Percurso de navegação

Cancro: diferenças regionais preocupantes - 29/09/2009

Doente com cancro a fazer uma IRM © Reporters

As grandes variações nas taxas de mortalidade por cancro levam a UE a conjugar esforços para melhorar a prevenção, o tratamento, a investigação e a partilha de informações.

Todos os anos, 3,2 milhões de europeus são diagnosticados com cancro, a causa mais comum de morte depois das doenças circulatórias. Os casos mais frequentes são o cancro da mama, dos pulmões ou colorrectal.

Este é o panorama geral na Europa. Se olharmos mais de perto para as taxas de cancro nos 27 países da UE, verificamos enormes diferenças, tanto em termos de frequência dos casos como do seu desfecho.

Os homens na Hungria têm uma probabilidade duas vezes superior aos homens na Suécia e na Finlândia de morrer de cancro. O mesmo acontece com as mulheres na Dinamarca, em comparação com as mulheres na Grécia e em Espanha.

A taxa de cancro colorrectal na Alemanha é duas vezes superior à da Grécia, enquanto na Bélgica e em França, o cancro da mama é muito mais comum do que na Letónia, na Lituânia e na Roménia.

Estas enormes diferenças entre países da UE não são novidade. Muitos factores influenciam os dados estatísticos, incluindo a forma como são recolhidos e divulgados. Mas a persistência de grandes variações sugere um grande desequilíbrio na qualidade dos cuidados de saúde na UE.

As disparidades e as elevadas taxas de cancro na Europa levaram a UE a promover a cooperação na luta contra o cancro, que constitui desde há muito uma prioridade da política de saúde pública da UE.

A Parceria Europeia de Luta contra o Cancro españolDeutschEnglishfrançais, lançada pela Comissão Europeia a 29 de Setembro, reunirá investigadores, médicos, funcionários da administração e representantes de grupos de doentes em quatro grupos de trabalho. Cada grupo centrar-se-á numa questão diferente: prevenção do cancro, tratamento, investigação e recolha de dados.

Nos próximos cinco anos, os grupos estudarão as formas de reduzir as taxas de cancro, através, por exemplo, do aumento do rastreio do cancro da mama, cervical e colorrectal e de uma maior coordenação da investigação em matéria de cancro. Procurarão também trabalhar no sentido de conseguir dados mais fidedignos e comparáveis. A Comissão acompanhará os trabalhos e dará apoio administrativo e científico.

Espera-se que através da partilha de conhecimentos, competências e experiências, os países da UE venham a conseguir melhores resultados na prevenção e tratamento da doença. A cooperação evitará também a duplicação dos esforços e permitirá uma melhor utilização dos recursos.

A UE estabeleceu o objectivo de redução de 15% de novos casos ao longo da próxima década (até 2020). Tal significaria uma redução de 510 000 novos casos. Com o aumento dos casos de cancro devido ao envelhecimento da população, esse objectivo vai ser um desafio.

Actualmente, o cancro representa 3 em cada 10 mortes nos homens e 2 em cada 10 nas mulheres.

Parceria Europeia de Luta contra o Cancro English

Mais sobre cancro na UE

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis