia, que permite aos cardiologistas assistir à distância os doentes com problemas de coração, permitiu uma redução de 36 % nos internamentos hospitalares e 12 % nas consultas de doentes externos.

Ao serviço dos doentes

Com o apoio das TIC, os médicos podem aceder mais facilmente aos processos dos doentes, obter os resultados das análises mais rapidamente e enviar as receitas directamente às farmácias.

Um estudo financiado pela UE e realizado nos Países Baixos, no Reino Unido e na Alemanha mostra que a introdução da telemonitorização domiciliária dos doentes poderia aumentar a taxa de sobrevivência dos doentes em 15 % e reduzir o número de dias de hospitalização em 26 %.

Agenda digital

A Comissão está a estudar medidas concretas destinadas a incentivar a utilização das TIC na UE. Encontra-se em curso, até 25 Maio, uma consulta pública English sobre a melhor forma de proceder neste contexto.

As respostas serão tidas em conta nas propostas para o período de 2012-2020 que a Comissão conta apresentar este ano. A promoção das tecnologias de saúde para os serviços de saúde é parte integrante da agenda digital English e da política de inovação English .

Mais sobre as TIC na saúde English

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis